Ir para o conteúdo principal

Sexta-feira, 19 de Maio de 2017

Xô neura, xô petições absurdas!



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

A empresa fabricante de detergentes tinha lançado um novo comercial com o título “Neuras da Semana”, mostrando, de forma humorada, dois produtos que exterminam o desânimo, quando a faxina doméstica é uma das tarefas obrigatórias.

O filme mostra uma moça chegando em casa e se deparando com versões dela mesma sentadas no sofá. Ao indagar “quem são vocês?”, uma das mulheres diz ser a “neura da segunda-feira”, enquanto as outras correspondem aos demais dias da semana.

De repente surge a versão musculosa de “a neura da faxina pesada”.

Por causa desse contexto publicitário, a Neura Felippina, uma competente professora de primeiro grau, ingressou com ação reparatória por dano moral “porque passou a sofrer chacotas devido à campanha publicitária de jargão era Xô, Neura!". Disse “ter sofrido abalo no desempenho profissional pois ao entrar na sala de aulas, era sempre alvo de piadas criadas por alunos que repetiam o jargão da propaganda”.

Uma testemunha confirmou (!) sobre a “deprê” que acometeu Neura Felippina.

A sentença julgou improcedente a ação, “porque os problemas enfrentados devem-se mais a esta conjunção: a) falta de respeito para com a professora; b) ausência de providências pela direção da escola; c) inexistência de acompanhamento dos pais em relação às condutas de seus filhos; d) generalizada falta de educação em todos os setores da sociedade brasileira, agravada pela omissão de governos incompetentes”.

Neura Felippina insistiu e apelou ao tribunal. A câmara fulminou o recurso: “Não houve conduta ilícita da empresa ré-apelada que, por evidente, nenhuma intenção teve de vincular o nome próprio Neura à expressão neura”.

O relator lecionou que “´Xô neura' nada mais significa do que a intenção de expulsar a neurose por limpeza”.

Quando os autos voltaram à comarca de origem, a “rádio-corredor” dali veiculou críticos comentários ao escritório advocatício que patrocinou a ação: “Xô petições absurdas”!


Comentários

Tania Machado De Satania Sa - Advogada 02.05.17 | 13:11:14
Estamos no momento agora dos "direitos". Esquecemos, cada mais, dos deveres. Tudo é motivo para as pessoas sentirem-se ofendidas. Estamos na era da "lingua de madeira".A ditadura do politicamente correto!...
Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

Serviços cirúrgicos e sexuais

 

Serviços cirúrgicos e sexuais

Após o adultério consumado, a cônjuge adúltera – já então separada judicialmente do marido – admite em declaração com firma reconhecida que “mesmo enquanto casada, tive relacionamento íntimo temporário com o médico, que me atendeu em cirurgia plástica dos seios”.

Charge de Gerson Kauer

O preço da chupeta

 

O preço da chupeta

Uma ação discutindo o preço de uma chupeta anunciada por R$ 10,99 - mas efetivamente vendida por R$ 14,99. Mamãe Michelle, mesmo tendo contratado os serviços da advogada Alice, ficou chupando o dedo...

Charge de Gerson Kauer

O Excelentíssimo Juiz Justimiano

 

O Excelentíssimo Juiz Justimiano

O magistrado evitava maior contato com os advogados, os quais poderiam falar com ele, fora das audiências, apenas nas quintas-feiras, das 18 às 18h30, mediante prévia inscrição no cartório e manifestação sobre o assunto a ser tratado. Em casa, ele exigia que a esposa o reverenciasse. 

Charge de Gerson Kauer

O professor pervertido

 

O professor pervertido

Na escola de segundo grau, o professor costumava galantear muitas de suas alunas adolescentes. Achegava-se, tentava um selinho e cantarolando versos de Roberto Carlos, assanhava-se: “Os botões da blusa, que você usava e meio confusa desabotoava...iam me deixando ver, no meio de tudo, um pouco de você!"

Charge de Gerson Kauer

Beleza e Pinto

 

Beleza e Pinto

O juiz, jovem ainda, havia dois dias chegara à comarca. Queria impor disciplina, ordem, respeito. Começou por chamar, um a um, todos os servidores forenses. E provocou um oficial de justiça; mas levou o troco.