Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 18 de maio de 2018.

Potins sobre propinoduto, apelidos engraçados , o preço de emendas legislativas etc.



Feliz happy hour

Dinheiro mal havido compra quase tudo. Com dinheiro do propinoduto, o ex-gerente de serviços da Petrobras, Pedro Barusco, comprou (e pagou!) US$ 240 mil por dez garrafas de grandiosos vinhos tintos franceses da Borgonha. Quando a coisa apertou, ele conseguiu esconder os vinhos na casa de Rogério Araújo, ex-diretor da Odebrecht.

Observaram bem? Preço unitário por garrafa: US$ 24 mil.

Mais tarde, com a delação assinada, Barusco fez sua esposa buscar os vinhos no esconderijo. Ele deve estar aproveitando a bebida agora, ao longo de sua prisão diferenciada: condenado a 18 anos e 4 meses em regime aberto, deve usar tornozeleira por dois anos, não podendo sair de casa entre 20 horas e 6 horas.

• A verba de “casa”

A direção da Odebrecht estimulava a corrupção. Em 2014 o prêmio rateado entre os executivos que instrumentavam o propinoduto foi de US$ 8 milhões (R$ 25,6 milhões, em números redondos atuais). Muita coisa foi paga lá fora.

Mas os que tinham, obrigatoriamente, que receber no Brasil eram “pagos” em reais.

•  Não era brincadeira

Parecia apenas brincadeira, mas a criatividade dos executivos da Odebrecht para criar apelidos a beneficiados de valores repassados pela empresa objetivava que os funcionários do “baixo clero” da área que fazia os repasses irregulares não ficassem sabendo para quem ia o dinheiro.

Na semana passada ficou-se sabendo a confirmação de que Manoela d´Avila era o “Avião” e que Sérgio Zambiasi era o “Zambão”. Outras curiosidades: “Coxa” (Gleisi Hoffmann), “Fodão” (Eliseu Padilha), “Fodinha” (Frederico Antunes), “Aquático” (João Fischer Fixinha), “Aspirina” (Angela Amin), Balzac (Yeda Crusius), Barbie (Martha Suplicy), Belém (Geraldo Alckmin). E por aí...

As pessoas que negociavam com as “autoridades” é que escolhiam os codinomes. Como não havia um centralizador nas operações, o mesmo beneficiado aparece, às vezes, com mais de um apelido.

 Questões de segurança

Por questão de segurança, Michel Temer e Rodrigo Maia não mais viajam no mesmo avião da FAB. Sempre que vão para o mesmo destino, o presidente da Câmara embarca no avião reserva da Presidência. É um cuidado objetivo.

Tem também o cuidado subjetivo. Quando Moreira Franco (sogro) tem que ir junto, pede para embarcar na aeronave de Rodrigo Maia. É uma sinalização de que, em qualquer situação crítica ou de risco, o Angorá se sentirá mais confortável na companhia do genro.

 As “soluções” da Braskem

Em meio às páginas dos grandes jornais brasileiros recheados com os escândalos políticos, chamou a atenção um avermelhado anúncio de Páscoa, destacando um grande ovo embrulhado em lindo papel dourado. Título “As soluções da Braskem também deixam a vida mais doce”.

O texto não dedica uma só palavra ao propinoduto, mas lembra que “o plástico está presente no armazenamento de ingredientes que levam as delícias de Páscoa às pessoas”. No arremate, três lembretes: “Tem Páscoa, tem chocolate, tem Braskem!”.

• Você já sabe...

... Mas não custa lembrar: a Braskem, constituída em 2002 já como a maior petroquímica da América Latina, controlada pelo grupo Odebrecht, juntou-se à Petrobras e à Ultrapar em 2007, no que foi a maior incorporação da história do Brasil: a aquisição do Grupo Ipiranga por US$ 4 bilhões. Enquanto a Petrobras e a Ultrapar compartilharam as operações de distribuição de combustível, a Braskem assumiu a Ipiranga Petroquímica, e também incorporou em 2009 os ativos da Petroquímica Triunfo.

Atualmente, a Braskem possui 40 unidades industriais, das quais 29 plantas se localizam no Brasil; cinco estão nos EUA, duas na Alemanha e quatro no México.

 Nem no Paraguai...

Romero Jucá, notório líder do governo no Senado, saiu-se com uma pérola, em entrevista ao jornalista Jorge Bastos Moreno, de O Globo, ao tentar defender-se da especulação de que recebera propina da Odebrecht para enxertar emendas.

Do alto da sua honestidade, Jucá disse “não ter sentido algum pensar que se vende emendas legislativas por R$ 150 mil. É uma piada! Com esse valor não se vende emenda nem na feira do Paraguai”.

 Na feira brasileira...

No Conselho Federal da OAB escutou-se ontem, via “rádio-corredor” que “a explicação de Jucá sugere que na feira do Congresso do Brasil é bem maior”.

Algo como, pelo menos, dez vezes mais.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Novo slogan de Temer vira piada nas redes sociais

• A importância da vírgula: o presidente diz que “o Brasil voltou, 20 anos em dois”.

• Mas há quem ironize: “o Brasil voltou 20 anos em dois”.

 Uma busca e apreensão – por engano – na casa do secretário adjunto do CF-OAB.

 A prescrição que agrada banqueiros.

 Gilmar Mendes prevê uma avalanche processual nos foros e tribunais, Brasil afora.

 Quanto é dois mais dois?

• Uma análise de Joaquim Barbosa sobre o sistema político brasileiro.

Potins desta sexta-feira

• Presença estranha deixa magistradas assustadas em importante reunião na Universidade de Harvard.

•  Governo brasileiro exclui entidades da lista de convidados para a reunião anual da Organização Internacional do Trabalho.

•  Temer torce pela vitória de Henrique Meirelles: quer ser ministro da Justiça a partir de 2 de janeiro.

•  Empresas envolvidas em desastres ambientais só pagaram 3,4% das multas ambientais, que totalizam R$ 785 milhões.

•  Quem são os políticos, empresários e magistrados alfinetados nos voos comerciais brasileiros.

• O largo par de headphones que faz Luiz Fux não ser incomodado quando voa de Brasília ao Rio, e vice-versa.

Potins desta terça-feira

• Nova súmula do STJ publicada: prazo para seguro de vida cobrir suicídio

 Decisão da 2ª Seção do tribunal também cancelou a Súmula nº 61

 O aumento do tesão financeiro dos donos de motéis.

 Filha de Eduardo Cunha concorrerá a deputada federal como herdeira política do pai.

 A queda da arrecadação das maiores centrais sindicais do país.

 Impasse entre herdeiros da travesti Rogéria, falecida em 2017.

Potins desta terça-feira

 Advogado revela novo ponto de domínio dos flanelinhas em Porto Alegre.

• Eleições para a OAB-RS serão na última semana de novembro, no Gigantinho.

 Novas banheiras de hidromassagem para deputados federais.

 Fale com “Mister Bud”: ele anuncia os benefícios e malefícios da maconha.

• Mais da metade dos 640 mil orelhões espalhados pelo Brasil não são utilizados um minuto sequer.

• Qual o ministro preferido de Temer? Dou-lhe um, dou-lhe dois, dou-lhe três...

 Cinco procedimentos no CNJ contra desembargadora que ofendeu a falecida vereadora Marielle e pessoas com síndrome de Down.

Potins desta terça-feira

• FAB confirma ocorrência de diálogos ofensivos a Lula, durante voo de Congonhas a Curitiba.

• Advogado do ex-presidente pede apuração do “atentado”.

• Jorge Luis Dall´Agnol será o próximo presidente do TRE-RS.

• O enterro legislativo da Medida Provisória nº 808.

• Interessante decisão do TST em ação envolvendo demissão durante a vigência de contrato temporário.

Potins desta sexta-feira

• Todos os bens para a companheira, se o falecido não tiver deixado descendentes ou ascendentes.

• PT e MST deixarão de usar a expressão “abril vermelho”?

• A sensibilidade de Deltan Dallagnol, à espera do voto decisivo de Rosa Weber.

• Uma nova interpretação para a expressão ´trânsito em julgado´?

• Ministro do STJ diz ser “inconcebível" o número atual de cursos de graduação e pós-graduação em Direito.