Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 18 de setembro de 2018.

O amor em segredo de justiça



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Ontem (12), cedo, metade da manhã do Dia dos Namorados, vazou – com coloração gaúcha - nas redes sociais a petição em versos que um jovem advogado teria, em envelope grampeado na parte interna da capa de um processo, dirigido à nova juíza da comarca – ambos solteiros.

Aparentemente apaixonado pela magistrada – depois de insinuantes trocas de olhares em audiências - o advogado teria criado a seguinte petição:

“Eu, bacharel em direito
Conforme a lei em vigor,
Venho com todo o respeito
Requerer o seu amor.

Meu coração tem urgência
E não podendo esperar,
Peço que Vossa Excelência
Me conceda a liminar.

Caso eu a tenha ofendido
Com a inépcia do pedido,
Rogo pelo amor de Deus:
Se me faltou algum tato,
Prenda-me por desacato,
Mas prenda nos braços seus”.

 Prontamente, a magistrada teria despachado à mão, numa folha sem timbre, aposta dentro de um envelope de insinuante cor rosada, mandado entregar no escritório do advogado:

Em toda a minha carreira,
Como juíza de direito,
Nunca vi tanta besteira,
Nem tamanho desrespeito.

Minha conduta moral
É lei que não se revoga
Nem com sustentação oral
Debaixo da minha toga.

Por isso, ilustre advogado,
Seu pedido tresloucado
Indefiro nesta liça.

Depois, com a noite em curso,
Fora do expediente,
Eu aguardo o seu recurso.
E que se faça presente,
Mas em segredo de justiça”.

Até o fechamento desta página - às 8h30 de 13 de junho, manhã posterior ao Dia dos Namorados - a expectativa na comarca era a de que o advogado teria recebido a juíza, em seu apartamento, às 8 da noite de ontem. Durante a tarde ele estivera no melhor supermercado da cidade, em busca de itens para um presumível jantar aprimorado: champanhe, salmão, trufas, licor e outros quitutes.


Comentários

Wenceslau Teixeira Madeira - Advogado 16.06.17 | 17:13:25

Ao grande e espetacular Espaço Vital, parabéns!  Admirei a poesia do causídico e da juíza. Excelent. A justiça é excelente quando rápida e bem humorada! Ah, se as petições, despachos, sentenças e acórdãos fossem, em prosas e versos, assim elaboradas, eriam todos apreciados e acolhidos com atenção ! No final, veríamos, com alegria, as partes dando as mãos !

Nelson Oscar De Souza - Desembargador Aposentado 13.06.17 | 18:55:28

Aos bacharéis, toda a minha alegria ! E a plena florescência do Amor. E versos perfeitamente corretos ! Não abandonem também está bela vocação.

Bernadete Kurtz - Advogada 13.06.17 | 15:05:51

Se forem verdadeiros os fatos, levanto as mãos para o céu! É de amor que precisamos nestes tempos tristes de intolerãncia!

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

O surpreendente maranhão

 

O surpreendente maranhão

O insólito acontecimento durante a protocolar audiência: na conciliação processual de um casal que se separara, surge à mesa um sugestivo artefato erótico de silicone. A juíza ameaça chamar a polícia. E a solução é esconder o objeto provocador do (suposto) prazer por baixo do paletó de um dos advogados.

Charge de Gerson Kauer

O juiz dono da bola

 

O juiz dono da bola

A história do magistrado que – num dos habituais jogos de confraternização da turma forense – foi atingido nos ´países baixos´ por um forte chute dado pelo promotor. E a sentença verbal, proclamada ali mesmo: “O jogo está violento, eu disse que não valia bomba. Então decido: a bola está confiscada pela Justiça”.O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

“O seu nome é Fátima, doutor?”

 

“O seu nome é Fátima, doutor?”

Há alguns nomes próprios que se prestam a confusões de gênero, como Darcy, Abigail e Nadir. Entretanto, não se conhece nenhum registro de homem chamado Fátima. Só que a jovem juíza faz uma pergunta típica à estultícia...

Charge de Gerson Kauer

Um motel na própria casa

 

Um motel na própria casa

O juiz lê a minuta de decisão - feita pela estagiária - em uma ação de interdição de Dona Amélia, 80 de idade. Na documentação, um detalhe chama a atenção: a assistente social relata que os vizinhos da idosa senhora informaram que, antes de a casa dela pegar fogo, ela – ali no próprio lar - alugava quartos para casais enamorados desfrutarem de momentos de prazer. 

Charge de Gerson Kauer

O perdão judicial

 

O perdão judicial

O que acontece, em média comarca gaúcha, quando o rígido e formal juiz descobre que ele e a esposa estão sendo espionados por um voyeur - cuja “arma” é uma verruma. O interrogatório sumário, a decisão de prender o abelhudo e a remissão de culpa – com a ordem de que o acusado sumisse imediatamente. O texto é do desembargador aposentado (TJRS) Vasco Della Giustina.