Ir para o conteúdo principal

Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017

A confiabilidade da mídia



Em meio a diversos questionamentos sobre a credibilidade das instituições no Brasil, a mídia é a entidade mais confiável para a maior parte dos brasileiros. A conclusão é da Edelman Global Entertainment Study que ouviu 31 mil pessoas em 26 países, mil delas no Brasil.

Detalhe: os veículos de comunicação são confiáveis para 66% dos brasileiros. Em seguida, estão as empresas (64%), ONGs (59%) e governo (33%).

A Edelman é a maior empresa de relações públicas do mundo, com uma operação que envolve 66 escritórios e 4.500 funcionários.

O resultado segue a mesma tendência da pesquisa sobre corrupção no mundo divulgada semana passada pela Transparência Internacional, segundo a qual a percepção sobre corrupção envolvendo a mídia no país é menor na comparação com a maioria dos países.

- São medições diferentes, mas que convergem ao demonstrar a confiança que a mídia tem por parte da população - diz o diretor executivo da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Ricardo Pedreira.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Amarildo – www.amarildo.com.br

Cerco aos tribunais

 

Cerco aos tribunais

Revista IstoÉ registra que “contrariando um princípio fundamental da democracia - a autonomia dos Poderes - a presidente Dilma pressiona sem cerimônias ministros do STF, TSE e TCU a fim de evitar a aprovação de processos que podem levar ao seu afastamento da Presidência”.

Supremo reafirma o direito de criticar

Revertido acórdão que condenara o jornalista Paulo Henrique Amorim a indenizar o banqueiro Daniel Dantas. Decisão de Celso de Mello refere que “o interesse social, que legitima o direito de criticar, sobrepõe-se a eventuais suscetibilidades que possam revelar as figuras públicas, independentemente de ostentarem qualquer grau de autoridade”.

"A tesoura que assombra a RBS"

Matéria assinada pelo jornalista Luiz Cláudio Cunha afirma que "o foco da Rede Brasil Sul de Comunicações não está mais no jornalismo".