Ir para o conteúdo principal

Terça -feira, 15 Agosto de 2017

Plantão solta filho de desembargadora preso com 129 kg de maconha e 199 munições



Diário do Centro do Mundo - MS

Imagem da Matéria

Breno estava preso desde 8 de abril; foi solto durante o plantão do tribunal

O plantão judiciário do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul decidiu, na sexta-feira (21), substituir a prisão preventiva de Breno Fernando Solon Borges, 37 de idade, por uma internação provisória em uma clínica médica. Preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) com 129 kg de maconha e 199 munições, Breno teve laudos anexados ao processo, comprovando que ele sofre com doença que consiste no "desvio dos padrões de comportamento".

Breno é filho da presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargadora Tânia Garcia de Freitas Borges, também integrante do TJ estadual, onde atua na 2ª Turma Cível. Oriunda do Ministério Público Estadual, ela ocupa vaga destinada ao quinto constitucional.

A decisão de soltura e internação na clínica foi tomada pelo desembargador plantonista Ruy Celso Barbosa Florence.

Conforme o saite Campo Grande News, o advogado de Breno apresentou ao tribunal laudos que comprovavam o diagnóstico da Síndrome de Borderline, doença manifestada "através de alterações de cognição, de afetividade, de funcionamento interpessoal e descontrole de impulsos”.

Em uma das tentativas anteriores de libertar Breno, a mãe se ofereceu como tutora para o filho ser internado em uma clínica médica. O juiz de primeira instância negou, dada a gravidade da acusação. Houve recurso interposto durante a primeira noite do plantão de fim-de-semana.

No recurso, a defesa se compromete que o acusado se submeterá a tratamento psiquiátrico adequado, sob a tutela e responsabilidade da mãe, que irá levá-lo a todas as audiências do processo.

Outros detalhes

•  Breno foi preso na madrugada do dia 8 de abril no município de Água Clara (MS). Na ocasião, ele estava acompanhado da namorada e de um amigo. Em dois veículos, o trio transportava 129,9 kg de maconha, 199 munições calibre 7.62 e 71 munições calibre 9 milímetros – são armamentos de uso restrito das Forças Armadas do Brasil.

•  Em outra ação penal, Breno é acusado de planejar fugas de uma penitenciária de segurança máxima de Mato Grosso do Sul. Na denúncia apresentada pelo Ministério Público ele foi apresentado como o "mentor" do grupo.

•  Ao todo, foram indiciados sete suspeitos acusados de integrar a organização criminosa e participar da tentativa de fuga de preso mediante violência. A prisão preventiva havia sido decretada para Breno como também aos demais integrantes do grupo.


Comentários

Giovany Antonelli - Estagiário De Pós-graduação Do Ministério Público Do Estado Do Paraná 25.07.17 | 12:40:11
Justiça seletiva! (entendedores, entenderão). "Desvio dos padrões de comportamento", claro; óbvio...''
Mario Fernando Gonçalves Lucas - Advogado. 25.07.17 | 12:06:17
Realmente é uma vergonha. Por ser filho de desembargadora tem privilégios; ooutros que cometessem tal crime estariam presos e sem que nenhum habeas corpus fosse concedido. A justiça é para todos, sendo inadmissível que alguém que transporte 129 Kg de maconha e munições como foi o caso, possa responder em liberdade. Mas estamos no Brasil, fazer o quê?...
Pedro Surreaux De Oliveira - Advogado 25.07.17 | 11:35:12
Ninguem informa o numero deste processo
Júlio Cezar Dal Paz Consul - Advogado 25.07.17 | 11:19:55
Como estamos proibidos de manifestações que violem a lei ou os bons costumes, aliás, sabiamente, resta-me, simplesmente, parafrasear um conhecido âncora de televisão dizendo "isto é uma vergonhaaaa". Sem mais palavras.
Leandro Willrich Rodrigues - Funcionário Público 25.07.17 | 10:48:51
Bom 129,9 kg de maconha, 199 munições calibre 7.62 e 71 munições calibre 9 milímetros. Se isso não é tráfico de drogas e armas nada mais é. É evidente o favorecimento deste rapaz. Art. 5º da Constituição Ferderal "Todos são iguais perante a Lei". Essa é a maior piada que existe. Isso é a cara do Brasil. Vergonha.
Banner publicitário

Notícias Relacionadas