Ir para o conteúdo principal

Sexta-Feira, 22 setembro de 2017
http://espacovital.com.br/images/mab_123_12.jpg

Senado e Câmara Federal custam R$ 1,16 milhão por hora aos cidadãos brasileiros



Chargista Ivan Cabral

Imagem da Matéria

O bilionário custo do Legislativo

O Senado e a Câmara dos Deputados, juntos, custam R$ 1,16 milhão por hora aos cidadãos brasileiros, em cada um dos 365 dias do ano. A conclusão é da organização não governamental (ONG) Contas Abertas, divulgada no sábado (29). O custo inclui fins de semana, recessos parlamentares e as segundas e sextas-feiras, quando os parlamentares fazem o vai-e-vem entre Brasília e suas bases eleitorais.

A espantosa cifra também inclui os salários. Cada deputado recebe salário bruto de R$ 33,7 mil - os 513 custam, com seus ´staffs´ e despesas, em média, R$ 86 milhões ao mês. Cada um dos 81 senadores também tem salário bruto de R$ 33,7 mil – e aí se vão, só para eles, R$ 2.729.700 mensais.

Segundo o fundador e secretário-geral da ONG, Gil Castello Branco, o levantamento dá ao cidadão “a dimensão exata de quanto custa nossa representação”. Cada deputado pode ter 25 assessores; um senador chega a 60, inclusive no seu próprio escritório de representação.

A cifra anual de todos os desembolsos, nas duas Casas legislativas, é de R$ 1,016 bi.

Gil Castelo Branco reforça que os abusos, verificáveis em todos os Poderes, têm o aval do presidente Temer. “Os dados do orçamento estão na Lei Orçamentária Anual, sancionada pelo Presidente da República. Temos criticado os 60 dias de férias da magistratura, os penduricalhos, os benefícios fiscais, etc. Quando há um déficit de R$ 139 bilhões e o orçamento da saúde é de R$ 125 bilhões, o natural é que se tente reduzir essas despesas em todos os Poderes.”

Contrapontos

A Agência Brasil solicitou às duas Casas do Congresso que comentassem o levantamento.

A Câmara dos Deputados sustentou que “configura equívoco calcular as despesas a cada hora, com base na mera divisão do valor total de seu orçamento pela quantidade de horas ao longo de um ano, na medida em que a previsão descrita no Orçamento da União abrange despesas relacionadas tanto a custeio quanto a investimento”.

E arrematou que “a partir do raciocínio utilizado, é possível concluir, por exemplo, que o Poder Legislativo custa, por cidadão brasileiro, cerca de meio centavo de real por hora ou R$ 48 por ano”.

A seu turno, o Senado economizou... na resposta.

Em rebate ao levantamento, a argentária Casa se limitou a mencionar que seu “Portal da Transparência foi visitado mais de 743 mil vezes no ano passado – e que o número de acessos subiu 55,1%, em relação a 2015”.

E por aí ficou.

Réplica

O secretário-geral da ONG Contas Abertas rebateu os dois contrapontos.

Disse que “é claro que tem que ser calculado o custeio com os funcionários, água, vigilância, cafezinho, papel, computadores, as obras, os automóveis, a manutenção dos imóveis funcionais. É um cálculo simples. É o orçamento anual das casas dividido por 365” - afirmou.

Assim se calcula o gasto diário. Aritmeticamente correto!

 A cachorrada

Ontem (31) logo depois da repercussão sobre o volume das torneiras financeiras abertas na Câmara e no Senado, uma historinha grassou na “rádio-corredor” do Conselho Federal da OAB. Retrata um suposto encontro informal no Congresso.

Personagens: um engenheiro, um economista, um químico, um analista de T.I.  e um político. Todos acompanhados de seus respectivos cachorros.

Vale a pena ler o enredo, nesta edição do Espaço Vital, o Romance Político que, apropriadamente, nesta terça-feira substitui o habitual Romance Forense.

Leia nesta edição > HABILIDADES DA CACHORRADA


Comentários

Mauro Santolin - Contador 31.07.17 | 16:12:23
Se o custo anual é de R$ 1.016.000.000,00 ou seja, um bilhão e dezesseis milhões, o custo por hora corrida é de +/- R$ 116.000,00, contando 24 horas por dia. Para termos um custo por hora de R$ 1.160.000,00 teríamos um custo anual de R$ 10.160.000.000,00 (dez bilhões, cento e sessenta milhões de reais). Não querendo defender a roubalheira de ninguém.
Banner publicitário

Mais artigos do autor

A desigualdade de tratamento entre quem tem e quem não tem foro privilegiado

Sérgio Cabral, Palocci, Cunha e Geddel estão presos por ordens de juízes federais. Sorte de Renan, Gleisi, Aécio, Collor, Jucá e outros que têm foro privilegiado.

Pedido de vista do ministro Alexandre de Moraes atrasa o julgamento, em ação penal, de uma proposta que restringe a validade do foro privilegiado aos delitos cometidos no exercício do cargo.

Uma tese inovadora: a corrupção privada é permitida no Brasil...

Em março de 1981 CBF ofereceu a João Figueiredo, presidente da República, que o Brasil sediasse a Copa do Mundo de 1990. Leia porque ele recusou.

Assédio moral de jogadores do Inter contra historiadora do clube

Ela trabalhava no museu colorado e cansou de ser chamada de “gostosa”, “cheirosa” e “linda”.

Chumbo grosso contra Lula e Aécio na delação da OAS.

•  Filme sobre Roberto Carlos: o rei na vida real.

Brasil ocupa duas entre dez posições dos maiores assaltos do mundo.

A insólita reação durante cruzeiro marítimo

• Homem joga ao mar a mala e os pertences da moça que ele conhecera durante viagem de navio pelo litoral brasileiro.

• Dinheiro encontrado na “caverna baiana de Ali Baba”, renderia R$ 480 mil mensais se tivesse sido depositado na poupança.

• Lula, Dilma e o PT receberam R$ 300 milhões da Odebrecht. E Geddel ganhou R$ 51 milhões de alguém. Um trabalhador brasileiro honesto (salário de R$ 4 mil mensais) levaria 8.775 anos para a proeza de – sem gastar nada – juntar esse dinheiro.

Preparem-se! O Brasil poderá ter até 103 partidos políticos

  Entre outros, vêm aí Partido da Raiz, Partido Militar Brasileiro, Partido das Favelas, Partido do Esporte, Partido Indígena e o pitoresco Partido Nacional Corinthiano.

• Escapamos de ter Eduardo Cunha como o próximo Presidente da República.

• Perda de objeto na suspeição de Rodrigo Janot.

As mulheres já são maioria nos cursos de Direito.

Exame invasivo proibido

• Exame de “Papanicolau” proibido para candidatas aprovadas em concursos

 TRF-3 confirma sentença de procedência de ação civil movida contra o INSS: “violação do princípio da isonomia, da razoabilidade e da dignidade da mulher”.

• Crise no STF? Gilmar Mendes está a 10.022 km de distância de Brasília.

 Funcionalismo estadual do RS recebeu, por conta dos salários de agosto, menos de 8% do que – a título de “auxílio-moradia” – é entregue (R$ 4.377) a juízes, promotores e conselheiros do Tribunal de Contas.