Os descontos do dia e a justa causa


Início do ano letivo em faculdade, o professor de Direito do Trabalho explica seus métodos de ensino. Diz que exige respeito, silêncio e assiduidade em suas aulas e promete que – pelo menos uma vez por mês – para descontrair contará “algum caso curioso, às vezes extraído do Espaço Vital, mas sempre relacionado com questões trabalhistas”.

Última semana de maio, o mestre conta uma história espirituosa, não extraída daqui, mas que – pelas gargalhadas universitárias que arranca – tem hoje guarida nesta página.

* * * *

Era uma noite quente do verão porto-alegrense, um homem entra num bar da moda, senta-se junto ao balcão e pede a sua cerveja favorita.

- Certamente, senhor, aqui está! Isso vai custar cinco reais, em dinheiro. Não aceitamos cartões!

- Só isto? – pergunta o cliente surpreso.

O atendente confirma, dizendo ser “a promoção do dia”. E logo traz a bebida e um impecável copo de cristal, gelado. O cliente toma a cerveja e pergunta:

- Algum preço promocional para um filé com fritas?

- Certamente, senhor. Uma refeição preciosa por apenas vinte reais, pagamento em espécie.

Jantar saboreado, o cliente pergunta:

- Onde está o dono deste estabelecimento? Gostaria de conhecê-lo.

- Impossível! Ele está no andar de cima, com a minha mulher.

- O que ele está fazendo com ela?

- O mesmo que estou fazendo com negócio dele! – arremata o atendente.