Ir para o conteúdo principal

Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017

Vício em jogos eletrônicos passará a ser tratado como distúrbio psiquiátrico



Atividades de lazer favoritas de boa parte dos jovens do Brasil e do mundo, os videogames e demais jogos eletrônicos estão agora na mira das autoridades sanitárias internacionais. Pressionada por médicos e acadêmicos, a Organização Mundial da Saúde (OMS) deverá passar a classificar o vício em games como um transtorno psiquiátrico.

A proposta está em discussão nos comitês que cuidam da revisão da Classificação Internacional de Doenças (CID), manual publicado pela OMS que traz a definição e os códigos das patologias e que serve de parâmetro para o trabalho de médicos de todo o mundo.

A 11ª edição do documento já está sendo elaborada e deverá ser lançada no próximo ano. Sua versão preliminar lista o transtorno do jogo (ou “gaming disorder”, em inglês) como distúrbio psiquiátrico. Hoje, por não ser reconhecido como doença, esse tipo de comportamento é classificado no grupo de “outros transtornos de hábitos e impulsos”.

O tema começou a ser discutido em 2014 após centros da OMS, médicos e acadêmicos expressarem preocupação sobre possíveis implicações à saúde associadas à prática excessiva de jogos

O distúrbio dos jogos eletrônicos tem características diferentes do transtorno conhecido como jogo patológico, doença já incluída na versão atual da CID caracterizada pelo vício em jogos de azar com apostas em dinheiro, como bingos, cassinos e caça-níqueis.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Aposentadoria generosa até para corruptos

Pagamento sistemático de aposentadoria de até R$ 23.344,70 por mês para nove deputados cassados. O próximo a engrossar a lista será o notório José Dirceu. A área técnica da Câmara já reconheceu que o ex-chefe da Casa Civil de Lula tem direito à aposentadoria de R$ 9.646,57 mensais.

Foto: The Intercept

Desembargadora-ministra pede para acumular salário de R$ 61 mil

 

Desembargadora-ministra pede para acumular salário de R$ 61 mil

A baiana Luislinda Valois (PSDB), titular do Ministério dos Direitos Humanos reclama contra a “escravidão” em carta ao governo. E diz que “o trabalho executado sem a correspondente contrapartida se assemelha a trabalho escravo”. Explica querer ganhar R$ 61 mil mensais para “poder comer, beber, calçar, maquiar-se, etc.”
 

MPF isenta brasileiros de responsabilidade no acidente da Chapecoense

Inquérito encerrado ontem (26) apontou a falta de combustível como a causa da queda do avião, além de não haver evidências sobre a participação de brasileiros na tragédia. E a Justiça estadual de SC suspendeu a estreia do filme “O Milagre de Chapecó”, que está sendo finalizado por uma empresa uruguaia.