Ir para o conteúdo principal

Terça-feira, 20 de Junho de 2017

Morte de advogado por afogamento no rio Guaíba



O corpo encontrado submerso no rio Guaíba, em Porto Alegre, foi identificado pelo Corpo de Bombeiros como sendo do advogado Sebastião Maurique (OAB-RS nº 16.526), 67 de idade, associado do Clube dos Jangadeiros. Sebastião era irmão do desembargador do TRF da 4ª Região, Jorge Maurique.

Sebastião era viúvo desde 2014 de Clarice Maurique e pai da procuradora do município de Gravataí, Carolina, e do médico e professor em Florianópolis, João Guilherme. O advogado morava sozinho na Vila Conceição, zona sul de Porto Alegre. Tinha escritório na Vila Assunção.

Dono de um veleiro, tinha participado de um tradicional jantar no clube, no bairro Tristeza, última quarta-feira (26). Na ocasião informou a amigos e familiares que dormiria na sua embarcação, hábito comum entre os proprietários. Na quinta-feira (27), a ausência dele em compromissos profissionais e o veículo estacionado no clube chamaram a atenção e desencadearam as buscas.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e encontrou o corpo do advogado sob a embarcação, que estava amarrada a um trapiche flutuante. A desconfiança da direção do clube é de que Maurique tenha se desequilibrado ao subir do barco, caído na água e se afogado.

O caso é tratado pelo Jangadeiros como uma “fatalidade que causa profunda tristeza”.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Comparação publicitária permitida

Briga de gigantes. Sentença e acórdão confirmados pelo STJ. A ação de violação de marca foi proposta pelas associadas Gilette e Procter & Gamble. Elas buscavam fazer cessar o uso da marca Duracell nas pilhas Rayovac, fabricadas pela Microlite.

A política ainda é possível?

Painel a ser realizado pela Ajuris questionará dois ex-governadores do RS e um doutor em Ciência Política. Evento será aberto ao público.

Os “momentos difíceis” da família Batista

A jornalista Ticiana Villas Boas, esposa de Joesley Batista, diz que ela e a família passam “momentos difíceis”. Enquanto isso, os irmãos Batista compram um G-650, o jato executivo mais rápido e caro do mundo, vendido por US$ 74 milhões.

Dinheiro que se esvai...

Se o credor não pedir, valores constritos no Bacenjud ficam sem correção monetária. Decisão é do STJ.