Ir para o conteúdo principal

Terça-Feira, 17 Outubro de 2017

O pinto da comarca



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

O desembargador lecionava, na associação de juízes, que os jovens magistrados deveriam se relacionar claramente com a imprensa e com a sociedade, sem o uso do juridiquês, e falando simples e objetivamente. E contou uma historinha coloquial de como uma comunicação malfeita pode causar problemas.

* * * * *
O vigário da cidade de uma comarca de entrância inicial tinha, como mascote, um pinto (pintinho, nascido via ovo de galinha), chamado Valente. Certo dia, o pinto Valente desapareceu, e o religioso imaginou que alguém o havia furtado. No domingo, à hora do sermão, o padre perguntou à comunidade:

- Alguém de vocês aqui tem um pinto?

Todos os homens se levantaram.

- Não, não, disse o vigário, não foi isso que eu quis dizer. O que eu quero saber é se algum de vocês viu um pinto?

A maioria das mulheres levantou a mão.

- Não, não, repetiu o vigário. O que eu quero dizer é se algum de vocês viu um pinto que não lhes pertence.

Metade das mulheres se levantou.

- Não, não! - voltou o vigário, já se atrapalhando. Vou formular melhor a pergunta. O que eu quero saber é se algum de vocês viu o meu pinto?

Duas freiras sinalizaram.

- Esqueçam, esqueçam - atalhou o padre. Vamos continuar a missa!

* * * * *
Na aula para os noveis magistrados, o desembargador fez a comparação arrematadora:

- Comunicação malfeita dá nisso!


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Gerson Kauer

Pernas maravilhosas

 

Pernas maravilhosas

A fábrica brasileira de calçados deu asas a um italiano. Ele era representante de empresa estrangeira que adquiria produtos fabricados na região calçadista. Mas passou a ter interesse paralelo nas pernas das empregadas da indústria...

Gerson Kauer

“Você não está filmando, né?...”

 

“Você não está filmando, né?...”

Cenas íntimas - de um casal que se formou na balada - pulularam na Internet. Depois virou caso judicial, com ações penal e cível. No julgamento desta, o juiz registrou que “mesmo que ela tivesse consentido com as gravações, jamais estava o parceiro sexual autorizado à divulgação posterior.

Gerson Kauer

O “Doutor Encoxador”

 

O “Doutor Encoxador”

Segundo a denúncia na ação penal, “o médico ordenava que as pacientes mantivessem respiração ofegante, também encoxando-as, enquanto introduzia sobre seus seios uma de suas mãos, alegando ser necessário para o perfeito exame de toque aferidor dos pulmões”.

Gerson Kauer

Dona Merca, com ´c´. Ou com ´d ´ ?

 

Dona Merca, com ´c´. Ou com ´d ´ ?

Tarde escaldante, juiz, advogados, partes e serventuário tomam fôlego e levam adiante uma audiência conciliatória. O magistrado logo pergunta à autora da ação: “O seu nome está correto?...”

Gerson Kauer

A fortuna do “Padre Eros”

 

A fortuna do “Padre Eros”

Na cidade de 150 mil habitantes, o padre -  filho único - herdara todo o patrimônio deixado por seus pais. Era um homem rico - todos sabiam. Liberal, o religioso não obedecia ao celibato.  Metade dos paroquianos sabia que ele mantinha uma união “semi-estável” com uma mulher de meia idade, com quem tinha encontros matinais.

Charge de Gerson Kauer

O juiz papador

 

O juiz papador

Era uma ação trabalhista em que o porteiro de um motel reclamava horas extras. A petição inicial juntou fotos com as placas de automóveis que eram ´habituês´ nas incursões românticas.  E requereu que o Detran informasse os nomes dos proprietários dos clientes assíduos...