Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018.

Desembargadora atenderá advogados via Skype



A desembargadora Clarice Claudino da Silva, do TJ de Mato Grosso, colocou à disposição dos advogados, desde a semana passada, um novo canal de comunicação on line, por meio do aplicativo Skype, no endereço eletrônico atendimento-adv@outlook.com .

A ferramenta permitirá que os advogados, ao invés de se deslocarem até o tribunal para entregar memoriais ou até mesmo conversar com a magistrada, possam optar pela via on line.

Em nota de esclarecimento aos interessados, a magistrada salientou que em tempos de processo virtual, tal benefício trará economia e celeridade nos atendimentos, uma vez que o advogado não precisará deslocar-se de seu escritório, de sua cidade ou até mesmo de seu Estado para conversar com ela acerca de processos de sua competência. “A ferramenta otimizará o tempo dos profissionais, em especial porque diminuirá a espera para atendimento pessoal”, enfatiza a magistrada.

Para a utilização da ferramenta, o advogado deverá ter uma conta compatível com o aplicativo Skype (Hotmail ou Outlook), fazer o agendamento do dia e horário com a assessoria da desembargadora. No momento agendado, a desembargadora fará o contato virtual com o profissional. “Tudo previamente agendado, sem atrasos” - ressalta a magistrada.

Ela esclarece ainda que a ferramenta não exclui o atendimento pessoal, mas apenas amplia para a possibilidade de atendimento virtual, agregando mais celeridade e transparência ao processo.


Comentários

Bernadete Kurtz - Advogada 04.07.17 | 12:59:54

Na realidade o objetivo é afastar os advogados; para a magistratura, com honrosas exceções, a presença do advogado é estorvo... Brevemente as audiências serão on line, as sustentações orais também. E vai acabar o  velho e essencial "olho no olho" ... lástima !

Luis Carlos Millani - Advogado 04.07.17 | 12:00:43

Que belo exemplo!

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Arte de Camila Adamoli, sobre foto de Danilo Verpa (Folha de S. Paulo / Google Imagens).

O débito enorme do Judiciário com a sociedade

 

O débito enorme do Judiciário com a sociedade

Cármen Lúcia reconhece que o povo brasileiro está cansado. Por que? Eis algumas das razões: integrantes do Poder se consideram imunes à lei; magistrados corruptos são premiados por aposentadorias generosas; juízes e desembargadores têm férias de 60 dias, além do descanso extra no recesso; a prestação jurisdicional é lenta e favorece a prescrição; seu pessoal corporativo é campeão de penduricalhos; demasiado trânsito de estagiários e assessores dando sentenças. E por aí...

Auxílio-moradia no Judiciário custa R$ 75,9 milhões mensais

A cronologia e alguns números do absurdo. São 17.351 juízes, desembargadores e ministros, todos da ativa, que têm suas contas engordadas periodicamente, sem impostos: R$ 4.377 mensais; R$ 52.532 anuais. Um aporte que, três anos e quatro meses depois da liminar, já chega a mais de R$ 170 mil individualmente.