Ir para o conteúdo principal

Sexta-feira, 21 Julho de 2017

Para enfrentar a violência econômica contra a mulher



Está em tramitação no Senado um projeto de lei que proíbe as empresas de pagarem salários diferenciados para homens e mulheres que tenham a mesma função ou atividade profissional. Em caso de descumprimento, incidirá multa equivalente a 12 vezes o salário que a mulher deveria receber.

O texto, de autoria do senador Benedito de Lira (PP-AL), está disponível para consulta no saite do Senado. Internautas podem votar se são contra, ou a favor, do projeto. “A violência contra a mulher não é apenas a física, mas também a moral e a econômica” - diz o senador.

A propósito, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, as mulheres brasileiras seguem recebendo salários menores do que os dos homens, em média.

Em 2015 (ano mais recente da pesquisa), os homens recebiam, em média, R$ 490 a mais – um percentual de 24%. O salário médio masculino foi de R$ 2.012; o feminino, R$ 1.522.

Qual a sua opinião sobre o projeto? Se tiver interesse, vote: http://bit.ly/PLS59-2017.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Dilma sanciona a lei que regulamenta o direito de resposta

A Associação Brasileira de Imprensa diz ter “fundada preocupação de que a nova legislação, diante das áreas de sombra que envolvem o novo texto, seja utilizada como álibi para garrotear a liberdade de expressão e intimidar o trabalho investigativo da imprensa”. Conheça a íntegra da nova norma.

Mudanças no novo CPC que ainda não entrou em vigor

Senado reconvoca comissão de juristas para restabelecer rito de admissibilidade nos recursos especiais e extraordinários. Ideia é mexer nos artigos nºs 1.027 a 1.041, para atender a pedidos de ministros do STJ  e do STF.