Ir para o conteúdo principal

Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017

O constrangedor erro do “copia/cola



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Era um processo volumoso, antigo e complicado, de rescisão contratual de representação comercial. O estagiário tinha posto os volumes em ordem e pulverizara álcool 70 para eliminar os ácaros. A sentença não satisfizera as duas partes.

Em grau de apelação, o assessor recebeu os memoriais finais e se pôs-se a lê-los, antes de minutar o projeto de voto, que submeteria à leitura minuciosa e à aprovação do douto e sempre presente desembargador.

De repente, os olhos do assessor se arregalaram. Em meio ao item 7, iniciado por grandes digressões jurídicas, havia um trecho surpreendente: “Ter relações na parte da manhã impulsiona tanto o nosso estado de espírito como o nosso sistema imunológico”.

E por oito parágrafos densos seguiram-se revelações mais pertinentes a um livro de Sexologia, do que a uma peça dita jurídica.

O assessor resolveu exibir ao magistrado. E entre frases insinuantes (que talvez pudessem ser 69 – ninguém se deu ao trabalho de contar...) os dois leram preciosidades, neste padrão: “A Revista Lifestyle Mirror recentemente publicou que o sexo regular aumenta o fluxo sanguíneo e diminui os hormônios do estresse no organismo, que causam estragos na pele” (...) “De acordo com a US National Library of Medicine, as pessoas que fazem mais sexo possuem pressão arterial muito mais baixa”. E por aí se ia.

Até que uma frase foi mais reveladora: “Minha amada... (seguia-se um nome feminino), de acordo com a Revista Women's Health, a estimulação vaginal pode aliviar dores crônicas nas costas, dores nas pernas, dores de cabeça e enxaquecas”.

O magistrado orientou o assessor a que ligasse ao advogado pessoalmente, resumindo a surpresa, para sugerir-lhe que requeresse que, “para sanar erro de copia/cola, fossem tarjadas de preto todas as frases e expressões equivocadamente postas e que refogem ao debate jurídico”. A petição deveria ser levada em mãos diretamente na câmara cível, para evitar escorregões e vazamentos protocolares.

O advogado desculpou-se, digitou rápido e em menos de uma hora chegou ao TJ, onde foi recebido pelo desembargador numa das salas de sessões (vazia), convenientemente sem terceiros intrusos. O anfitrião foi educado (“Essas coisas acontecem”) e sintético ao despachar a petição: “Junte-se. Defiro. Tarje-se”!

Três minutos depois, agradecido, o advogado saiu vermelho e suado... Tudo o que fora capaz de ruborizá-lo estava definitivamente encoberto por espessa tinta preta.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

O que (também) se faz no casamento?

 

O que (também) se faz no casamento?

Era o julgamento de uma apelação que buscava a anulação de um casamento, porque o homem se recusava ao relacionamento sexual. Até que o desembargador vogal descontraiu a discussão jurídica: “Dentre as finalidades do casamento está o relacionamento sexual - embora ninguém case só para isso, mas case também para isso”.

Charge de Gerson Kauer

Audiência de acareação

 

Audiência de acareação

Defronte ao juiz, no foro e perante os habituais personagens da cena forense, quase um engano atroz da idosa vítima de um crime sexual. Ela não identifica o preso como o autor da violência. E, espantosamente, ela passa a desconfiar do advogado de defesa!...

Charge de Gerson Kauer

O advogado, a juíza e o galo eficaz

 

O advogado, a juíza e o galo eficaz

É época de grande feira de tecnologia agropecuária e agroindustrial. Um profissional da advocacia (também exitoso fazendeiro e ágil criador e exportador de galinhas) está junto ao balcão do bar do hotel cinco estrelas, empunhando uma taça de champanhe. De repente, aproxima-se uma magistrada – conhecida dele - que denotava felicidade.

Charge de Gerson Kauer

Sexo tântrico interrompe festinha infantil

 

Sexo tântrico interrompe festinha infantil

De repente, bateu o telefone no quartel da Brigada, numa cidade da fronteira gaúcha. A voz reclamante denotava irritação: “Tem um casal tarado, fazendo sexo de tal jeito, na casa aqui ao lado, que está escandalizando as crianças que vieram ao aniversário do meu filho”.

Charge de Gerson Kauer

A banheira do Foro Central

 

A banheira do Foro Central

Em meio às obras de reforma do prédio antigo, a descoberta no subsolo: uma banheira! Não era nova, tinha indícios de uso, exibia arranhões – o que afastava especulações de que se tratasse de uma extravagância nova de algum ordenador de despesas. Então surgiram as brincadeiras compreensíveis que se misturaram a boatos absurdos.