Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018.

Como está a Justiça no RS?



Imagem NovoTempo.com

Imagem da Matéria

Em mais uma iniciativa do Plano de Valorização da Advocacia, a OAB-RS estará expedindo hoje, via e-mails, a aproximadamente 75 mil advogados, os formulários de uma enquete para avaliação das varas forenses de todo o Estado, nas esferas estadual, federal e trabalhista.

Para o presidente da Ordem gaúcha, Ricardo Breier, “a advocacia e a sociedade são os principais usuários do Poder Judiciário e os colegas são aqueles que estão, diariamente, em contato, por suas presenças constantes nos balcões e salas dos fóruns”.

A realização da enquete – que é uma realização chancelada pelo Conselho Seccional – objetiva ser “a primeira radiografia construída exclusivamente com os apontamentos dos profissionais da advocacia, sendo importantes para as futuras interações da Ordem com o TJRS, o TRF-4 e o TRT-4”.

O formulário é composto de quatro páginas. Detalhe: não será possível passar para a página seguinte sem que ela esteja totalmente respondida. É necessária a identificação do profissional participante da enquete, pela aposição de seu número de inscrição. “No ponto, a OAB-RS se compromete publicamente que os dados do(a) advogado(a) não serão divulgados” – garante Breier.

Pela aposição de um dispositivo de segurança, não será possível a um mesmo advogado participar mais de uma vez. O levantamento será feito até o dia 12 de maio, às 18h, com possibilidade de divulgação das primeiras tabulações na terça-feira seguinte (16).

O Espaço Vital no período de hoje (3) até 11 de maio (às 12h) realizará uma enquete compacta, procurando saber a opinião dos advogados e estagiários sobre as melhores e as piores varas cíveis, varas federais e varas do trabalho.

PARA RESPONDER A ENQUETE DO ESPAÇO VITAL, clique aqui

PARA RESPONDER A ENQUETE DA OAB-RS, clique aqui  


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Gilmar Mendes agora em rota de choque contra a OAB

O ministro criticou a postura da Ordem como autora de uma ação que trata de calote oficial no Estado de Rondônia. O presidente Claudio Lamachia respondeu: “Já passou o tempo em que um cargo conferia a seu ocupante o poder de impor sua vontade aos demais cidadãos”.

Advogado deve pagar por serviços de “agenciador de clientes”

O TJRS condenou o notório Mauricio Dal Agnol ao pagamento de R$ 10 mil a um colaborador que conseguiu sete causas. Acórdão registra que “vedar o direito do autor à percepção dos valores devidos em virtude de serviços prestados é beneficiar o réu por sua própria torpeza”.

R$ 1,2 bilhão de honorários advocatícios

No acordo para indenizar cidadãos prejudicados pelas manipulações financeiras dos planos econômicos, bancos e poupadores concordaram com a cifra, para concluir a transação.