Ir para o conteúdo principal

Terça-Feira, 19 setembro de 2017

A rifa íntima



Charge do Kauer

Imagem da Matéria

A secretária do advogado porto-alegrense, solteiro, com escritório em prédio classe ´A´, informa seu chefe que uma possível nova cliente quer marcar hora, para uma “causa de família”. Ela solicita urgência e pede recebimento reservado.

Fica então agendada a consulta para a quinta-feira, 15 h, tarde tipo veranico de maio. Chega então a cliente: bem maquiada, sapatos impecáveis, bolsa de grife, maquiagem discreta, mas eficiente. E chamativas blusa decotada e minissaia.

Os primeiros minutos do encontro profissional são meras questões protocolares. De repente, a surpresa.

-Sou garota de programa de luxo, cobro R$ 2 mil pelos meus eficientes serviços e o quadro brasileiro de agruras financeiras e políticas me fez mudar de estratégia. Depois de gerente de vendas, dedico-me agora a serviços prestados de cama... – diz ela.

O advogado arregala os olhos já temeroso e a visitante complementa:

- Estou fazendo uma rifa. É assim: são 100 números e cada um custa R$ 50. Corre pela Mega-Sena, todos os sábados. Os ganhadores são atendidos, um por dia, de segunda a sábado. Quem for sorteado, o senhor sabe... receberá o meu carinho.

O advogado empalidece, levanta-se, procura abreviar a conversa para evitar avanços e incômodos. E monossilabicamente repete, enquanto levanta-se da poltrona.

 - Não, não, não. Por favor...

- OK, não se preocupe. Sou discreta, já estou saindo. Mas pelo menos me ajude, estou pedindo, então, apenas R$ 100 neste momento difícil.

Em meio minuto, a visitante levanta-se – desculpando-se e despedindo-se - sai, pega o elevador e desaparece

>>>>>>>>>>

Adivinhem se o advogado deu, ou não, a ajuda financeira?

E-mails com palpites para 123@espacovital.com.br


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Gerson Kauer

A fortuna do “Padre Eros”

 

A fortuna do “Padre Eros”

Na cidade de 150 mil habitantes, o padre -  filho único - herdara todo o patrimônio deixado por seus pais. Era um homem rico - todos sabiam. Liberal, o religioso não obedecia ao celibato.  Metade dos paroquianos sabia que ele mantinha uma união “semi-estável” com uma mulher de meia idade, com quem tinha encontros matinais.

Charge de Gerson Kauer

O juiz papador

 

O juiz papador

Era uma ação trabalhista em que o porteiro de um motel reclamava horas extras. A petição inicial juntou fotos com as placas de automóveis que eram ´habituês´ nas incursões românticas.  E requereu que o Detran informasse os nomes dos proprietários dos clientes assíduos...

Gerson Kauer

Iniciativa sexual feminina proibida

 

Iniciativa sexual feminina proibida

Foi um divórcio complicado do casal de japoneses. No depoimento, a esposa contou seu desconforto “porque o cônjuge não permitia que ela tomasse a iniciativa das relações sexuais”. Mas a câmara julgadora preferiu reconhecer o “choque de culturas”.

Charge de Gerson Kauer

Prato do dia: pizza judicial

 

Prato do dia: pizza judicial

No formal ambiente forense, chamou a atenção o mal trajar da consumidora. Ela era ré de um termo circunstanciado por ofensas ao dono de uma pizzaria. Os personagens da cena forense se olharam e admitiram, depois, terem lembrado do caso do juiz do Trabalho que mandara para casa o reclamante que comparecera calçando chinelos.

Gerson Kauer

O seguro de sorte

 

O seguro de sorte

Na ação de um futebolista de média notoriedade, contra seu ex-clube, o pedido inusitado de indenização por perdas e danos, ante a não contratação de um seguro de... sorte.  A incorreta interpretação, por um dos advogados, diante de uma vírgula colocada no meio de palavras da cláusula oitava... O juiz aproveitou para dar sábias aulas de vernáculo.

Gerson Kauer

Chiclete cor de rosa

 

Chiclete cor de rosa

A sala está lotada de advogados, que esperam o início da sessão de julgamentos e os respectivos pregões de seus interesses. Na primeira fila, um profissional da advocacia aguarda a sua vez. No canto da boca, masca uma goma de mascar, que expele bolhas...