Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018.

A rifa íntima



Charge do Kauer

Imagem da Matéria

A secretária do advogado porto-alegrense, solteiro, com escritório em prédio classe ´A´, informa seu chefe que uma possível nova cliente quer marcar hora, para uma “causa de família”. Ela solicita urgência e pede recebimento reservado.

Fica então agendada a consulta para a quinta-feira, 15 h, tarde tipo veranico de maio. Chega então a cliente: bem maquiada, sapatos impecáveis, bolsa de grife, maquiagem discreta, mas eficiente. E chamativas blusa decotada e minissaia.

Os primeiros minutos do encontro profissional são meras questões protocolares. De repente, a surpresa.

-Sou garota de programa de luxo, cobro R$ 2 mil pelos meus eficientes serviços e o quadro brasileiro de agruras financeiras e políticas me fez mudar de estratégia. Depois de gerente de vendas, dedico-me agora a serviços prestados de cama... – diz ela.

O advogado arregala os olhos já temeroso e a visitante complementa:

- Estou fazendo uma rifa. É assim: são 100 números e cada um custa R$ 50. Corre pela Mega-Sena, todos os sábados. Os ganhadores são atendidos, um por dia, de segunda a sábado. Quem for sorteado, o senhor sabe... receberá o meu carinho.

O advogado empalidece, levanta-se, procura abreviar a conversa para evitar avanços e incômodos. E monossilabicamente repete, enquanto levanta-se da poltrona.

 - Não, não, não. Por favor...

- OK, não se preocupe. Sou discreta, já estou saindo. Mas pelo menos me ajude, estou pedindo, então, apenas R$ 100 neste momento difícil.

Em meio minuto, a visitante levanta-se – desculpando-se e despedindo-se - sai, pega o elevador e desaparece

>>>>>>>>>>

Adivinhem se o advogado deu, ou não, a ajuda financeira?

E-mails com palpites para 123@espacovital.com.br


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

A fórmula lucrativa da garota-de-programa

 

A fórmula lucrativa da garota-de-programa

Uma rara e demorada demanda judicial: a ação em busca de lucros cessantes de uma jovem mulher que se acidentou durante viagem com o parceiro pagante. E uma afirmação prosaica no recurso de apelação: “A prostituição é atividade alternativa no mercado de trabalho para jovens brasileiras sem perspectiva de emprego"

Charge de Gerson Kauer

A falta de provas

 

A falta de provas

Dois dias depois do julgamento de segundo grau que condenou o ex-presidente da República, começa um cursinho de Direito, com duas dezenas de jovens que aspiram o ingresso na magistratura. Na aula inaugural, o professor de Direito Penal conta uma história conjugal: um político militante desconfiava que sua esposa era adúltera. Então...

Charge de Gerson Kauer

O sexo e a vizinhança

 

O sexo e a vizinhança

Periodicamente, em um prédio da Independência, ouve-se o eco de tapas seguidos de gemidos altos. Os vizinhos já sabem que, em seguida, haverá muitos gritos decorrentes de cenas explícitas de sexo. O caso chega a Juízo. A juíza convida o casal participante e os vizinhos “à tolerância e à moderação, pelo bem social”.

Charge de Gerson Kauer

Predileção por lâmpadas vermelhas

 

Predileção por lâmpadas vermelhas

O equívoco cometido por um juiz que se preparava para assumir a jurisdição. Era meados de dezembro. Ao, pela primeira vez, subir a Serra Gaúcha, “encantou-se” com insinuantes luzes vermelhas que adornavam a fachada da casa de uma tradicional família italiana.

Charge de Gerson Kauer

O que (também) se faz no casamento?

 

O que (também) se faz no casamento?

Era o julgamento de uma apelação que buscava a anulação de um casamento, porque o homem se recusava ao relacionamento sexual. Até que o desembargador vogal descontraiu a discussão jurídica: “Dentre as finalidades do casamento está o relacionamento sexual - embora ninguém case só para isso, mas case também para isso”.

Charge de Gerson Kauer

Audiência de acareação

 

Audiência de acareação

Defronte ao juiz, no foro e perante os habituais personagens da cena forense, quase um engano atroz da idosa vítima de um crime sexual. Ela não identifica o preso como o autor da violência. E, espantosamente, ela passa a desconfiar do advogado de defesa!...