Ir para o conteúdo principal

Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017

União estável, por oito anos, de tio com sobrinha! Será?



Um pedido de vista suspendeu julgamento de recurso em mandado de segurança no qual a 2ª Turma do STJ analisa a possibilidade de uma bancária - que alega ter vivido em união estável com o tio - receber pensão pelo falecimento do suposto companheiro, servidor público da Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

A sobrinha interpôs recurso contra decisão do TJ do Rio de Janeiro que negou o pedido, ao considerar que, no processo administrativo que acompanhou a inicial, foi verificada a existência de provas de que houve uma simulação de união estável, “provavelmente em reconhecimento dos cuidados que a sobrinha dispensou ao tio idoso e doente”.

No STJ, a sobrinha sustenta que não houve simulação e que o acórdão desconsiderou o vasto conteúdo probatório da união estável, que durou oito anos.

Para ela, a fundamentação do acórdão foi baseada em prova ilegítima e que a farta documentação apresentada não permite concluir pela ocorrência de simulação. (RMS nº 48257 – com informações do STJ). 


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Arte de Camila Adamoli sobre foto Camera Press

Sônia vira Samuel, mas...

 

Sônia vira Samuel, mas...

Mulher que a Justiça gaúcha autorizou a trocar de prenome e registrar-se como “transexual” busca o direito de alterar seu registro civil para o gênero masculino. Ela não quer se submeter à cirurgia de faloplastia e já tem no STF cinco votos a favor. Mas o acórdão do TJRS alerta: “Os princípios da publicidade e da veracidade dos registros públicos devem corresponder à realidade fenomênica do mundo, para resguardo de direitos e interesses de terceiros”.

CNJ institui regras para registro de nascimento e casamento

As novas rotinas para casos de barriga de aluguel e paternidade sócio afetiva. Para a emissão de certidões de nascimento de filhos gerados por reprodução assistida, o oficial de registro civil não poderá exigir a identificação do doador de material genético.