Ir para o conteúdo principal

Terça -feira, 15 Agosto de 2017

A Corte Infiltrada”: relançamento de livro cujo cenário é o STF



No momento em que a realidade supera de longe a ficção nos três Poderes da República, será relançado o livro "A Corte Infiltrada", obra cuja trama ficcional tem como cenário principal o Supremo Tribunal Federal. A autora, Andrea Nunes, é promotora de Justiça e atua no combate à corrupção em Recife (PE).

O enredo gira em torno da tentativa do crime organizado de se infiltrar na mais alta Corte do país. O objetivo é influir na decisão de ministros que julgarão o líder de uma facção criminosa que domina presídios e espalha o terror em várias cidades.

O roteiro tem ingredientes que frequentam o noticiário: escolha de um novo ministro do Supremo, jornalismo investigativo, corrupção, fraudes em licitações, aquisição de patentes de pesquisas para uso criminoso, tráfico de influência e conivência de autoridades, lavagem de dinheiro e infiltração de bandidos em órgãos públicos.

Na trama, também um ex-repórter policial investiga a misteriosa morte de um monge budista num hotel, em Brasília, assassinado horas antes de uma audiência com o presidente do STF.

O jornalista obtém a ajuda de uma jovem às vésperas de ser ordenada monja num Mosteiro Zen-Budista em Aldeia, bairro da região metropolitana do Recife. O mosteiro mantém parceria com o vizinho Instituto de Neurociências.

O enredo mistura práticas de meditação budista e mecanismos de estimulação do cérebro desenvolvidos por neurocientistas.

O plano consiste em instalar um sistema de telefonia celular no STF que – por "estimulação magnética transcraniana flexibilizaria o julgamento moral pelos ministros", deixando os julgadores mais "sensíveis" aos argumentos da defesa para absolver o perigoso réu.

Além de ameaças, atentados e assassinatos, elementos de suspense em romances policiais, a apuração se desenvolve em meio a interpretações de mandalas e mantras, além de mensagens cifradas no Alfabeto Congo (utilizado por organizações criminosas, como o Comando Vermelho e o Primeiro Comando da Capital).

O desfecho do livro vai surpreender o leitor.

Mais detalhes

A CORTE INFILTRADA - R$ 39,90

·264 páginas
·Autora: Andrea Nunes
·Editora Buzz


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Nove anos depois, STF termina o julgamento do caso Varig

Rejeitados embargos de declaração da União e do MPF. Em 2013 o valor da indenização somava R$ 3,057 bilhões. O valor deverá ser usado para pagar dívidas trabalhistas e obrigações do fundo de pensão Aerus, formado por ex-funcionários da empresa.

Coisas de país rico, que o Brasil não é!

O Senado Federal aluga, por 30 meses, 85 automóveis zero km. A cifra de R$ 8,3 milhões inclui também o fornecimento de combustíveis, lavagens, etc.

Condenação solidária da Oi e de advogado gaúcho

É a primeira sentença, proferida em Porto Alegre, condenando a sucessora da Brasil Telecom por acordo prejudicial firmado em ação que discutia a dobra acionária. Demandante recebeu apenas 3% do seu crédito.

Os gastos dos deputados federais gaúchos com refeições

O valor reembolsado é 62% superior à média. O jeitinho para faturar um pouco mais, além do salário mensal  de R$ 33.763,00. Entre as guloseimas ingeridas, uma entrada de R$ 42 e um prato principal de R$ 192 num restaurante português em Porto Alegre.

Ferran

O Brasil das mamatas

 

O Brasil das mamatas

Em périplo internacional para, alegadamente, contestar o impeachment, Dilma Rousseff gastou, do erário, no primeiro semestre de 2017, em passagens e diárias – para a sua equipe – três vezes mais do que todos os ex-presidentes juntos. Foram R$ 522.697. É conveniente saber que um decreto de 2008 autoriza isso!