Ir para o conteúdo principal

Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017

Autorizada a exumação do corpo de atriz morta em lipoaspiração




O TJ de São Paulo informou ontem (31) ter sido autorizada a exumação do corpo da atriz Pâmela Baris do Nascimento, que morreu na mesa de cirurgia depois do seu fígado ser perfurado em uma lipoaspiração no bairro do Ipiranga, na Zona Sul da capital paulista.
 
Ela foi sepultada em São Francisco do Sul (SC). O pedido para os atos exumatórios será encaminhado pelo TJ paulista ao TJ catarinense.

O prontuário da paciente, de 27 anos, e demais documentos relativos ao hospital onde a cirurgia aconteceu já foram entregues à polícia na terça-feira (30).

O médico Júlio César Yoshimura foi o responsável pela cirurgia. Em seu saite na Internet ele anuncia que "a sua satisfação é a nossa paixão".

A paciente teve hemorragia, sofreu parada cardiorrespiratória e morreu.

O médico utilizava a sala do Hospital Green Hill para fazer as cirurgias plásticas. Segundo a polícia, o hospital é habilitado e tem os equipamentos adequados para fazer o atendimento necessário em caso de urgência.

De acordo com o delegado que investiga o caso, Evandro Luiz de Melo Lemos, do 17º Distrito Policial, enfermeiros devem ser chamados a depor. A polícia investiga se houve algum erro médico durante a cirurgia e porque o médico liberou o corpo da paciente antes de comunicar à autoridade policial, o que caracterizaria fraude processual.

A morte de Pâmela aconteceu em 19 de outubro, mas o caso só foi registrado no 17º Distrito Policial, na segunda-feira (29), depois que a tia veio de Santa Catarina. A demora para fazer o registro chamou a atenção da polícia.

Pâmela, que chegou a fazer participações nos programas de Rodrigo Faro, da Record, e Celso Portiolli, do SBT, também estudava biomedicina em uma unidade das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU).

Segundo a família, Pâmela sempre foi vaidosa, principalmente depois que passou a ser modelo. Ela já tinha feito pelo menos duas cirurgias no nariz, colocado silicone e se submetido a uma lipoaspiração há um ano.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

O arranhão perigoso do gato

Justiça afasta negligência de hospitais e médicos, em caso de mulher arranhada pelo animal de estimação.

Cirurgia no olho errado causa indenização

Decisão do TRF-4 condena o Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Contestação sustenta que “embora tenha ocorrido o erro, o resultado foi benéfico para a paciente