Ir para o conteúdo principal

Edição sexta-feira , 20 de julho de 2018.
http://espacovital.com.br/images/mab_123_13.jpg

Projeto de lei institui no RS o Dia Estadual do Frango e do Ovo



Chargista Nani

Imagem da Matéria

 O frango, os ovos e a política

Talvez na falta de algo melhor a debater e votar, tramita na Assembleia Legislativa do RS projeto de lei (nº 298/2015) que visa instituir o “Dia Estadual do Frango e do Ovo, como um reconhecimento justo e compensador para todos aqueles que atuam neste setor e para os próprios consumidores”.

A comemoração anual seria na segunda sexta-feira do mês de agosto, todos os anos.

Autor da ideia, o deputado Sérgio Turra (PP) proclama que “a carne de frango e os ovos, são alimentos de alto valor proteico e nutricional, essenciais no combate à desnutrição”.

E arremata que “tido como nocivo por décadas, o ovo foi reabilitado por pesquisadores em todo o mundo, com o argumento principal de que este alimento tão completo para a nutrição humana não aumenta as taxas de colesterol no sangue”.

Enquanto o projeto tramita burocraticamente com passos de tartaruga – talvez à espera de uma brecha desavisada – na quarta-feira, nos corredores da Casa, debatia-se uma questão acessória: quem veio primeiro, o ovo ou a galinha?

Há controvérsias.

 Perdão em causa própria

Em plena crise fiscal do País, parlamentares têm negociado a aprovação de um novo Refis, com perdão de até 99% das dívidas tributárias e previdenciárias. Mas os políticos estão longe de serem isentos para legislar sobre o assunto. Um levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo, com base em dados da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, revelou ontem (20) que deputados e senadores devem R$ 532,9 milhões à União.

A quantia inclui as dívidas inscritas nos CPFs dos parlamentares, os débitos nos quais são corresponsáveis ou fiadores e o endividamento de empresas de que os políticos são sócios ou diretores.

Quando o governo enviou a proposta de Refis ao Congresso, em janeiro, esperava este ano arrecadar R$ 13,3 bilhões. Mas os parlamentares alteraram a medida, ampliando o perdão e derrubando a expectativa de arrecadação para R$ 420 milhões.

O próprio relator da nova e generosa proposta deve R$ 51 milhões à União. Em seu parecer, o deputado Newton Cardoso Jr. (PMDB-MG) estendeu os descontos para quem deve até R$ 150 milhões - antes o limite era de R$ 15 milhões. Ele também reduziu o valor da entrada de 7,5% para 2,5%.

Na prática, são parlamentares preocupados em legislar em proveito próprio ou de poderosos padrinhos. Em outras palavras: outro descaso dos políticos com a opinião pública.

 Quase seis bilhões para “eles”

O deputado Vicente Cândido (PT-SP) não faz jus ao sobrenome. Há poucos dias veio a público que Cândido propôs a inclusão de um adendo na reforma política. Pela proposta, fica impedida a prisão de presumíveis candidatos até oito meses antes das eleições. E não mais apenas 15 dias antes, como é a atual legislação eleitoral.

Agora, é de Cândido uma outra pérola financeira: ele propõe a criação de um fundo público para financiamento de campanhas eleitorais correspondente a 0,5% da receita líquida da União. Coisa para R$ 5,9 bilhões, se mantidas as previsões do Ministério do Planejamento.

Ao deputado - com apoio da maioria dos líderes partidários - não ocorre melhor ideia para reformar a política que não a de onerar o Orçamento pátrio. Em outras palavras: partidos e políticos fazem besteiras e o cidadão paga a conta.

A propósito, é dos dicionários brasileiros: “Cândido – imaculado, que não tem culpa, malícia, nem pensamentos ou sentimentos maus; inocente; puro”. Do latim ´candidu(m).

 Reforma às ave$$as

Quando se observa o que está sendo feito com a urgente e imprescindível reforma política, constata-se, infelizmente, que há cada vez mais parlamentares indiferentes ao destino do País.

A Nação precisa lembrar do nome dessa gente em outubro de 2018.


Comentários

Jorge Pinto Loeffler - Comissário De Polícia Inativo 21.07.17 | 11:35:38

Quando essa lei foi sancionada pelo filósofo de Caxias do Sul, hoje governador deste Estado, bati forte nele e naqueles mais de cinquenta “gênios” que compõem a Grande CÂMARA ESTADUAL de Vereadores instalada na Praça da Matriz. Desrespeitaram as galinhas criadas em gaiolas que são privadas da saudável atividade sexual e assim excretam tão somente ÓVULOS. Tal lei deveria contemplar também o ÓVULO que é o que minha família consome. Pobre Estado que escolhe gente assim para legislar.

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Armário da comarca: sete anos e meio de lentidão processual em ação penal que tem 25 denunciados por fraude contra o Banrisul.

 Armário da corte: o triste atropelamento de 17 ciclistas e uma ação penal que teima em não terminar.

 Sinal vermelho da Environment Justice Atlas sobre Porto Alegre: precariedade da mobilidade urbana e demora na solução judicial.

 Corregedor nacional da justiça apõe intrigante segredo de justiça no pedido de providências sobre o plantão do TRF-4 que quase soltou Lula.

STF suspende cobrança abusiva de 40% pelos planos de saúde

· Na decisão, Cármen Lúcia afirma que “saúde não é mercadoria, vida não é negócio, e dignidade não é lucro”.

· Auxílio-maternidade a uma mulher que adotou menina de 12 anos.

· Franklin Martins, envolvido no sequestro do embaixador Charles Burke Elbrick, poderá estar na equipe de Dias Tóffoli na presidência do STF.

· Custódia do notebook apreendido na residência do empresário Henrique Constantino, um dos fundadores da Gol.

Reflexos e rescaldos de um plantão controvertido

• AJUFE não defenderá Favreto se ele for denunciado por prevaricação. Na eventual ação penal cabem transação penal e suspensão condicional da pena.

 Das redes sociais: “Outrora atribuída a advogados desqualificados, nosso país acaba de criar a figura do desembargador de porta de cadeia”.

 O “tríplice milagre” realizado por Lula.

•  “Rádio-corredor” forense anuncia candidato de oposição às eleições da OAB-RS. Mas o objetivo é 2021.

O polêmico desempenho do desembargador Favreto, no controvertido plantão do TRF-4

• O Espaço Vital pediu a opinião de 20 advogados sobre a confusão jurídica do domingo. Entre as respostas, veio à baila o ensaio da Grécia antiga: “Ne sutor ultra crepidam”.

 Google vence Xuxa definitivamente. Insucesso da ação que buscava a remoção de imagens e links a quem digitasse, no mecanismo de buscas, o nome da apresentadora e “pedófila”.

 Clamor feminista pretende que a OAB passe a chamar-se Ordem da Advocacia do Brasil. Sonho que fica para 2019 ou 2020.

• Só uma seccional estadual da OAB tem, atualmente, mais advogadas do que advogados.

 Mas as estagiárias já são maioria, na estatística nacional.

Salvo surpresas, Gilmar Mendes fica no STF até 30.12.2030

 Facchin indefere o pedido para que o Senado analise o impeachment do ministro colega. E a PGR não vai recorrer.

 Novo round no julgamento do caso que gerou a acusação de suposta corrupção no TJ de Santa Catarina: ontem, o voto- vista do vogal.

 Advogado gaúcho analisa supremas incoerências recentes do STF

Indenização para Luciano Huck por uso indevido de seu nome em lançamento imobiliário

 Decisão do STJ confirma a condenação da Cipesa, construtora de luxuoso empreendimento residencial em São Paulo, mas isenta a imobiliária que fez a comercialização.

 Conselho Seccional da OAB-RS exclui mais três advogados.

 A internacional Environment Justice Atlas aponta conflitos socioambientais em três casos no RS: um deles é a demora da Justiça gaúcha em decidir o caso do atropelamento coletivo de 17 ciclistas.

 Os gols financeiros que os planos de saúde festejam durante a Copa do Mundo.