Ir para o conteúdo principal

Terça-feira, 23 de Maio de 2017

Provimento do TRT-4 deve solucionar impasse entre 56 juízes e a advocacia



A reunião entre a direção do TRT da 4ª Região e lideranças da advocacia gaúcha – realizada na sexta-feira (3) na sede do tribunal – deve resultar, nas próximas horas, na edição de um provimento pela corte trabalhista.

A expectativa, após as conversas, propostas e contrapropostas – de que participaram desembargadores e representantes da OAB-RS, Agetra, Abrat e Satergs é a de que o documento inibirá a intromissão que aproximadamente 50 dos 241 magistrados trabalhistas de primeiro grau vêm cometendo, em matéria civil de honorários contratuais.

O encontro, bastante cordial, não foi no “salão nobre” da presidência - onde haviam faltado cadeiras na reunião anterior, realizada em 16 de fevereiro - mas na sala 506-A do prédio sede do TRT4. Compareceram a direção da Casa (quatro pessoas) e 20 visitantes.

Embora o sigilo com que a redação do documento vem sendo conduzida, uma “fonte da casa” disse ontem (5) ao Espaço Vital que “o provimento será aproximadamente o esperado pela advocacia gaúcha e vai indicar o caminho da legalidade dos procedimentos”.

Seus principais tópicos serão:

1. Reconhecimento da validade dos mandatos;

2. Reafirmação da natureza alimentar dos honorários advocatícios;

3. Determinação para a liberação dos alvarás em nome das partes e dos respectivos procuradores. As expedições serão simultâneas, mas com entrega de ambos os documentos ao respectivo advogado do(a) reclamante;

4. Se o juiz quiser detalhar as verbas, deverá antes ouvir o advogado que, mediante simples petição, informará o percentual dele e o do cliente. Esse detalhe será conveniente para efeitos tributários de reclamante(s) e advogado(s).

5. Quando a defesa do reclamante tiver sido exercida por sociedade de advogados, o alvará será expedido em nome desta.

Tudo se encaminha para que a paz seja selada ainda esta semana.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

As queixas dos advogados gaúchos

 

As queixas dos advogados gaúchos

Dados de uma enquete realizada pela OAB-RS com 50 mil profissionais e levantamento realizado pelo Espaço Vital, que colheu 2.131 respostas, revelam que 65% dos profissionais da advocacia não conseguem acesso pessoal com magistrados. E o mesmo percentual de advogados reclama contra a demora na expedição de alvarás.

Mais três dias para dizer quais são as melhores varas

E as piores também! O Espaço Vital está ouvindo a opinião de advogados e estagiários. Formulários eletrônicos para avaliar Varas Estaduais, Federais e do Trabalho podem ser enviados até quinta-feira (11), às 12h.