Ir para o conteúdo principal

Sexta-feira, 23 de Junho de 2017
http://espacovital.com.br/images/mab_123_12.jpg

A punição financeira da juizite



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

 

 Chinelada financeira no bolso da toga do juiz

O juiz do Trabalho Bento Luiz de Azambuja Moreira, que suspendeu em 2007 uma audiência porque o reclamante - um trabalhador rural - usava chinelos, deverá ressarcir à União os R$ 12,4 mil pagos ao lavrador a título reparação moral. A sentença é do juiz federal Alexandre Moreira Gauté, da 1ª Vara Federal de Paranaguá (PR). Não há trânsito em julgado.

Recordando o triste ato de juizite, o caso aconteceu no município de Cascavel (PR). Foi na cidade do oeste paranaense que o juiz Bento, ao perceber que o trabalhador Joanir Pereira calçava chinelos, determinou que ele saísse da sala. O magistrado logo disse aos advogados presentes que a audiência não seria realizada porque a falta de sapatos fechados "atenta contra a dignidade do Judiciário". À época, o caso foi divulgado com primazia nacional pelo Espaço Vital e teve imediata repercussão nacional e internacional.

A sentença cível considerou agora que a atitude de Bento tem reflexos administrativos, portanto ele deve ser responsabilizado civilmente pelo dano causado, mesmo que tenha agido sem dolo e s[o culposamente. A decisão refere que “quando o juiz decide que uma pessoa somente pode ser ouvida em audiência se estiver vestindo determinado tipo de roupa não há nada de jurisdicional”.

O magistrado sentenciante da ação ajuizada pela União considerou que o juiz Bento agiu com culpa grave, pois "era absolutamente previsível o abalo moral causado ao autor da reclamatória trabalhista pelo adiamento da audiência, cujo motivo foi apenas o fato de ele não estar usando sapatos fechados".

Bento atualmente exerce a jurisdição na 21ª Vara do Trabalho de Curitiba. (Proc. nº 5000622-16.2013.4.04.700).

Leia a íntegra da sentença que condena o juiz

 Marcela no supermercado?

Na quarta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, o presidente Temer disse, entre outras coisas, que “na economia a mulher brasileira tem grande participação – e ninguém mais é capaz de indicar os desajustes de preços no supermercado do que ela”.

E por aí o presidente se foi: “Ninguém é capaz de melhor detectar as eventuais flutuações econômicas que a mulher, pelo orçamento doméstico maior ou menor".

A “rádio-corredor” do Conselho Federal da OAB não perdeu tempo e logo lançou a pergunta: “Será que a primeira dama Marcela vai ao supermercado?”

Há controvérsias...

 Vale a pena tentar

Decisão proferida anteontem (8) na 43ª Vara Cível do Rio de Janeiro concedeu liminar a favor de 41 pais de alunos do Lycée Molière, o afamado colégio carioca-francês bilíngue, frequentado por filhos de pais abastados.

A ação coletiva foi contra o aumento, em plena crise, de até 18% nas mensalidades, que já custavam R$ 3 mil.

Todos os pais depositaram o valor das mensalidades sem o reajuste e o montante ficará retido em juízo até uma solução.

A ideia pode animar outros pais brasileiros, país afora. Inclusive Porto Alegre.

 O secretário da in-segurança

Seis meses e uma semana depois de assumir a Secretaria da Segurança do Estado, o político Cezar Schirmer tem números piores do que seu antecessor: na sua gestão houve uma alta de 12% nos latrocínios e 10% nos homicídios. E por aí se vai.

Símbolo do PMDB gaúcho, Schirmer ocupou, antes, três vezes o cargo de secretário em diferentes pastas no Palácio Piratini.

Prefeito de Santa Maria em dois mandatos, teve a trajetória ali marcada negativamente pelo incêndio da boate Kiss, em janeiro de 2013, logo depois de reeleger-se. A história do alvará expedido pela Prefeitura para o funcionamento da trágica casa noturna nunca ficou bem esclarecida.

É mansa a fala dele com explicações (?) sobre a crise estadual de insegurança. E a sociedade gaúcha está perdendo a paciência.


Comentários

Rafael De Faria Corrêa - Advogado 10.03.17 | 19:50:46
O secretário da IN-SEGURANÇA Cezar Schirmer é um dos piores políticos do RS, sempre foi puxa-saco, desde a época do governador Simon; quem conhece esse senhor sabe o que estou dizendo.
Jorge Luís Miranda Abeljor - Advogado 10.03.17 | 17:04:05
Parabéns ao juiz federal Alexandre Moreira Gauté, da 1ª Vara Federal de Paranaguá (PR) ao dar uma chinelada no bolso do colega. É de juiz deste quilate que a nossa sociedade clama!
Nedson Culau - Advogado 10.03.17 | 14:35:28
Relembrando: anos atrás, a OAB do Paraná disponibilizava "roupa adequada" para que os cidadãos/clientes pudessem "participar" das audiências. Fiz uma critica feroz a tal atitude da entidade pois acaso "sua excelência deus" vislumbrasse uma "indignidade", ela - que ganha mais de 100 mil hoje, entre salários e penduricalhos - que tirasse dinheiro do bolso e comprasse o "traje adequado" para que os servos se apresentassem à sua frente...
Banner publicitário

Mais artigos do autor

Leilão judicial de duas galinhas avaliadas em R$ 65

  Constrição das aves é desdobramento de uma dívida original de R$ 146. Ação judicial tramita desde outubro de 2013.

 O pé” do Pezão gaúcho: o STF livra o secretário da Fazenda do RS Giovani Feltes (PMDB).

  Pesquisa revela que operários de canteiros de obras, 70% opinam que “a Lei Maria da Penha não pegou”. Assim, vale bater!

  Fraude trabalhista prejudicou motorista contratado para trabalhar como pessoa jurídica.

Proposta de júri popular para julgar políticos brasileiros corruptos

  A sugestão começa a receber apoios: eles já são mais de 20 mil. Cidadãos interessados podem acessar e consultar o link no saite do Senado.

  Uma ação cível e uma ação penal de Temer contra Joesley Batista.

  A responsabilidade solidária entre diferentes UNIMED.

 STF nega recurso de desembargador aposentado por agir de forma parcial.

Muitas críticas contra Gilmar Mendes

  Mas o presidente do TSE sustenta que “a cassação da chapa Dilma-Temer lançaria o país em quadro de incógnita”.

 Confirmada a “chinelada financeira” no bolso de juiz do Trabalho.

  WhatsApp deixará de funcionar em smartphones antigos.

  Liminar da Justiça do Trabalho contra a Hyundai Caoa do Brasil

A roubalheira pode ter chegado a dois trilhões e um bilhão em 45 anos

• O total dos afanos e dos sobre preços (estes, a uma média de 35%) chegam a um espantoso prejuízo que, para ser escrito em numerais, tem 16 dígitos.

 Índios, parasitas e avestruzes na sessão do TSE.

• R$ 1 bilhão e 100 milhões para comprar milhares de doses do remédio Soliris, um dos mais caros do mundo

Médico usava seu próprio esperma para inseminar mulheres

 Dono de uma clínica de fertilidade na Holanda é, provavelmente, o pai de 43 filhos de clientes suas. Ele disse ter agido assim “pelo bem da humanidade”.

  Fátima Bernardes anuncia, afinal, que “não é mais garota-propaganda da Seara”. Mas uma cláusula de confidencialidade proíbe que ela dê detalhes.

  Números assustadores: 29 mil pessoas estão “enroladas” no Brasil.

  A constatação de provável cura de doença grave não autoriza a revogação de isenção de Imposto de Renda de aposentado.