Ir para o conteúdo principal

Terça-feira, 28 de Março de 2017

Potins desta sexta-feira



  Os bichos na corte

Sem entrar no mérito acerca da PEC que pretende instituir a chamada arguição de relevância para brecar a múltipla chegada de recursos no STJ, a realidade brasileira é que - se não for por meio de emenda constitucional - algo deve ser feito.

Para se ter uma ideia do rol de ações sem sentido que aportam no chamado ´tribunal da cidadania´, vejam-se exemplos do que foi julgado pela 2ª Turma da Corte: o habeas corpus de um macaco; o imposto de importação de uma girafa; e a posse de um papagaio chamado Tafarel – cujo nome homenageava o eficiente goleiro gaúcho.

Dá para dizer que a Arca de Noé aportou na corte.

  Dupla punição possível

Quando uma pessoa sonega imposto, ela pode receber uma pena administrativa e uma pena criminal sem que isso viole o direito de não ser julgado e punido duas vezes pelo mesmo crime.

O Tribunal Europeu de Direitos Humanos entendeu que se os processos administrativo e criminal tramitam em paralelo e são complementares entre si, não há violação dos direitos do acusado.

O tribunal julgou a reclamação de dois cidadãos noruegueses, que foram multados e condenados a um ano de prisão por deixarem de pagar impostos.

Para a corte europeia, “ainda que cada punição tenha sido imposta por uma autoridade diferente, não há violação do princípio ´bis in idem´, já que fazem parte de um sistema integrado para punir e desencorajar a sonegação de tributos. O julgamento é definitivo.

Pesos pesados (1)

“Na briga entre os elefantes, quem sofre é a grama”.

Tal frase, ontem (17), na ´rádio-corredor´ do Conselho Federal da OAB, em Brasília, resume os confrontos verbais ocorridos na véspera, durante sessão do Supremo.

Os ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski – como acontece ciclicamente - não pouparam alfinetadas recíprocas.

Pesos pesados (2)
 
Gilmar Mendes ganhou adeptos nas OABs, Brasil afora, após ter dito que “o Brasil precisa de uma lei que nos obrigue a criar vergonha na cara”.

Segundo o ministro, “o STF está sendo usado para alavancar salários de espertos”.
   Expurgos inflacionários

Pautado pelo STJ para quarta-feira (16), o processo que trata de expurgos inflacionários envolvendo a Caixa Econômica Federal foi adiado por decisão do relator.

O julgamento definirá se a citação da CEF, mesmo que a ação coletiva tenha sido extinta por qualquer motivo, interrompe ou não o prazo para apresentação de ações individuais.

O recurso especial foi interposto com apoio no art. 105, III, a e c, da CF, contra acórdão do TRF da 4ª região, com a seguinte

decisão: “A interrupção da prescrição em face do ajuizamento de ação civil pública não aproveita aos que optaram por ingressar com ação individual. Sendo a ação civil pública julgada procedente, e estando a parte autora abrangida no âmbito da competência territorial, poderá executar as diferenças de correção monetária do Plano Verão, nos limites por ela definida."

A notária gaúcha aposentada Therezinha de Jesus Azeredo – que é a parte recorrente – alega contrariedade ao disposto no art. 104, da Lei nº 8.078/90, bem como violação aos arts. 202, inciso V e 203, do CC, além do art. 219, do CPC. E sustenta que, em face do ajuizamento de ACP, ocorre a interrupção da prescrição para a interposição de ações individuais concernentes à mesma matéria.

O ministro Luis Felipe Salomão recebeu memoriais dos advogados e decidiu pelo adiamento, ao mesmo tempo em que deferiu a entrada do Banco Central na causa, como ´amicus curiae´.

A próxima sessão da Corte Especial está marcada para 7 de dezembro. (REsp nº 1.233.314).
  Dois pais, uma mãe

O Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania da Comarca de Pelotas (CEJUSC), por meio do Projeto Pai Presente, do Conselho Nacional de Justiça, autorizou que duas crianças tenham dois pais e uma mãe em suas certidões de nascimento.

O pedido foi realizado pelo homem que se declarou pai socioafetivo dos dois filhos sua esposa. O pai biológico já é falecido.

O autor do pedido afirmou e comprovou que “cria, educa e ama os meninos”, requerendo sua inclusão no registro de nascimento de ambos, sem a exclusão do pai biológico. A autorização foi dada pelo juiz Marcelo Malizia Cabral.

  Menos horas extras

A Fast Shop S. A. firmou acordo judicial com o Ministério Público do Trabalho, na 16ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, comprometendo-se a respeitar o limite diário de duas horas extras.

O compromisso engloba suas cinco lojas no Estado do RS.

A empresa também pagará indenização de R$ 75 mil por danos morais coletivos e difusos, revertida para o Centro de Integração da Criança Especial (Kinder), do bairro Partenon.

Em caso de descumprimento, a Fast Shop pagará multa de R$ 3 mil por empregado de quem exigir jornadas de trabalho excessivas. (Proc. nº 0021100-05-2015.5.04.0016).


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Potins desta terça-feira

* Mulher casada de 38 anos é presa após fazer sexo oito vezes com adolescente de 14 * Sócio consegue exclusão de penhora sobre sua parte em imóvel onde moram ex-mulher e filho * Folha de S. Paulo é condenada por omitir nome de jornalista demitida em reportagem premiada * Réu do caso TRT-SP está foragido há seis meses * Empresário condenado pela fraude na construção do prédio do TRT-SP está foragido * O Brasil perde por 4 x 0... * Restaurantes em Paris e Flórida (EUA) rejeitam carnes brasileiras * Empresa condenada por pagar rescisão de empregado com cheque sem fundos * TST decidirá se American Airlines pode usar detector de mentiras no Brasil * Empresa condenada por voyeurismo de empregado no trabalho.

Potins desta terça-feira

* Padre paulista em Brasília para benzer o Alvorada e a residência oficial da Câmara * Será que Michel Temer não vê novelas? * Os sonhos de Gilmar Mendes * Políticos complicados na lista de Janot não irão às ruas pedir votos *Não se combate violência com amor”... (Jair Bolsonaro) * Odebrecht: a empresa dos sonhos? * O preço da boquirrotice de Paulo Maluf * Saiba em Porto Alegre como o Canadá lida com os crimes de maior potencial ofensivo.

Potins desta sexta-feira

* O que deve fazer, agora,  o megaempresário que comprou um político e um senador? * Lava Jato pega modelo que pousou desnuda para a revista Playboy * Quando a esposa diz ao marido que está indo ao supermercado, ela está falando a verdade?... * Construtora Andrade Gutierrez deve pagar R$ 1 milhão por danos coletivos e está proibida de descumprir interdições do Ministério do Trabalho na reforma do Estádio Beira Rio.

Potins desta terça-feira

 * STJ decidirá hoje se detentos têm direito ao banho quente nas prisões * Fornecimento de medicamento pela União é direito fundamental do cidadão * Duas pausas diárias (10 min cada) para café são consideradas horas extras * TRF-4 mantém condenação do prefeito de São Sebastião do Caí (RS) por improbidade administrativa

Potins desta sexta-feira

* Cidadão de Porto Alegre organiza ação que pede a prisão de Lula e Dilma * Advogado gaúcho nomeado para integrante da Comissão Nacional de Concurso Público Nacional para ingresso na carreira da magistratura do Trabalho * Presidente do STJ diz que  “não é fácil ser magistrado no Brasil” * Quando o INSS deixa de pagar o auxílio-doença previdenciário do trabalhador afastado, o empregador deve fazer os pagamentos * Volta à moda frase de Jô Soares nos anos 80: “Vai pra casa, Padilha” * Ameaça espiritual é extorsão e dá cadeia.

Potins desta terça-feira

* Quando o eleitor brasileiro vira o bobo da corte * As amargas páginas da vida de Marcelo Odebrecht na carceragem em Curitiba * Já são 800 réus cadastrados no “foro privilegiado” do Supremo * Uma análise estúpida sobre mulheres “menos inteligentes * Temer faz piada ou debocha? * Os alunos vips do professor Gilmar Mendes * AGU prepara novo pacote de ações de cobrança contra empresas * Alexandre de Moraes: o ministro do desempate.