Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 25 de maio de 2018.

Tribunal afasta juiz federal acusado de fraude



Em sessão realizada na última quinta-feira (27), o Órgão Especial do TTF da 3ª Região (TRF-3) recebeu parcialmente denúncia do Ministério Público Federal e afastou do cargo o juiz federal Aroldo José Washington. Ele é acusado da conduta prevista no artigo 343 do Código Penal (“dar, oferecer ou prometer dinheiro ou qualquer outra vantagem a testemunha, perito, contador, tradutor ou intérprete, para fazer afirmação falsa, negar ou calar a verdade em depoimento, perícia, cálculos, tradução ou interpretação”).

Em abril de 2016, o juiz já teve bens bloqueados pela Justiça Federal por suspeita de fraude na concessão de benefícios previdenciários no Juizado Especial Federal de Avaré (SP), entre 2004 e 2011.

Com a decisão do TRF-3, por maioria, será instaurada ação penal. O relator é o desembargador federal Peixoto Júnior.

Em 2015, o Órgão Especial do TRF-3 já afastara o magistrado da jurisdição, até a conclusão de processo administrativo disciplinar.

Em outro desdobramento foi também investigado se o juiz delegava o exercício da magistratura a serventuários: “Decisões judiciais foram lavradas com a assinatura do juiz, no período em que o magistrado esteve ausente” – diz um relatório correicional.

A correição identificou: a) favorecimento a indivíduos pertencentes à Congregação Cristã do Brasil, religião professada pelo juiz; b) favorecimento a determinados advogados; c) facilitação do agenciamento de cidadãos para a propositura de ação; d) omissão referente ao recebimento indevido de honorários advocatícios em prejuízo dos demandantes.

O magistrado Aroldo José Washington também foi acusado de permitir que médicos atuassem como peritos na Justiça, mesmo sabendo que ocupavam cargos políticos e com possíveis vínculos com interessados nas perícias. (Proc. nº 0009145-41.2012.4.03.0000).

Contraponto

O advogado Gustavo Badaró, que defende o magistrado, disse que vai recorrer ao STJ. Ele menciona que “das seis acusações que foram feitas, cinco foram rejeitadas”.

Segundo ele, “não foi apontado – entre 4 mil laudos periciais – um único laudo pericial cujo resultado fosse falso”.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Como será o expediente forense nesta sexta-feira no RS

Suspensão dos prazos na Justiça Federal. Adiamento das audiências na Justiça do Trabalho, caso uma ou ambas as partes não compareçam. Na Justiça estadual, a questão será de cunho jurisdicional: cada caso depende do respectivo juiz.

Advogado diz em petição que está com vontade de “chutar o pau da barraca”

Negativa de prestação jurisdicional pelo juiz deprecado (São Pedro do Sul-RS) é reclamada em petição à juíza deprecante (São Luiz Gonzaga-RS). “É impossível a um idoso como homem e/ou a um velho como advogado, compreender as razões que possam levar um juiz à indisfarçável prática de atos procrastinatórios”. Leia a íntegra da petição de desabafo.

Sem surpresa com o decreto de prisão de Lula

Ministro Marco Aurélio disse que “a justiça deve ser célere, em todos os sentidos". Leia também detalhes sobre o PEN – Partido Ecológico Nacional, autor de uma das ações declaratória de constitucionalidade sobre a prisão somente após o trânsito em julgado.