Ir para o conteúdo principal

Terça -feira, 15 Agosto de 2017

Mensagens explícitas e subliminares da Globo “abusam, ferem e vitimam mulheres



Arte de Camila Adamoli sobre foto UFPE

Imagem da Matéria

Acusado de assédio sexual pela figurinista Susllem Tonani, o ator José Mayer pode ser indiciado em um inquérito policial. A figurinista foi chamada a depor, o que vai acontecer nos próximos dias. "Convoquei a anunciada vitima e estou aguardando a sua presença. Tudo vai depender do depoimento dela para que eu possa chamar, ou não, o ator José Mayer para também falar sobre o caso" - disse o delegado Rodolfo Waldeck, titular da 32ª Delegacia Policial do Rio de Janeiro (bairro Taquara, em que se situa o estúdio das novelas da Globo).

Desde 2009, no artigo 213 do Código Penal Brasileiro consta que "constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso poderão ser enquadradas como estupro".

A figurinista publicou sua denúncia no blog #Agoraéquesãoelas, da Folha de S. Paulo, referindo que o assédio de Mayer aconteceu há oito meses, durante as gravações da novela "A Lei do Amor", que terminou há poucos dias. O ator fazia elogios de início, mas depois começou a constrangê-la e por fim tocou em suas partes íntimas.

Duras críticas de juíza à Rede Globo

A juíza Roberta Araújo, titular da 14ª. Vara do Trabalho de Recife (TRT-6) publicou em sua rede social, no Facebook, um questionamento sobre o que considera contradições apresentadas pela Globo, que resolveu afastar das suas funções o ator José Mayer por assédio e advertir o apresentador do Vídeo Show, Otaviano Costa por “rir de atitude machista no BBB”.

O comentário inflamou a discussão sobre machismo e respeito às mulheres e viralizou na internet.

Queridas, antes de divulgar e exultar com a postura da Globo em ´punir´ José Mayer por assédio ou afastar Otaviano Costa do vídeo show por rir de atitude machista do Big Brother lembrem-se de que foi a Globo que universalizou entre nós a cobiça por Anita, apresentada como uma “ninfeta” ousada que seduzia um homem casado e com idade de ser seu pai.

Foi a Globo que nos apresentou Angel, uma adolescente que permeou o imaginário dos desejos mantendo um ardoroso caso com o marido da sua própria mãe.

Foi a Globo que em Laços de Família envolveu o Brasil na polêmica trama em que a jovem filha rouba Edu, o namorado da mãe, interpretado por Reynaldo Gianecchini.

Foi a Globo que em Avenida Brasil nos trouxe como núcleo de comédia a trama com três mulheres envolvidas com o mesmo homem - o empresário Cadinho – e que declinam das suas vidas e dignidade para se sujeitarem a viver com ele, mesmo após se descobrirem enganadas.

Em Império, a Globo preencheu o imaginário de desejos com a trama do charmoso Comendador que mesmo casado com Marta mantinha um fogoso affair com uma menina mais jovem que sua própria filha.

Foi a Globo que fez o Brasil se divertir com o programa Zorra Total, que tinha em seu quadro principal duas amigas em um vagão, sendo uma delas, a Janete, bolinada de várias formas e tocada em suas partes íntimas com a batuta de um maestro enquanto a sua amiga Valéria , ao invés de defendê-la, dizia: “Aproveita. Tu é muito ruim, babuína. Se joga.”

Então, queridas, quando essa emissora diz em nota que ´repudia qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito´ está, em verdade, sendo dissimulada e ofensiva, por nos considerar alienadas ou parvas. A verdade é que a Rede Globo coisifica as mulheres, naturaliza a violência, os abusos e assédios, incentiva o desrespeito, ridiculariza o papel e a posição da mulher e subalterna nossa dignidade.

São mensagens explícitas e subliminares como as que a Rede Globo universaliza e crava no imaginário masculino brasileiro que estupram, abusam, ferem e vitimam milhares de Mirellas que habitam entre nós”.


Comentários

Maria Lucia Haas Cardon - Advogada 12.04.17 | 16:18:32
Sou a favor de direitos iguais. Mas com tantos canais de TV à disposição, por que ficar criticando? Mude de canal, cada um vê o que quer. A pergunta que não quer calar: todas as mulheres são "pobres vítimas" e os homens vilões? E quando as mulheres agridem, pode? 1.Sexualmente,(des)vestidas e vulgares; 2.Verbalmente a ponto de esgotar a paciência; 3.Físicamente. (sim, elas agridem); 4.Desrespeitosas. Direitos são para todos, mas precisamos fazer jus 
Joao Jeronimo Rego Das Neves - Advogado 12.04.17 | 09:50:30
Apoio integralmente o combate à hipocrisia e à dissimulação. Há alguns anos estou evitando a Globo e o seu maléfico conteúdo. Afirmo com orgulho cívico que NUNCA assisti qualquer das apresentações do BBB e mudo de canal quando são apresentadas chamadas do BBB. Há muito anos não assisto o Faustão, nem qualquer das novelas da Globo, nem os seriados produzidos por ela. Parabéns Dra. Roberta Corrêa de Araujo!
Nei Antônio Zardonei Antônio Zardo - Advogado 11.04.17 | 16:32:26
Quero parabenizar a Doutora Roberta, que se expressa - não como juíza, no caso - como cidadã, pela sua coragem e clareza com que aborda os absurdos que a Rede Globo golpeia o povo brasileiro. Desculpem o linguajar, mas é o verdadeiro "pregar moral de cuecas" da Globo, agora se travestindo de moralista. Isso tudo, cara magistrada, sem falar da apelação em homossexualismo e cálidos beijos entre pessoas do mesmo sexo. Essa vergonha é, sim, uma grande falta de respeito com nosso povo.
José Nunes De Sousa - Advogado 11.04.17 | 10:28:59
Tem gente que parece que não trabalha, ficando só assistindo novelas e seriados exibidos pela TV Globo.
Raul Fernando Segabinazzi - Advogado 11.04.17 | 10:12:12
Finalmente alguém com um pouco de inteligência acima da média faz uma crítica a essa emissora que nada acrescenta à moral e aos bons costumes da sociedade. É hora de iniciar um processo para calar a difusão das mensagens imorais que a Rede Globo vem incutindo na sociedade brasileira.
Banner publicitário

Notícias Relacionadas