Ir para o conteúdo principal

Edição antecipada 21-22 de junho de 2018.

Xô neura, xô petições absurdas!



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

A empresa fabricante de detergentes tinha lançado um novo comercial com o título “Neuras da Semana”, mostrando, de forma humorada, dois produtos que exterminam o desânimo, quando a faxina doméstica é uma das tarefas obrigatórias.

O filme mostra uma moça chegando em casa e se deparando com versões dela mesma sentadas no sofá. Ao indagar “quem são vocês?”, uma das mulheres diz ser a “neura da segunda-feira”, enquanto as outras correspondem aos demais dias da semana.

De repente surge a versão musculosa de “a neura da faxina pesada”.

Por causa desse contexto publicitário, a Neura Felippina, uma competente professora de primeiro grau, ingressou com ação reparatória por dano moral “porque passou a sofrer chacotas devido à campanha publicitária de jargão era Xô, Neura!". Disse “ter sofrido abalo no desempenho profissional pois ao entrar na sala de aulas, era sempre alvo de piadas criadas por alunos que repetiam o jargão da propaganda”.

Uma testemunha confirmou (!) sobre a “deprê” que acometeu Neura Felippina.

A sentença julgou improcedente a ação, “porque os problemas enfrentados devem-se mais a esta conjunção: a) falta de respeito para com a professora; b) ausência de providências pela direção da escola; c) inexistência de acompanhamento dos pais em relação às condutas de seus filhos; d) generalizada falta de educação em todos os setores da sociedade brasileira, agravada pela omissão de governos incompetentes”.

Neura Felippina insistiu e apelou ao tribunal. A câmara fulminou o recurso: “Não houve conduta ilícita da empresa ré-apelada que, por evidente, nenhuma intenção teve de vincular o nome próprio Neura à expressão neura”.

O relator lecionou que “´Xô neura' nada mais significa do que a intenção de expulsar a neurose por limpeza”.

Quando os autos voltaram à comarca de origem, a “rádio-corredor” dali veiculou críticos comentários ao escritório advocatício que patrocinou a ação: “Xô petições absurdas”!


Comentários

Tania Machado De Sa Tania Sa - Advogada 02.05.17 | 13:11:14

Estamos no momento agora dos "direitos". Esquecemos, cada mais, dos deveres. Tudo é motivo para as pessoas sentirem-se ofendidas. Estamos na era da "lingua de madeira".A ditadura do politicamente correto!...

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

Distribuição de chupeta (s)

 

Distribuição de chupeta (s)

A entrega de chupeta a um médico que, em audiência, se opunha à pensão alimentícia que teria que pagar. Mas - segundo a “rádio-corredor” forense - os bicos ortodônticos também eram oferecidos pelo juiz a advogados com quem ele estaria em linha de confronto jurídico. 

Charge Gerson kauer

Mulher juíza, não!

 

Mulher juíza, não!

Caro leitor(a), palpite onde ocorreu. Envie o cupom eletrônico, depois de ler a história de um ´machista´ que – durante audiência - deixou em polvorosa uma magistrada, uma promotora, uma defensora pública, uma escrevente e uma estagiária. Ele era acusado de crime ambiental: maus tratos contra o seu próprio cavalo.

Charge de Gerson Kauer

   Recurso especial com sabor de queijo francês

 

Recurso especial com sabor de queijo francês

Não se tratou do já tolerado erro do “copia e cola”. Era uma folha à parte, íntegra e autêntica, contendo um ensinamento culinário: “Em uma tigela, misture três tomates maduros, três colheres de azeite e três colheres de manjericão fresco picado”.

Gerson Kauer

Reunião da turma de Direito

 

Reunião da turma de Direito

Por que, de 1988 a 2018, o mesmo grupo de advogados (as), magistrados(as) e promotores(as) decidiu, a cada dez anos, sempre comemorar o aniversário de formatura na... churrascaria Picanha Excelência.

Charge de Gerson Kauer

Barbatimão jurídico

 

Barbatimão jurídico

Em processo de divórcio litigioso, o estagiário – que sempre faz minuciosos projetos de sentença - deparou-se, estupefato, em meio às petições, com uma confidência que um dos advogados da causa fizera à sua dileta noiva. Era mais um caso de erro do “copia e cola”

Charge de Gerson Kauer

Exagero na relação conjugal

 

Exagero na relação conjugal

Meia-noite de uma sexta-feira, Sua Excelência e a esposa – ele cinquentão, ela quarentona - tentam apimentar o relacionamento sexual. Por isso combinam que ela, em decúbito ventral, será algemada num dos decorativos vãos da cabeceira da própria cama do casal