O “Doutor Encoxador”


O médico com 66 de idade, consultório bem instalado em prédio central que leva o nome de uma estrela fixa de primeira grandeza, é conhecido - na cidade de 200 mil habitantes - como ortopedista e traumatologista. Também presta frequentes exames admissionais de emprego ao comércio e indústrias da cidade. Foi nessa última atividade que ele passou a gozar má fama de abusador.

Independente de um precedente já coberto pela prescrição, duas mulheres modernas e corajosas - que não se conheciam entre si e não trabalham na mesma empresa - chegaram à polícia com versões semelhantes e um desabafo igual: “O Doutor é um encoxador”!

Os depoimentos colhidos pela delegada, em momentos diferentes, coincidiram na essência: o doutor se achegava por trás, mandava as pacientes levantarem-se, abrirem a blusa e respirarem fundo e... zás, lá se ia rápido com a mão boba, sutiã a dentro, enquanto atacava também por baixo.

Segundo a denúncia, “o médico ordenava que as pacientes mantivessem respiração ofegante, também encoxando-as, enquanto introduzia sobre seus seios uma de suas mãos, alegando tal ser necessário para o perfeito exame de toque aferidor dos pulmões”.

Uma das vítimas do abuso – antes de se arrancar consultório a fora – deu o estrilo que foi ouvido na sala de espera: “Esse tipo de exame quem faz comigo é só o meu marido”. E logo acorreu à delegacia de polícia.

Ao aplicar sete anos de reclusão, em regime inicial semiaberto a sentença reconheceu que “a prova é firme e segura sobre os abusos sexuais contra as pacientes, de regra mulheres obreiras necessitadas de um laudo médico para poder trabalhar”.

Houve apelação. Na câmara criminal, a desembargadora relatora foi mão-suave, reduzindo a pena a quatro anos e três meses, a pretexto de “ter subsistido apenas a tez negativa das consequências”.

Apenas?!...

Em liberdade, enquanto esgota recursos aos tribunais superiores, o “Doutor Encoxador” segue trabalhando. Mas as mulheres da cidade já se reuniram na igreja próxima ao consultório médico, para combinarem a propagação da ficha suja dele.

Por enquanto, ele segue impoluto nas hostes corporativas do Conselho Regional de Medicina.