Ir para o conteúdo principal

Edição de Terça-feira, 24 de abril de 2018.

Potins desta terça-feira



• Tribunal absolve juiz que sacou arma contra desembargador

Uma regra do CNJ levou à absolvição de um juiz que sacou arma para ameaçar um desembargador. Em julgamento pelo Órgão Especial do TJ do Rio de Janeiro, ontem (24), doze magistrados votaram pela condenação; nove absolveram. Mas o acusado não será punido, pois a Resolução nº 135/2011 do CNJ exige que haja maioria absoluta do órgão especial para determinar punições administrativas.

Como o Órgão Especial do TJ-RJ é formado por 25 desembargadores, faltou apenas um voto para que o juiz João Batista Damasceno fosse apenado, por ter sacado uma pistola durante um desentendimento com o agora aposentado desembargador Valmir de Oliveira Silva.

Quatro desembargadores não participaram do julgamento: dois estavam ausentes; dois se declararam impedidos.

(Proc. nº 0017137-68.2015.8.19.0000)

• Como foi o desentendimento

O caso ocorreu no Departamento Médico do tribunal, em 4 de fevereiro de 2015. Na ocasião, Oliveira, que tinha acabado de deixar o posto de corregedor-geral da corte, encontrou Damasceno e teria mandado o juiz se sentar porque queria falar com ele.

Segundo o saite Consultor Jurídico, que recuperou os fatos, Damasceno afirmou que saiu do local para evitar o confronto, mas o ex-corregedor o seguiu escadas acima, gritando palavrões e berrando “vou estourar os seus miolos”.

O juiz se refugiou em uma sala com servidores. Quando o desembargador entrou no local, Damasceno sacou a arma e a segurou em uma das mãos. Com a outra, filmou o episódio com o celular. Nos vídeos, ele pede que Oliveira seja algemado e preso.

Várias pessoas intervieram e apartaram os dois.

• Avidez sindical

Em meio aos esforços da Presidência da República em reestruturar o sistema sindical brasileiro - que data do início do século passado - uma revelação do IBGE: metade dos sindicatos atuais nunca participou de um dissídio coletivo. Mas todos são ávidos em colher a contribuição sindical obrigatória.

Mais: existem no Brasil 16.293 sindicatos registrados – quantidade 125 vezes maior que o número de sindicatos (130) nos Estados Unidos.

No Brasil, 1.714 sindicatos foram criados desde 2010, o último ano do governo Lula.

• Falácia política

A gigantesca estrutura de suposta fiscalização eleitoral está se prestando à legitimação de um serviço sujo: justificar a roubalheira.

Todos os dias, nos telejornais, se ouve repetitivamente que fulano “declarou que suas contas foram aprovadas pela Justiça”.

A frase apropriada seria outra: “Minhas contas foram aprovadas pela omissão de fiscalização da Justiça Eleitoral”

• Papagaio amigo da idosa

O TRF da 4ª Região manteve liminar que assegura o direito de posse e guarda doméstica de um papagaio para uma senhora de 82 anos de idade, moradora do município de Santa Maria (RS). A liminar impede o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) de retirar a ave, que convive com a idosa há mais de 40 anos, de seu lar.

O papagaio, chamado de Louro, é domesticado, tem alimentação balanceada e acompanhamento de um médico veterinário.

No mês de abril de 2014, houve uma denúncia de que havia um papagaio em cativeiro com possíveis maus tratos. O Ibama manifestou-se requerendo que a família comprovasse que tratava a ave corretamente; caso contrário as medidas administrativas para o recolhimento do animal seriam tomadas.

Com medo de perder seu companheiro, a idosa ajuizou ação com pedido de tutela antecipada para ter o direito de posse e guarda doméstica do Louro. A 2ª Vara Federal do município concedeu liminar, levando o Ibama a recorrer ao tribunal, fundamentando que, “por mais que a ave esteja acostumada à sua 'dona', a convivência com animais da mesma espécie é melhor”.

O relator do caso, desembargador federal Luis Alberto D’ Azevedo Aurvalle, manteve a liminar, destacando que a idosa possui idade considerável e forte vínculo de afeto com seu animal, o que implica dizer que a privação da presença do Louro poderá ocasionar danos à sua saúde física e psicológica.

Conforme o julgado, “a readaptação desses animais ao seu habitat natural é procedimento complexo, muitas vezes inviável; assim, a permanência do animal com a interessada normalmente não redunda danos ao meio ambiente”. Na conjunção, o magistrado preferiu “preservar o vínculo afetivo já estabelecido ao longo de anos”. (Proc. nº5000813-94.2017.4.04.0000).


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Potins desta terça-feira

 Advogado revela novo ponto de domínio dos flanelinhas em Porto Alegre.

• Eleições para a OAB-RS serão na última semana de novembro, no Gigantinho.

 Novas banheiras de hidromassagem para deputados federais.

 Fale com “Mister Bud”: ele anuncia os benefícios e malefícios da maconha.

• Mais da metade dos 640 mil orelhões espalhados pelo Brasil não são utilizados um minuto sequer.

• Qual o ministro preferido de Temer? Dou-lhe um, dou-lhe dois, dou-lhe três...

 Cinco procedimentos no CNJ contra desembargadora que ofendeu a falecida vereadora Marielle e pessoas com síndrome de Down.

Potins desta terça-feira

• FAB confirma ocorrência de diálogos ofensivos a Lula, durante voo de Congonhas a Curitiba.

• Advogado do ex-presidente pede apuração do “atentado”.

• Jorge Luis Dall´Agnol será o próximo presidente do TRE-RS.

• O enterro legislativo da Medida Provisória nº 808.

• Interessante decisão do TST em ação envolvendo demissão durante a vigência de contrato temporário.

Potins desta sexta-feira

• Todos os bens para a companheira, se o falecido não tiver deixado descendentes ou ascendentes.

• PT e MST deixarão de usar a expressão “abril vermelho”?

• A sensibilidade de Deltan Dallagnol, à espera do voto decisivo de Rosa Weber.

• Uma nova interpretação para a expressão ´trânsito em julgado´?

• Ministro do STJ diz ser “inconcebível" o número atual de cursos de graduação e pós-graduação em Direito.

Potins desta terça-feira

• 7 de abril, o Dia D no eventual calendário político de Claudio Lamachia.

• Duas vagas a serem disputadas por quatro pretendentes: Ana Amélia, Germano Rigotto, Paulo Paim e, se for o caso, pelo atual presidente nacional da OAB.

• O bode eleitoral de Dilma Rousseff: concorrer pelo RS, Minas Gerais ou Piauí.

• Quitutes pascais e penais no Complexo Médico Penal, em São José dos Pinhais (PR).

• Louvável iniciativa do TRT-RS na conscientização sobre o autismo

• Defender que “cachorros comam índios” é mera liberdade de expressão.

• Uma calúnia peculiar: comparar o vizinho com “os advogados do Lula”.

Reprodução das redes sociais

Potins desta terça-feira

 

Potins desta terça-feira

• Cirurgião vai deixar o paciente de peito aberto e promete voltar no dia 4 de abril.

• A boa vida de Paulo Roberto Costa: livre para se mudar a Portugal.

• Indenização para mecânico cuja rotina de trabalho incluía “eventualmente carregar cadáveres e sempre fazer refeições próximo ao mortuário”.

• Por que a direção da Papuda impediu que Paulo Maluf leia ´Memórias da 2ª Guerra Mundial´, de Winston Churchill.

• Súmula nº 171 do STF à moda Dilma.

• Obrigação de ministro é julgar.

Potins desta terça-feira

• Defesa de Eduardo Cunha prepara o pedido de progressão de regime do ex-deputado. Mas...

• O sol seguirá quadrado para o ex-governador Sérgio Cabral.

• Juiz incentiva a reação de mulher agredida pelo ex-namorado: “Ela que bata com força, vá às últimas consequências, e então veremos o quanto o couro do metido a valente suporta”.

• Madame Tartaruga visita, satisfeita, a comarca de São Lourenço do Sul.