Ir para o conteúdo principal

Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017

STJ publica três novas súmulas



O Livro de Súmulas do STJ foi atualizado ontem (03) e traz três novos enunciados: são os de nºs 580, 581 e 582, além de novos índices.

A Súmula nº 580 diz respeito ao termo inicial de incidência da correção monetária do seguro DPVAT: “A correção monetária nas indenizações do seguro DPVAT por morte ou invalidez, prevista no parágrafo 7º do artigo 5º da Lei 6.194/1974, redação dada pela Lei 11.482/2007, incide desde a data do evento danoso".

A Súmula nº 581 dispõe que "a recuperação judicial do devedor principal não impede o prosseguimento das ações e execuções ajuizadas contra terceiros devedores solidários ou coobrigados em geral, por garantia cambial, real ou fidejussória".

E a Súmula nº 582 registra que "consuma-se o crime de roubo com a inversão da posse do bem mediante emprego de violência ou grave ameaça, ainda que por breve tempo e em seguida à perseguição imediata ao agente e recuperação da coisa roubada, sendo prescindível a posse mansa e pacífica ou desvigiada".

Leia na base de dados do Espaço Vital todas as súmulas do STJ.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Mais súmulas do STJ

São duas. Uma trata da obrigação alimentar dos avós. A outra se refere a cláusula abusiva em contratos de planos de saúde.

STJ edita três novas súmulas

Essência dos verbetes já havia sido antecipada pelo Espaço Vital; eles agora ganharam redação definitiva e numeração. O de maior impacto trata do estupro de vulnerável.

Súmula do STJ define o que é estupro de vulnerável

Para a configuração do crime é irrelevante o eventual consentimento da vítima. Outros dois novos verbetes tratam da legitimidade do MP para ajuizar ação de alimentos em prol de crianças e adolescentes – e da responsabilidade objetiva das entidades de ensino superior.

Dezesseis novos entendimentos do STJ sobre juizados especiais

Entre eles está a tese que conceitua que causas envolvendo fornecimento de medicamentos ou tratamento médico, cujo valor seja de até 60 salários mínimos - ajuizadas pelo Ministério Público ou pela Defensoria Pública em favor de pessoa determinada - podem ser submetidas ao rito dos juizados especiais federais.