Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018.

Bisbilhotagem conjugal permitida



Todo objeto deixado na casa onde residem familiares é, presumidamente, de uso comum – valendo a ideia também para os aparelhos celulares de cada um.

A decisão é do Tribunal de Roma, ao admitir que um cônjuge pode bisbilhotar o celular de sua companheira e ler as mensagens recebidas e/ou enviadas por ela. A linha decisória aplica-se nos dois sentidos – ressalva o julgado.

O acórdão ressalva que “a bisbilhotice só terá sido ilegal caso o celular esteja bloqueado com uma senha – hipótese em que, aí sim, a presunção de uso comum estará afastada, sendo então o aparelho considerado de uso exclusivo do seu/sua proprietário/a”.

A decisão foi tomada em ação em que um homem usou cópias de mensagens encontradas no celular da esposa, para assim comprovar adultério cometido por ela. A mulher não teve sucesso na tentativa de provar que a prova teria sido obtida de forma ilegítima.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Que surpresa chocante, que nojo!

Caso real! O que fazer com dezenas de baratas vivas flagradas, numa mala, pelo sistema de inspeção de bagagens num aeroporto? O dilema foi levado por agentes alfandegários a um juiz plantonista.

Camera Press

Devolução de 60 milhões de euros de pensões alimentícias

 

Devolução de 60 milhões de euros de pensões alimentícias

Tribunal italiano considerou o ex-premier Silvio Berlusconi “injustiçado” em ação em que se divorciou da ex-atriz Veronica Lario.  Nesta foto de 2014, os dois deixam – com olhares antagônicos ou indiferentes – a corte onde tinha sido determinada a redução do pensionamento de € 3 milhões para € 1,4 mi.