Ir para o conteúdo principal

Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017

Colagem íntima



Pérolas processuais
"Amiga! Ele fala da ex-noiva com os amigos, mas não fala de ti.

Descarta o teu pânico, isso não quer dizer que ele prefere a ex.

Tens que entender que ele não vai se gabar muito da atual vida sexual simplesmente porque não quer que os amigos fiquem imaginando como tu és na cama.

Para falar de sexo, ele vai preferir usar como exemplo as antigas parceiras. Fica fria!".

 
* * *

(Trecho - nada a ver - em meio aos fundamentos jurídicos de uma apelação que aportou em Câmara Cível do TJRS. Certamente explicável pelos equívocos decorrentes do "copia-cola". Mas a falta de revisão pela profissional da Advocacia é injustificável. O relator mandou riscar).

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

O “jus sperniandi

Expressão de falso latinismo alude ao espernear de uma criança, inconformada com uma ordem de seus pais. E juiz gaúcho não manda tarjar palavras inconvenientes em petição porque , “no processo eletrônico é inviável riscar uma expressão dos autos”.

A importância da caneta

Ao cumprir diligência citatória, oficial de justiça deixa de colher a assinatura do réu porque “ninguém tinha caneta na hora”.

"In tontum"

Equívoco advocatício. Petição para que a ação seja julgada procedente"IN TONTUM"...