Ir para o conteúdo principal

Sexta-feira, 19 de Maio de 2017

Publicitário condenado a 27 anos no mensalão obtém o regime aberto



O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, autorizou que o publicitário Ramon Hollerbach, condenado a 27 anos de reclusão na ação penal do mensalão vá para o regime semiaberto.

A defesa de Hollerbach sustentou que ele já preencheu os requisitos previstos na lei de execução penal e alegou que ele não tem condições financeiras para arcar com a multa aplicada.

O ministro Barroso acolheu o parecer do Ministério Público Federal e deferiu a progressão para o regime semiaberto, desde que observadas as condições a serem impostas pelo juiz de Nova Lima (MG). Mas afirmou que na eventual progressão para o regime aberto, a questão do inadimplemento da multa voltará a ser analisada.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Arte de Camila Adamoli

Horizonte azul para “inimigos do povo” e a vitória da corrupção

 

Horizonte azul para “inimigos do povo” e a vitória da corrupção

A liberdade dada - por maioria, pelo STF, na terça-feira (25) - a José Carlos Bumlai e João Claudio Genu pode estar sinalizando que Eduardo Cunha, José Dirceu e mais outros dez indivíduos presos em Curitiba possam ser bafejados, breve, pela mesma sorte jurídica. Enquanto isso, é bom saber porque o ministro Edison Fachin (voto vencido) evocou uma peça teatral que fez sucesso há 135 anos, onde a corrupção venceu.

Condenação de servidora e vigilante por desvio de R$ 1 milhão em medicamentos

Ela era uma das responsáveis pela falsificação de documentos para a liberação dos produtos. Ele recebia os remédios em nome próprio ou de pacientes fictícios. STJ diz que “embora o peculato seja próprio de funcionários públicos, o delito também pode ser imputado aos que não possuam tal título”.