E o externo joga espetado! Esse Tite...!


A Copa terminou mais cedo para o Brasil. Vantagens:

a) O Ney-marrento se lascou. Oh, sujeito chato. Conseguiu a antipatia do mundo todo;

b) Desnudou o lado excessivamente negocial da Copa, especialmente a escalação e a convocação da seleção brasileira. Nem Tite escapou. Deixou Firmino fora e insistiu com Gabriel Jesus, casualmente empresariado por Ronaldo Fenômeno, coincidentemente comentarista da Rede Globo;

c) Desnudou a falta que fez Artur no meio campo, sem falar na importância que poderia ter tido Luan;

c) Deixou claro que alguns jogadores não deveriam ter sido convocados, como Fernandinho - que, na era Felipão, entrava batendo em todo mundo (na Copa passada foi constrangedor). Agora, batendo menos, ele joga pouco;

e) Deixou à lume o defeito dos zagueiros brasileiros, porque não marcam a bola e, assim, levaram dois gols – um deles, fatal;

f) Ficou claro que tic-tac só funciona se há craques;

g) O Brasil poderia fazer futebol de toque, mas Tite achou que poderia aplicar o esquema do Corinthians – se lascou;

h) Foi desnudada a ignorância de muitos comentaristas de futebol, profetas do passado. Quando necessitam dizer como se deve fazer, pipocam;

i) Outra vantagem: os repórteres chatos e os que fazem palhaçadas tem de voltar ou diminuíram suas falas “inteligentes”;

j) Thiago Leifert ficou sem assunto – hip hip hurra;

l) Pararam de entrevistar brasileiros na Rússia;

m) Desnudou Tite.

A pergunta é (e uso texto do Procurador Calil de Freitas, colorado da cepa, postado no seu Facebook): Por quanto tempo vai permanecer o torpor da paixão da crônica desportiva por um treinador que, para dizer que o lateral joga avançado, fala que “o externo joga espetado”? Até quando durará essa bobagem de falas teatrais ensaiadas olhando direto para as câmeras de teve? Até quando vão ser toleradas babaquices como “fortaleza mental”, “não é fácil ser Neymar”, etc. (Bingo, Calil!).

Vejam, então, que não foi tão ruim assim a eliminação do Brasil. A parte ruim: virou moda dizer que “não foi falta, porque o jogador disputou espaço”. E eu que achava que futebol era jogar com a bola e não um jogo corpo a corpo. Mas, o que fazer? Essas bobagens se transformam em fatos.

No mais, por aqui, a IVI, por um de seus porta-vozes mais radicais, propagou aos quatro ventos, na Zero Hora, que o Grêmio não ganharia nada com a antecipação da ida de Artur para o Barcelona. Para seu desgosto, informo que Grêmio receberá 2,8 milhões...de euros.

Não Ficou Bem para a IVI, porque nem sempre bem fica a coisa. Bingo.