Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 19 de outubro de 2018.

É dando que se recebe...



Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Causo real. O advogado papão, com muito jeito e cautela, tenta se aproximar da juíza linda – ambos solteiros. Na segunda-feira, numa audiência, há troca de olhares. Na quinta, ele é atendido para “conversar sobre um processo”.

Ela, é claro, se faz de difícil (ou era mesmo).

O galã insiste:

- Quero dar-lhe um presentinho, sem qualquer intenção de retorno ou favorecimento.

E tira da sacola um lindo vaso com rara flor.

Ela faz um denguinho ambíguo de mulher:

- Ora, doutor, quem não dá e quem não aceita?

O advogado, na sofreguidão, entende errado e vai para cima:

- Então, vamos? Tem um motelzinho bom e discreto ali...

Segue-se um tapa na cara e... voz de prisão. Esta, alguns minutos depois, é relaxada por intervenção dos “deixa-disso”, convocados às pressas por celulares.

A fonte do Espaço Vital é segura, mas não quer seu nome na divulgação, por sua proeminência como operador jurídico.

Ademais, os circunstantes posteriores e interventores envolvidos são gente do primeiro time.

 


Comentários

Rogério Teixeira Brodbeck - Advogado 25.07.17 | 15:37:28

Como sempre, mulheres se fazendo de difíceis e cheias de ambiguidades. Mas o coleguinha advogado atropelou na reta final... Ah, e operador é de empilhadeira...

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

A primeira vez da juíza

 

A primeira vez da juíza

Literalmente a magistrada foi só, em seu próprio automóvel, para conhecer a casa onde aconteciam os embates de Eros, o deus do amor. Sem demora, numa suíte temática, ela constatou que a vedação acústica tinha problemas. O original caso teve desdobramentos no tititi da “rádio-corredor” da subseção da OAB local.

Charge de Gerson Kauer

A sogra, ou a soga?

 

A sogra, ou a soga?

“A ação de usucapião ajuizada no foro de cidade próxima ao litoral norte gaúcho se referia a uma pequena área de terra, que passou a ser valiosa porque a cidade cresceu para aqueles lados”. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

   Castigo financeiro e caligráfico

 

Castigo financeiro e caligráfico

Autor de 45 ligações obscenas a uma massagista, um homem torpe foi condenado a pagar reparação moral. A vítima concordou em reduzir e parcelar o valor indenizatório só depois que o depravado capitulou: teve que escrever 200 vezes, em apurada caligrafia, que as mulheres devem ser respeitadas.

Charge de Gerson Kauer

O surpreendente maranhão

 

O surpreendente maranhão

O insólito acontecimento durante a protocolar audiência: na conciliação processual de um casal que se separara, surge à mesa um sugestivo artefato erótico de silicone. A juíza ameaça chamar a polícia. E a solução é esconder o objeto provocador do (suposto) prazer por baixo do paletó de um dos advogados.