Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 18 de maio de 2018.

Prato do dia: pizza judicial



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Na pequena cidade gaúcha, a Pizzaria Passarinho era – para as cores locais – a melhor, para não dizer que fosse a única.  Produzia o trivial prato italiano, mas nem pensar em algo sofisticado como cobertura de frutos do mar. Mas ia...

A Reginaura era cliente da telentrega, mas foi cismando com a suposta perda de qualidade da pizza que chegava ora quente, ora morna, ora demorada, fria, murcha e sem gosto para o jantar dominical. E tanto foi que a Reginaura passou a ferrar a pizzaria, e seu dono,  nas redes sociais. Começou de mansinho, passou para os exageros e, logo, estava nas ofensas.

Via termo circunstanciado, o dono da pizzaria chegou ao Juizado Especial Criminal. O juiz designou audiência, na qual a Reginaura se apresentou impactantemente mal trajada: chinelos de dedos, short justo e curto, abdômen exposto (era avantajado, mas sem gravidez), mini blusa berrante etc.

Os personagens tradicionais da cena forense se olharam e admitiram, depois, terem lembrado de um caso ocorrido em Cascavel (PR). Foi quando o juiz do Trabalho Bento Luiz de Azambuja Moreira (atualmente titular da 21ª Vara do Trabalho de Curitiba), mandou para casa o reclamante que comparecera calçando chinelos.

O magistrado gaúcho, todavia, foi respeitoso e paciente. Logo sugeriu que uma retratação seria a melhor solução para todos. A Reginaura concordou e pediu licença para falar:

- Doutor, eu exagerei e me retrato. E estou aqui toda machucada porque levei uns tapas do meu marido, depois de um fresqueio virtual com uma turma no Facebook. Terminei descontando injustamente na pizzaria – disse mostrando marcas roxas nos braços.

Transação homologada, no dia seguinte a retratação foi publicada por Reginaura, em sua página: “Desculpo-me das afirmações inverídicas envolvendo a Pizzaria Passarinho, de quem nada tenho a reclamar em relação aos produtos e serviços prestados”.

Desagravado, o dono do estabelecimento mandou, à noite, uma caprichada caixa quentinha à casa da Reginaura. Era uma à “moda margherita”, de boa qualidade.

Foi assim que tudo acabou em pizza. Mas bem diferente daquelas pizzas dos políticos brasileiros, que só resolvem a sua avidez financeira e pisoteiam os ideais republicanos.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

Exagero na relação conjugal

 

Exagero na relação conjugal

Meia-noite de uma sexta-feira, Sua Excelência e a esposa – ele cinquentão, ela quarentona - tentam apimentar o relacionamento sexual. Por isso combinam que ela, em decúbito ventral, será algemada num dos decorativos vãos da cabeceira da própria cama do casal

Charge de Gerson Kauer

Os vinhos da Lava-Jato

 

Os vinhos da Lava-Jato

O destacado advogado gaúcho, recém divorciado, atuante na defesa de gente alcançada por decisões de Sérgio Moro, entra com a jovem namorada num notório restaurante em Porto Alegre, olha a carta de vinhos e pede uma garrafa do mais caro dos itens disponíveis.

Charge de Gerson Kauer

Quando a vida vira Coca-Cola

 

Quando a vida vira Coca-Cola

O departamento de aposentados da grande e atuante associação de juízes realiza um encontro de colegas jubiladas. Por sugestão de desembargadora oriunda do Ministério Público, convidam-se também promotoras e procuradoras de justiça.

Charge de Gerson Kauer

Amor à prova de balas

 

Amor à prova de balas

O homem é denunciado por tentativa de homicídio contra a própria companheira. Um tiro de raspão na cabeça; o outro num dos olhos dela. A vítima fica com apenas 50% da visão. Mais tarde, após a condenação dele, a reconciliação do casal. Adivinhem como era o nome dele?