Ir para o conteúdo principal

Sexta-Feira, 22 setembro de 2017

Ator Alexandre Frota pede o impeachment de Gilmar Mendes



O ator Alexandre Frota protocolou ontem (11) no Senado Federal o pedido de abertura de processo de impeachment contra o ministro do STF Gilmar Mendes. O autor diz contar com “o apoio irrestrito de milhões de brasileiros”.

Alexandre Frota de Andrade, carioca do Rio de Janeiro, 53 de idade, é um ator, diretor, ex-modelo, ex-comediante, ex-jogador de futebol americano, apresentador, empresário e ex-ator pornográfico brasileiro.

No documento, dirigido ao presidente da Casa, senador Eunício Oliveira, Frota usa linguagem jurídica e citação a diversas leis. Apresenta recortes jornalísticos e fotos de Gilmar e sua esposa. Em seguida questiona as posições do ministro, pedindo o banimento que deve ser aplicado a “aqueles que não possuírem comportamentos compatíveis com os princípios da moralidade e da impessoalidade administrativas, tornando-se desonerados e incapacitados da árdua e relevante tarefa de julgar”.

O arcabouço de pedido baseia-se – segundo Frota – por ter o ministro Mendes “proferido julgamento, quando, por lei, seja suspeito na causa". E textualmente “incita o Poder Legislativo a recorrer ao sistema dos ´freios e contrapesos´e conter os abusos do Poder Judiciário. Na garantia deste sistema o Poder Legislativo é o mais apto de todos os Poderes. Quando falta moralidade ao Poder Judiciário no exercício da jurisdição, cabe ao Legislativo buscar, pela intervenção rápida, eficaz e eficiente, o reequilíbrio por meio dos ´checks and balances". (Petição nº 001000.072748/2017-32)


Comentários

Iolanda Ramos Noble - Advogada 17.05.17 | 16:39:09
A que ponto chegou o Brasil! Um pedido de impeachment contra um ministro da Suprema Corte partir de um ator pornográfico. Triste.
Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Confirmada a falência da Magazine Incorporações S.A.

Decisão da 6ª Câmara Cível do TJRS mantém sentença de quebra da empresa que atuava com o nome fantasia de M. Grupo. Este surgiu em 2008, com um anunciado investimento de R$ 1 bilhão em negócios, incluindo a construção do prometido “prédio mais alto do Rio Grande do Sul”.