Ir para o conteúdo principal

Sexta-feira, 21 Julho de 2017

Vaga garantida para estudante de Direito



O estudante de Direito Eduardo Bueno Dechatnik, da Universidade de Curitiba (PR), conseguiu judicialmente o direito de efetuar matrícula em duas disciplinas que foram negadas pela instituição por falta de vagas.

A 4ª Turma do TRF da 4ª Região manteve sentença que determina à universidade o dever de matricular o aluno para que não haja atraso na conclusão da sua graduação.

Em primeiro grau, uma antecipação de tutela já garantira a frequência normal do universitário a todas as disciplinas.

Ao tentar efetuar sua matrícula nas disciplinas que foi orientado a cursar no segundo semestre de 2016, o estudante - que estava no oitavo período da graduação - constatou que diversas turmas estavam com vagas esgotadas. Procurando a universidade, foi informado que mesmo estando dentro do prazo acadêmico para a matrícula, não poderia efetuá-la em cinco das nove disciplinas que pretendia cursar, pois não havia mais vagas.

Segundo o julgado, “a recusa da matrícula em disciplinas previstas na grade sob o argumento de falta de vagas é injustificável, pois o aluno obteve as aprovações necessárias para cursá-las”. (Proc. nº 5040037-25.2016.4.04.7000).


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Os gastos dos deputados federais gaúchos com refeições

O valor reembolsado é 62% superior à média. O jeitinho para faturar um pouco mais, além do salário mensal  de R$ 33.763,00. Entre as guloseimas ingeridas, uma entrada de R$ 42 e um prato principal de R$ 192 num restaurante português em Porto Alegre.

Ferran

O Brasil das mamatas

 

O Brasil das mamatas

Em périplo internacional para, alegadamente, contestar o impeachment, Dilma Rousseff gastou, do erário, no primeiro semestre de 2017, em passagens e diárias – para a sua equipe – três vezes mais do que todos os ex-presidentes juntos. Foram R$ 522.697. É conveniente saber que um decreto de 2008 autoriza isso!

Milhões de reais disponíveis

Agilizem-se, antes que a União raspe o dinheiro! Justiça Federal do RS convoca credores, e seus advogados, que deixaram de requerer o levantamento de verbas depositadas. São R$ 87,4 milhões relativos a RPVs e precatórios.