Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 25 de maio de 2018.

Potins desta terça-feira



· Bobo é o eleitor

Marcelo Odebrecht disse, na semana passada, que se sente um "bobo da corte". Se for verdadeiro, o sentimento dele, talvez seja decorrência de uma dupla realidade: enquanto os políticos que Marcelo lubrificou, anos a fio, agora planam por Brasília com jatos da FAB e automóveis oficiais, enquanto o empresário tem que ficar pedindo esmolas para os carcereiros da Polícia Federal.

Os cidadãos brasileiros têm outra visão: tendo usufruído as delícias da promiscuidade, o príncipe dos empreiteiros não foi um otário.

De fato, o papel de bobo da corte tem ficado reservado, reiteradamente, para o eleitor.

· Páginas da vida

A “rádio-corredor” da OAB do Paraná informa que o estilo magoado de Marcelo Odebrecht foi notado por todos que acompanharam o seu depoimento. Advogados habituais nas idas à Polícia Federal constatam ser impossível não notar a tristeza das filhas que semanalmente visitam o pai.

A aflição delas contagia os familiares dos outros presos e até os policiais responsáveis pelo local.

· Foro vantajoso

São 800 os brasileiros atualmente réus de ações penais que tramitam sob o timbre de “foro privilegiado” no Supremo Tribunal Federal. Mau negócio para a sociedade; bom para eles.

Levantamento feito pela Fundação Getúlio Vargas trouxe um potim revelador: “nas ações penais de foro privilegiado no STF o tempo de espera de um processo para uma nova providência do ministro relator ou revisor, que era de sete dias em 2002, saltou para 42 dias em 2015”. Entre idas, esperas e vindas, a conjunção de repente chega à prescrição.

Os dados de 2016 estão sendo tabulados e devem ficar na mesma matemática e mesma lerdeza.

· Análise estúpida

Em plena semana do Dia Internacional da Mulher, o deputado polonês Janusz Korwin-Mikke causou revolta no Parlamento Europeu durante um debate sobre diferença salarial. Em um discurso sexista, o político afirmou que “mulheres deveriam ganhar menos por serem menos inteligentes".

Imediatamente, a espanhola Iratxe García, colega de Parlamento, repudiou: “Eu sei que te dói e te preocupa saber que as mulheres possam estar representando os cidadãos de igual para igual. Eu venho defender as mulheres europeias de homens como você”.

Korwin-Mikke é conhecido por comentários preconceituosos e racistas. A biografia dele registra, entre outros absurdos, que em 2014 ele discursou sobre o desemprego se referindo aos negros como "niggers" - usado pejorativamente.

· Piada ou deboche?

Michel Temer confirmou Romero Jucá como líder do governo no Senado.

Como se chama isso, mesmo?

· Alunos do ministro

Cinco deputados federais estudam no Instituto Brasiliense de Direito Público, que tem como sócio o ministro Gilmar Mendes (STF). São: Mariana Moraes (PSDB-RO), Domingos Neto (PSD-CE), Expedito Gonçalves (PSD-RO) e Rafael Motta (PSB-RN) que cursam mestrado em Administração Pública. E Vinicius Carvalho (PRB-SP) faz máster em Políticas Públicas e Controle da Administração.

A propósito, em São Paulo, o IDP bateu a UNB, no último Exame de Ordem.

· A verba da negligência

Numa época de finanças amargas, a Advocacia Geral da União prepara um novo pacote nacional de cobrança contra empresas, cujos funcionários sofreram acidentes de trabalho por negligência das empregadoras. O objetivo é buscar o dinheiro gasto com benefícios do INSS, decorrente das ocorrências.

De 2010 a 2016 foram ajuizadas 4.070 ações do gênero. A expectativa de ressarcimento é de R$ 737 milhões, dos quais por enquanto apenas R$ 27 milhões entraram nos cofres públicos no período.

· O ministro do desempate

Tão logo Alexandre de Moraes assuma no STF, ele terá que desempatar (está 5×5) votação de grande interesse dos trabalhadores.

A questão é esta: União, Estados, Municípios e órgãos das administrações direta e indireta continuarão sendo responsabilizados quando empresas terceirizadas que contratarem não cumprirem suas obrigações trabalhistas?

Se o novo ministro descartar o vínculo, milhares de trabalhadores terceirizados poderão, em breve, estar sem salário, sem emprego, sem verbas rescisórias e sem ter a quem cobrar tudo isso.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Potins desta terça-feira

 Maior jornal da Inglaterra diz que “Sérgio Moro é “o homem que encerrou cinco séculos de impunidade no Brasil”.

 Governo acaba de criar mais um elefante branco: o SUSP, irmão do SUS.

•  STF vota na quinta-feira (24) proposta de nova súmula vinculante.

 Quando a “utilidade política” prevalece sobre a utilidade pública...

 Embaixadas para Temer, Moreira e Padilha – se Alkmin for Presidente da República. Mas ele nega.

• População com 60 de idade, ou mais, estará superando os moços de 16 a 24 anos, nas eleições de outubro.

 Impasse no TST para tentar orientar decisões uniformes em ações trabalhistas.

 Prorrogação do benefício de salário-maternidade, em decorrência de parto prematuro.

Novo slogan de Temer vira piada nas redes sociais

• A importância da vírgula: o presidente diz que “o Brasil voltou, 20 anos em dois”.

• Mas há quem ironize: “o Brasil voltou 20 anos em dois”.

 Uma busca e apreensão – por engano – na casa do secretário adjunto do CF-OAB.

 A prescrição que agrada banqueiros.

 Gilmar Mendes prevê uma avalanche processual nos foros e tribunais, Brasil afora.

 Quanto é dois mais dois?

• Uma análise de Joaquim Barbosa sobre o sistema político brasileiro.

Potins desta sexta-feira

• Presença estranha deixa magistradas assustadas em importante reunião na Universidade de Harvard.

•  Governo brasileiro exclui entidades da lista de convidados para a reunião anual da Organização Internacional do Trabalho.

•  Temer torce pela vitória de Henrique Meirelles: quer ser ministro da Justiça a partir de 2 de janeiro.

•  Empresas envolvidas em desastres ambientais só pagaram 3,4% das multas ambientais, que totalizam R$ 785 milhões.

•  Quem são os políticos, empresários e magistrados alfinetados nos voos comerciais brasileiros.

• O largo par de headphones que faz Luiz Fux não ser incomodado quando voa de Brasília ao Rio, e vice-versa.

Potins desta terça-feira

• Nova súmula do STJ publicada: prazo para seguro de vida cobrir suicídio

 Decisão da 2ª Seção do tribunal também cancelou a Súmula nº 61

 O aumento do tesão financeiro dos donos de motéis.

 Filha de Eduardo Cunha concorrerá a deputada federal como herdeira política do pai.

 A queda da arrecadação das maiores centrais sindicais do país.

 Impasse entre herdeiros da travesti Rogéria, falecida em 2017.

Potins desta terça-feira

 Advogado revela novo ponto de domínio dos flanelinhas em Porto Alegre.

• Eleições para a OAB-RS serão na última semana de novembro, no Gigantinho.

 Novas banheiras de hidromassagem para deputados federais.

 Fale com “Mister Bud”: ele anuncia os benefícios e malefícios da maconha.

• Mais da metade dos 640 mil orelhões espalhados pelo Brasil não são utilizados um minuto sequer.

• Qual o ministro preferido de Temer? Dou-lhe um, dou-lhe dois, dou-lhe três...

 Cinco procedimentos no CNJ contra desembargadora que ofendeu a falecida vereadora Marielle e pessoas com síndrome de Down.

Potins desta terça-feira

• FAB confirma ocorrência de diálogos ofensivos a Lula, durante voo de Congonhas a Curitiba.

• Advogado do ex-presidente pede apuração do “atentado”.

• Jorge Luis Dall´Agnol será o próximo presidente do TRE-RS.

• O enterro legislativo da Medida Provisória nº 808.

• Interessante decisão do TST em ação envolvendo demissão durante a vigência de contrato temporário.