Ir para o conteúdo principal

Sexta-feira, 24 de Março de 2017

Emancipação torna jovem de 17 anos capaz para cargo público



A emancipação torna o candidato plenamente capaz para praticar todos os atos da vida civil, inclusive o de prover e exercer cargo público. Com essa fundamentação, a 5ª Turma do TRF da 1ª Região determinou a reintegração de jovem emancipado ao cargo de técnico legislativo do Senado, dispensado do cargo por não preencher o requisito de idade mínima de 18 anos.

Conforme o julgado, “por ocasião da posse, o candidato preenchia todos os requisitos legais para a investidura no cargo público, uma vez que, apesar de não possuir a idade mínima de que trata a Lei nº 8.112/90, foi ele regularmente emancipado, nos termos da lei, passando, a partir de então, a praticar plenamente todos os atos da vida civil”.

Ainda de acordo com o acórdão, “não houve no caso qualquer ofensa ao edital do certame, porquanto não havia nenhuma norma prevendo que para a inscrição no concurso público deveria o candidato comprovar a idade de 18 anos completos”.

O TRF-1 também afirmou “não ter havido violação ao princípio da legalidade ou mesmo da isonomia, uma vez que o recorrente concorreu em igualdade de condições com os demais candidatos, não tendo recebido nenhum tratamento diferenciado em detrimento dos demais”.

Durante o andamento da demanda judicial, o recorrente atingiu a idade de 18 anos. O tribunal também considerou que “fato superveniente faz cessar o óbice legal à investidura no cargo pretendido”. (Proc. nº 0038970-69.2012.4.01.3400).


Comentários

João Yuji Moraes E Silva - Advogado 28.04.15 | 20:49:30
Louvável! Uma maioridade tão alta como a nossa infantiliza a juventude. Me incomoda a incoerência de defender a redução da maioridade penal (ao que sou plenamente favorável) sem uma redução da maioridade civil juntamente.
Irani Leal Ferreira - Advogada E Servidora Pública 28.04.15 | 17:25:56
Louvável a Decisão do TRF1. Parabéns, garoto pródigo e merecedor de ver reconhecido seu esforço! Abraços!
Ana Santos - Gerente 28.04.15 | 15:43:13
É aburdo e abusivo a quantidade de manobras processuais utilizadas para burlar o previamente estabelecido. Todo o concurso reza ter dezoito completos no momento da posse.
Gilnei Brancogilnei Branco - Tec. Seg . Trabalho 28.04.15 | 10:51:47
Discordo, pois o requisito pedia que o candidato tivesse o mínimo de 18 anos para assumir o cargo e não que fosse plenamente capaz.
Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Concurso público obrigatório para a contratação de estagiários

Está criado o precedente. Decisão do TST – acolhendo ação do Ministério Público do Trabalho contra o Município de Guarapuava (PR) – determina a realização de processo seletivo público “com critérios objetivos, previamente definidos e divulgados”.  O edital terá que reservar vagas a estudantes matriculados ou formados na rede pública de ensino, afrodescendentes ou com deficiência.