Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 18 de maio de 2018.
http://espacovital.com.br/images/mab_123_13.jpg

PT condenado a indenizar trabalhador gaúcho que foi contratado para três dias de trabalho



 Condenação trabalhista do PT

Demorou, mas saiu a decisão. O Tribunal Superior do Trabalho condenou o Partido dos Trabalhadores (PT) a indenizar em R$ 100 mil, por danos morais, e pagar pensão vitalícia (um salário mínimo) a um trabalhador atingido por um tiro na cabeça durante a campanha eleitoral de 2006. A decisão restabeleceu condenação imposta na 1ª Vara do Trabalho de Gravataí (RS) e retirada pelo TRT da 4ª Região (RS).

O trabalhador autônomo, menor de idade à época dos fatos, fora contratado pelo partido por três dias para atuar na campanha eleitoral, distribuindo panfletos e portando bandeiras. Durante uma ronda noturna, um carro onde o menor se encontrava foi alvejado e um dos disparos o atingiu na cabeça. Ele sofreu redução da sua capacidade psíquica em 25%.

Segundo a sentença, ficou comprovada a culpa do partido por permitir o trabalho de menor de idade em horário noturno, colocando-o “em situação de risco ao passar, durante a realização da ronda noturna, em frente ao comitê de partido político adversário”.

O TRT gaúcho afastou a condenação por considerar que o disparo foi ocasionado por terceiros, hipótese que excluía o nexo causal, “elemento indispensável à configuração da responsabilidade civil”.

O julgado do TST porém considerou que “quando o ato é praticado por terceiro, mas com nexo de causalidade, quem deve responder pelo dano é o contratante”.

Considerou mais que “a Constituição Federal veda a exposição de menor a qualquer tipo de trabalho noturno”. (Proc. nº 88300-73.2009.5.04.0231).

 Nova tartaruga

Na tentativa de detectar o processo mais antigo em tramitação no RS, a tabulação parcial das enquetes realizadas pela OAB-RS e pelo Espaço Vital revela que a “tartaruga forense” de mais idade atual talvez seja o processo nº 1050205093-4.

Este balança para os lados na, notoriamente ineficiente, 5ª Vara Cível de Porto Alegre.

Trata-se de uma ação de embargos do devedor ajuizada em 16 de junho de 1998. Breve, vai completar 19 anos de vagareza.

Tem gente pensando se vai enviar bolo de aniversário no próximo mês. Ou se, por consideração, vai aguardar o 20º aniversário em 2018.

 A voz das ruas, corredores e WhatsApp

· Papo de rua

- Entreouvido ontem na espera de um ponto de lotação, na Avenida Borges, em Porto Alegre, entre um motorista e o fiscal: “O Inter perde para o Palmeiras com gol contra, e você aí preocupado com o Temer? Francamente!”...

· Rádio-corredor da OAB de Brasília - “Quem vai cair primeiro: Temer ou Trump?”

· Viralizou no WhatsApp

- “É muita desilusão política. Agora só falta a primeira dama ser traveco”.

- “Será lançado no Brasil um novo programa de governo: ´Minha casa caiu´´”.

- “Nosso país tem o único frigorífico no mundo que abate presidentes”.

- “O STF decidiu encaminhar a ação contra Paulo Maluf ao Juizado de Pequenas Causas”.

· Lentidão no Trabalho

Comentário advocatício à porta do prédio da Justiça do Trabalho em cidade da fronteira gaúcha, antes de uma audiência: “Costumo dizer que, se chegar à vara com 50 minutos de atraso, ainda assim estarei 30 minutos adiantado”.

Há controvérsias se essa seria uma exclusividade da JT de Alegrete...

 

  Des-Confiança...

Sentença do juiz Ramiro Oliveira Cardoso, da 3ª Vara Cível de Porto Alegre, manteve vigente um contrato de seguro de vida firmado com a Confiança Cia. de Seguros – seguradora que teve sua liquidação extrajudicial decretada em 2014. O beneficiado com o julgado é um idoso portador de neoplasia maligna. Ele teve o seu contrato do seguro rescindido unilateralmente.

Além da Confiança, é corréu na ação o Grêmio Beneficente dos Oficiais do Exército - controlador da seguradora liquidada - que terá que assumir a responsabilidade pelas obrigações do contrato de seguro.

O GBOEx também foi declarado litigante de má-fé “por alterar a verdade dos fatos, ao afirmar e reiterar que não pertence ao mesmo grupo econômico da corré Confiança”. (Proc. nº 1150112262-3).


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

OAB-RS suspende advogado por 180 dias

Ex-dono do Grupo Educacional Facinepe, Faustino da Rosa Júnior (OAB-RS nº 65.305) tem seu nome envolvido em irregularidades na oferta de cursos de pós-graduação. Ele (E) chegou a distribuir títulos de “Doutor Honoris Causas” a pessoas famosas como Silvio Santos

Jeitinho brasileiro para agradar magistrados e promotores

•  O auxílio-moradia – sem lei, mas com acordo a ser homologado no STF – vai ficar valendo para sempre. Fora do teto constitucional e sem pagar imposto de renda. Saiba como!

•  A Advocacia-Geral da União teria mudado de opinião. “Rádio-corredor” do CF-OAB diz que é a “moda Gilmar”.

• Suzana Richtofen matou os pais em 2002. Mesmo sem ter filhos, vai curtir uma “saidinha” pelo Dia das Mães, durante seis dias...

•  Juíza acolhe reclamação de advogado porto-alegrense: “o promotor tá loco”.

“Quem Ensinou Fui Eu”: cantoras mato-grossenses para descontrair evento nacional da magistratura

•  O encontro jurídico tem patrocínio de empresas e de associação que congrega 13 mil cartórios. Políticos também estarão presentes.

•  A ação penal decana – contra senador - que está no Supremo desde 1998.

•  A advertência de Roberto Barroso sobre o sistema penal brasileiro: “Ele é feito para recolher um menino pobre e não consegue prender essas pessoas que desviam por corrupção”.

Representação criminal da OAB contra a venda de carteiras de advogado

•  Anúncio no saite Mercado Livre oferece “OAB – Carteira Registrada” à venda por R$ 1.000 (à vista). Pagamento também pode ser feito via cartões de crédito, em 12 parcelas de R$ 97,29 (preço final: R$ 1.167,48).

•  Homem que fez ostentação pública do adultério indenizará a ex-esposa.

•  A ficção vai acrescentar um personagem (“Dario Prudente”) à sina dos políticos nordestinos que perderam a vida no auge da carreira.

•  Temer, o impopular, prega “critérios de educação cívica”...

Já são 1.086.011 advogados brasileiros registrados

•  Curiosidades na diversidade de gêneros na advocacia do país: 62 casos de travestis, transexuais e transgêneros usando seus nomes sociais em substituição ao nome civil. Destes, seis registros são no RS.

•  Entre os advogados dos maiores escritórios do Brasil, apenas 2% são negros.

• STJ define o lapso etário para indenizações de seguros em casos de suicídio.

•  E uma historinha sobre o primeiro 1º de Maio nas frias celas de Curitiba.