Ir para o conteúdo principal

Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017

Milionário manda destruir Maserati de R$ 850 mil em protesto na China



Mundo bizarro

Uol (reprodução)

Imagem da Matéria

Operários foram contratados para fazer o quebra-quebra

Operários contratados por um milionário chinês destruíram na terça-feira (14), em Qingdao (província de Shandong), na China, uma Maserati a golpes de marretas e ferros.  
 
O proprietário decidiu acabar com o carro, que custa cerca de 2,6 milhões de iuans (R$ 850 mil), em protesto contra o serviço de manutenção prestado por uma revendedora da marca.
 
Segundo a imprensa chinesa, a concessionária tinha cobrado do proprietário o preço de uma peça nova, apesar de ter reparado a Maserati usando uma peça velha, o que causou nova pane no carro.
 
Em protesto, o rico dono decidiu mandar destruir o veículo, o que chamou atenção de centenas de pessoas que visitavam uma feira automobilística.
 
A marca Maserati foi fundada em 1914 pelos irmãos Maserati - Ettore e Ernesto - com o objetivo de desenvolver carros, e especialmente motores, além de produzir velas de ignição.
 
Em 1997, a Ferrari comprou 50% da Maserati e assumiu seu controle operacional. Teve início a renovação da fábrica em Módena (Itália), de onde sairam novas versões do sedã de luxo Quattroporte, o 3200 GT Coupé e o Maserati Spyder, conversível e coupê com motor em alumínio e câmbio tipo F1, trazendo toda tecnologia e know how da Ferrari na Fórmula 1.



Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Favores sexuais podem pagar autoescola na Holanda

Ministros e parlamentares daquele país decidiram que “a prática é legal desde que as partes envolvidas sejam maiores de idade e estejam de acordo quanto à forma de pagamento”. E em Santa Catarina, instrutor foi condenado a indenizar autoescola, por assediar alunas.