Ir para o conteúdo principal

Sexta-Feira, 20 Outubro de 2017

Inexigibilidade da cobrança de anuidade da OAB



O TRF da 4ª Região manteve, na última semana, sentença que reconhece a inexigibilidade da cobrança de anuidade da OAB – Secção do Paraná a uma advogada que sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) e tornou-se invalida para trabalhar.

 O AVC ocorreu em 2010. Desde setembro de 2011, ela recebe benefício assistencial. A advogada ajuizou ação solicitando que fosse reconhecida a inexigibilidade da cobrança de anuidade da autarquia federal.

A profissional relata que a OAB-PR sabe da sua atual situação e, ao invés de prestar-lhe auxilio e solidariedade, pretende somente cobrar valores que ela não tem como pagar.

Na 1ª Vara Federal de Campo Mourão (PR), o pedido foi julgado procedente, levando a Ordem paranaense a recorrer ao tribunal, defendendo a legitimidade da cobrança das anuidades de 2009 a 2013, “pois o fato gerador das mesmas é a inscrição nos seus quadros, independentemente do exercício efetivo da atividade”.

O relator do caso no TRF-4, juiz convocado Eduardo Gomes Philippsen, manteve o entendimento da primeira instância. “A advogada foi acometida de deficiência mental inabilitadora e, diante desta situação, há isenção. Logo, o reconhecimento da inexigibilidade da cobrança das anuidades é medida que se impõe com a consequente procedência dos presentes embargos à execução”, afirmou o relator.


Comentários

Narcy Antonio Maldaner - Advogado 31.07.17 | 15:48:08
Para isso foi preciso ajuizar? Creio que a OAB deveria ter atendido a advogada em sua pretensão, que é inquestionavelmente adequada, salvo fato não dado ao conhecimento. Essas situações são tão raras que sequer devem ser questionadas, em nome da razoabilidade, entre outros princípios.
Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Advocacia não é atividade de risco

O TRF-4 nega mandado de segurança a advogado gaúcho que – por trabalhar com empresas de factoring e pessoas físicas que devem a agiotas – pretendia o direito a porte de arma de fogo.

As muitas estultices do promotor Sérgio Harris

O Colégio de Presidentes das 106 Subseções da OAB gaúcha divulga nota para demonstrar indignação contra o presidente da Associação do Ministério Público do RS.

Associação de Advogados Trabalhistas também desagrava a OAB

Repudiando o artigo do promotor Sérgio Hiane Harris, a SATERGS alerta que “os ataques ao direito de defesa e à livre atuação dos advogados jamais podem ser tolerados, sob pena de instauração de um Estado ditatorial”.