Ir para o conteúdo principal

Edição antecipada 21-22 de junho de 2018.
http://espacovital.com.br/images/mab_123_13.jpg

Se Deus colocou Temer na Presidência, por que diabos Ele fez isso com a gente?



Chargista Duke

Imagem da Matéria

 

 Coisa de Deus?

Michel Temer disse no seu pronunciamento, de seu orgulho de ser presidente: “Para mim é algo tocante, é algo que não sei como Deus me colocou aqui”.

A rádio-corredor da OAB nacional, em Brasília, não perdeu a oportunidade para repercutir uma imediata postagem do jornalista Tutty Vasques‏ nas redes sociais: “Se foi mesmo Deus que pôs Temer na Presidência, resta uma pergunta: por que diabos Ele fez isso com a gente, caramba?”

  Prova lícita ou ilícita

Gravado pelo dono da JBS, o presidente da República sustentou, em meio ao palavrório, que “o fruto dessa conversa é uma prova ilícita”.

E sugeriu: “Basta recomendar a leitura do artigo 5º, inciso 56, onde está dito expressamente como direito fundamental que não se pode admitir provas ilícitas”.

O dispositivo constitucional mencionado por Temer não afirma que uma gravação sem anuência do interlocutor é ilícita. A Constituição estabelece que provas obtidas por meios ilícitos são inadmissíveis.

Na denúncia, o procurador geral da República Rodrigo Janot lista sete decisões recentes do STF que admitem como prova “gravações ambientais realizadas por um dos interlocutores, sem o conhecimento do outro”.

  Manchetes brasileiras

Michel Temer foi o personagem da semana, nas capas de vários jornais brasileiros. Algumas delas:

* “Há provas do que houve no porão do Jaburu”;

* “Mesmo enredo de governos em queda”;

* “Temer se destrói pelas próprias lambanças”;

* "A volta da marca de outro presidente apeado do poder”;

* "Temer recorre a truques e foge de respostas”;

* “Moralmente o governo já acabou”;

* “O tudo ou nada de Temer”.

Alheio às manchetes, o presidente da República disse, em “manifestação esclarecedora” (?) que “sob o foco jurídico, a minha preocupação é mínima”. Admitiu também ter sido visitado, tarde da noite, fora da agenda oficial, pelo empresário Joesley Batista.

E pretendeu justificar: “Recebi o maior produtor de proteína animal do país, senão do mundo, do mundo”.

Detalhe: o notório deputado Paulo Maluf (PP-SP) foi o único que defendeu Temer na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

  Este é o nível

Retrato brasileiro: de dia deputado; à noite presidiário. Condenado a 6 anos de prisão por falsificação, o deputado federal carioca Celso Jacob (PMDB) – preso no início deste mês, após o trânsito em julgado no STF - cumpre pena no regime semiaberto.

O ilícito ocorreu em 2003, quando ele era prefeito de Três Rios (RJ), onde ao sancionar e publicar uma lei, acrescentou um artigo que não tinha sido aprovado pela Câmara de Vereadores.

Por decisão do juiz Valter André de Lima Bueno Araújo, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, anteontem (28), o deputado Celso continuará exercendo o mandato na Câmara Federal.

Esta se encarregará de “comprovar a efetiva presença do deputado no seu gabinete e sessões da Câmara”...

A propósito de padrão brasiliense, esta semana, enquanto aguardavam a chegada da denúncia de Janot à Câmara, os deputados federais se ocuparam de outras coisas. Entre elas, regulamentaram “os serviços de tosa e banho de cães e gatos realizados em estabelecimentos comerciais”.


Comentários

Gilberto Pereira - Multifuncional 30.06.17 | 11:25:23
Temer está mais enrolado que jacaré nas "argolas" da sucuri.
Quer limpar a cara usando soda cáustica.
Banner publicitário

Mais artigos do autor

Sem acordo na AGU, auxílio-moradia para juízes não terá mudanças neste ano

 Ajuda para “morar melhor”: só em abril, a sangria nacional custou aos cofres federal e estaduais R$ 73,5 milhões.

 Treze tribunais não responderam ao CNJ sobre as folhas de pagamento de maio.

  Uma proposta legislativa para ajudar na remição das penas do ex-governador Sérgio Cabral.

O áudio polêmico do deputado federal Alceu Moreira (MDB-RS)

  Em gravação, o parlamentar (MDB-RS) diz como “passar” a verba destinada à Saúde para reformar a sede da Associação dos Caminhoneiros de Santo Antonio da Patrulha.

 A informação e a dica do deputado: “Não tem no orçamento da União dinheiro pra passar pra ´associação X´, tá, é complicado. Aí acertamos com os vereadores e com o prefeito”.

  OAB-RS pede que o Ministério Público Federal investigue os fatos.

 Quem é “Feruminho?

Político exitoso de sete mandatos, Pompeo de Mattos tem ação trabalhista contra o Banco do Brasil

  Na Justiça do Trabalho de Porto Alegre, o deputado federal (PDT-RS) busca até indenização pela perda de uma chance. E chegou a pedir gratuidade da justiça.

 A maldição do impeachment de Dilma segue “tarrafeando” políticos de vários partidos.

  Parabéns mulheres! Pesquisa revela que o tempo médio gasto, por elas, com afazeres domésticos e/ou cuidando de pessoas da família, totaliza 92 horas por mês.

  Ministério Público oferece denúncia contra cinco diretores da Net. E o que é que Embratel, Claro e Globo tem a ver com isso?

Uma ação de pequena entidade gaúcha contra a poderosa General Motors

 Propaganda dita “enganosa” da picape S10 General Motors estaria atingindo os ambientalistas, exibindo “uma carga pejorativa a quem cumpre o papel de suma importância, que é a defesa do meio ambiente”.

 O que pode estar embutido na campanha “Agro é Pop, Agro é Tech, Agro é Tudo, Está Aqui, Está na Globo”.

  Em outra frente um pedido ao CONAR – Conselho Nacional de Auto Regulamentação Publicitária para que suspenda a veiculação do comercial.

FEPAM festeja proteção ambiental com ´banner´ de aves e mamífero que não são da fauna gaúcha

 O desmanche no RS das instituições ligadas à proteção do meio ambiente, ciência e tecnologia.

 “O Brasil que eu quero/ É um país com todos os corruptos presos /E sem liminar do Gilmar /Que os possa soltar”...

 Projeto de lei federal com gratuidade judicial para advogados cobrarem seus honorários.

  Que ciúme! Salário inicial de advogado em grande escritório dos EUA: piso de US$ 190 mil por ano (US$ 15.833 por mês, cerca de R$ 60 mil), a partir de 1º de julho

A grande vitória jurídica do Grêmio no STJ

 O clube vence demanda ajuizada pelo filho de Lupicínio Rodrigues e pelo instituto que leva o nome do falecido compositor.

 A questão envolve direitos autorais sobre o Hino do Grêmio e a expressão “Imortal Tricolor”. Relator esclarece que a expressão foi uma loa a Eurico Lara (acima, a foto do grupo que tinha o goleiro como expoente).

 Em Caxias do Sul, a tartaruga forense está na “mesa da Elenita”.

  Ex-procurador investigado quer ser juiz federal.

 OAB-RS exclui mais uma advogada: a lista tem 50 nomes.