Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 18 de setembro de 2018.

Vaquejada constitucional!...



O plenário da Câmara dos Deputados aprovou anteontem (31), em segundo turno, a chamada PEC da Vaquejada (nº 304/17), que acaba com os entraves jurídicos para a realização dessa atividade no Brasil. A vaquejada é prática na qual dois vaqueiros montados a cavalo têm de derrubar um boi, puxando-o pelo rabo.

A PEC, que segue agora para a promulgação pela Mesa do Congresso Nacional, altera a Constituição para definir que “não são consideradas cruéis as práticas desportivas que utilizem animais e sejam registradas como manifestações do patrimônio cultural brasileiro”.

A aprovação teve 373 votos favoráveis e 50 contrários; ocorreram seis abstenções.

Em outubro do ano passado, o STF julgou inconstitucional a vaquejada por submeter os animais à crueldade. A ADIn, então acatada por 6 votos a 5, foi proposta pelo procurador-Geral da República contra a Lei nº 15.299/13, do Estado do Ceará, que regulamentava a vaquejada como prática desportiva e cultural no Estado. Para o relator da ação, ministro Marco Aurélio, a prática tem "crueldade intrínseca" e o dever de proteção ao meio ambiente previsto na CF se sobrepõe aos valores culturais da atividade desportiva.


Comentários

Vera Maria Vargas Ferreirav - Advogada 02.06.17 | 14:57:20
Triste mesmo que o patrimônio cultural precise dessa expressão cruel e grotesca, onde vidas de inocentes animais são desrespeitadas!
Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Arte de Camila Adamoli sobre imagem de GP1.com

Uma maneira de reagir às deficiências e aos riscos do ensino público

 

Uma maneira de reagir às deficiências e aos riscos do ensino público

Mandado de segurança busca o direito de estudar em casa, sob a responsabilidade do pai e da mãe. Um alerta de que “a existência de turmas multiseriadas causa problemas de convívio com alunos mais velhos, com sexualidade mais avançada, o que não é aconselhável para uma menina”. Discordância também das imposições pedagógicas, como as questões do evolucionismo e da Teoria de Darwin. Reflexos em 4,2 mil ações que estão sobrestadas.

STF proíbe a condução coercitiva de réus e investigados

Instrumento utilizado em investigações já havia sido suspenso por decisão liminar de Gilmar Mendes. O resultado de ontem (14) foi aquele parelho frequente no Plenário: 6 x 5. Rosa Weber foi a “fiel” da balança. Instrumento utilizado em investigações já havia sido suspenso por decisão liminar de Gilmar Mendes. O resultado de ontem (14) foi aquele parelho frequente no Plenário: 6 x 5. Rosa Weber foi a “fiel” da balança.