Ir para o conteúdo principal

Edição antecipada 21-22 de junho de 2018.

Potins desta terça-feira



Arte de Camila Adamoli – Imagem de fundo apenas ilustrativa

Imagem da Matéria

• Zoada judicial

A “rádio-corredor” de um dos foros da Região Metropolitana ironizou um novel advogado que teria reclamado de um desembargador, ao sentir-se discriminado sexualmente em um despacho do douto.

A publicação em maiúsculas explicitava: “INICIALMENTE OUÇA-SE A PARTE AGRAVADA NA PESSOA DE SEU ADVOGADO VIA D O”.

Melhor teria sido, em bom vernáculo, a aposição de uma ou duas vírgulas. Mas, 99% dos operadores jurídicos seguramente sabem que as duas iniciais identificam o Diário Oficial.

• Representação contra desembargador

A OAB-RS e a Defensoria Pública do Estado do RS decidiram ontem (4) que as representações contra o desembargador Sylvio Baptista Neto, da 1ª Câmara Criminal do TJRS, serão apresentadas diretamente ao Conselho Nacional da Justiça. As petições serão independentes.

Há consenso de que o magistrado agiu com incontinência verbal, ao escrever sua impressão sobre os defensores públicos: “Tal qual ´advogados de porta de cadeia´, estão procurando, por vários meios inidôneos, atrasar uma sentença condenatória”.

O acórdão também se refere a “balelas razões” e “piada de mau gosto”. (Proc. nº 70074713462).

• Prazos especiais

A 3ª Seção do STJ decidiu, sob o rito dos recursos repetitivos, que o prazo para o Ministério Público e a Defensoria Pública impugnarem decisão judicial só passa a contar na data em que o processo é recebido no órgão.

Ao julgar a controvérsia, registrada como Tema nº 959 no sistema de repetitivos do STJ, os ministros definiram a seguinte tese: “O termo inicial da contagem do prazo para impugnar decisão judicial é, para o Ministério Público, a data da entrega dos autos na repartição administrativa do órgão, sendo irrelevante que a intimação pessoal tenha se dado em audiência, em cartório ou por mandado.”

A tese vale também para a Defensoria Pública, devido às semelhanças institucionais e legais.

Além do recurso especial sobre a tempestividade da apelação do MP, o colegiado julgou em conjunto um habeas corpus que discutia o prazo para a DP. (REsp nº 1349935 e HC nº 296759).

• Incidências do aviso prévio indenizado

Com a Instrução Normativa nº 1730/2017, da Receita Federal do Brasil (RFB) nº 1730/2017, ficou definido que o aviso prévio indenizado não integra mais a base de cálculo das contribuições previdenciárias a cargo das empresas optantes pelo Simples Nacional.

A mudança obedece ao entendimento pelo STJ, conforme posicionamento que já fora reconhecido pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, por meio da Nota PGFN/CRJ nº 485, de 2 de junho de 2016, vinculando a Receita Federal do Brasil.

Assim, a contribuição previdenciária patronal (20%) e as contribuições para outras entidades deixam de incidir sobre o aviso prévio indenizado.

 Frases irreprimíveis

• “O namoro do PMDB com as riquezas naturais da Amazônia vem de longe. É um lugar tão complexo, capaz de sepultar não apenas os sonhos pioneiros, mas também as grandes trapaças”. (Escritor Fernando Gabeira).

• “Se a Câmara pode fazer um fundo eleitoral de R$ 3,6 bilhões, pode fazer também um fundo de segurança pública de R$ 3,6 bilhões. Ou, então, vamos rachar isso ao meio”.(Ministro da Justiça Torquato Jardim).

• “A coreografia republicana encenada em Brasília por um governo fantasia, um Congresso que representa apenas a si mesmo e um Judiciário com surtos de protagonismo tem um elenco fixo e coadjuvantes variáveis. Porém falta-lhe o principal: a capital federal perdeu o elo com 207 milhões de brasileiros saqueados pela corrupção”.(Jornalista Dorrit Harazim, em O Globo).

 Faz de conta que é novo

O DEM também vai mudar de nome. Depois de já ter sido Partido da Frente Liberal (1985/2007), os chefes do partido já aprovaram a logomarca (em azul e amarelo) e um filmete apresentando a nova (?) legenda.

Vai chamar-se Centro. Tem tudo para manter os cacoetes assumidos desde as articulações que elegeram Tancredo Neves à Presidência da República.

Inicialmente era uma (saudável) dissidência do PDS, mas logo serviu como aliado de quase todos os governos civis.

• Uso indevido do símbolo da Receita Federal

O uso particular indevido de marcas, logotipos, siglas ou símbolos oficiais que identificam órgãos da administração é crime de falsificação de sinal público (art. 296, parágrafo 1º, inciso III, do Código Penal. A decisão é da 7ª Turma do TRF da 4ª Região ao confirmar sentença que condenou a 2 anos de prisão o contador Janor José Borba, dono de uma assessoria contábil, na cidade de Araucária (PR)

O símbolo da Receita Federal na fachada do escritório, cartazes, calendários e cartões de visita.

Na dosimetria, a pena foi substituída por medidas restritivas de direito, como prestação de serviços à comunidade, pagamento de três salários-mínimos e multa. (Proc. nº 5033731-74.2015.4.04.7000).

• Falecimento

Morreu ontem (4), em Curitiba (PR), aos 60 anos, o desembargador federal aposentado Álvaro Eduardo Junqueira, do TRF da 4ª Região. Na sua carreira profissional, foi técnico de controle externo no Tribunal de Contas do Paraná de 1980 a 1987. Entre 1987 e 1991, exerceu o cargo de promotor de justiça.

Foi juiz federal de 1992 a 2004, quando então passou a fazer parte da composição do TRF-4 como desembargador federal.

Como coordenador do Sistema de Conciliação da 4ª Região, Junqueira foi vencedor do prêmio “Conciliar é Legal” do CNJ, em 2010, na categoria TRFs. O projeto premiado foi a realização de mutirões de conciliação na JF do RS, de SC e do PR. Estava aposentado há quatro anos.


Comentários

Sérgio Araújo - Aposentado 05.09.17 | 11:07:24

Sobre a intimação feita por nota de expediente, o equívoco poderia ter sido evitado se houvesse sido utilizada a abreviatura correta do jornal que faz as publicações oficiais do Poder Judiciário: DJE - Diário da Justiça Eletrônico.

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Potins desta terça-feira

 O futuro presidente Toffoli já começa a pensar no aumento para o Judiciário.

• Rodrigo Janot vem ao RS para falar sobre eleições e corrupção.

 Foi em Santiago (RS), a audiência criminal em que o réu não aceitava uma mulher juíza!

 O ano de 2014 que ainda não acabou em Porto Alegre.

 Desaprovação ao governo brasileiro só não é pior do que a de Bósnia-Herzegovina.

 O jeitinho para evitar o avanço no combate da corrupção no Brasil.

• Discriminação nos EUA contra mulheres grávidas empregadas.

 Colega de Rosa Weber no STF avalia que ela é a “ministra pêndulo”.

• Os 60 dias pedidos pela PGR que vão ajudar Michel Temer.

Potins desta terça-feira

 Gleisi Hoffmann quer que o Judiciário se sensibilize com o caos social e libere Lula.

• Na política brasileira, outubro chegou em junho.

 STJ decide se cidadã pode deixar de se chamar Tatiana, para ser Tatiane.

 Ainda sem título definitivo, vem aí as “memórias do cárcere de Lula”.

• As buscas no apartamento de Augusto Nardes: nada ostensivo...

 Brasileiros acreditam pouco na seriedade das eleições.

•  Benesses para os planos de saúde: 107% de aumento em sete anos.

Potins desta terça-feira

 Maior jornal da Inglaterra diz que “Sérgio Moro é “o homem que encerrou cinco séculos de impunidade no Brasil”.

 Governo acaba de criar mais um elefante branco: o SUSP, irmão do SUS.

•  STF vota na quinta-feira (24) proposta de nova súmula vinculante.

 Quando a “utilidade política” prevalece sobre a utilidade pública...

 Embaixadas para Temer, Moreira e Padilha – se Alkmin for Presidente da República. Mas ele nega.

• População com 60 de idade, ou mais, estará superando os moços de 16 a 24 anos, nas eleições de outubro.

 Impasse no TST para tentar orientar decisões uniformes em ações trabalhistas.

 Prorrogação do benefício de salário-maternidade, em decorrência de parto prematuro.

Novo slogan de Temer vira piada nas redes sociais

• A importância da vírgula: o presidente diz que “o Brasil voltou, 20 anos em dois”.

• Mas há quem ironize: “o Brasil voltou 20 anos em dois”.

 Uma busca e apreensão – por engano – na casa do secretário adjunto do CF-OAB.

 A prescrição que agrada banqueiros.

 Gilmar Mendes prevê uma avalanche processual nos foros e tribunais, Brasil afora.

 Quanto é dois mais dois?

• Uma análise de Joaquim Barbosa sobre o sistema político brasileiro.

Potins desta sexta-feira

• Presença estranha deixa magistradas assustadas em importante reunião na Universidade de Harvard.

•  Governo brasileiro exclui entidades da lista de convidados para a reunião anual da Organização Internacional do Trabalho.

•  Temer torce pela vitória de Henrique Meirelles: quer ser ministro da Justiça a partir de 2 de janeiro.

•  Empresas envolvidas em desastres ambientais só pagaram 3,4% das multas ambientais, que totalizam R$ 785 milhões.

•  Quem são os políticos, empresários e magistrados alfinetados nos voos comerciais brasileiros.

• O largo par de headphones que faz Luiz Fux não ser incomodado quando voa de Brasília ao Rio, e vice-versa.

Potins desta terça-feira

• Nova súmula do STJ publicada: prazo para seguro de vida cobrir suicídio

 Decisão da 2ª Seção do tribunal também cancelou a Súmula nº 61

 O aumento do tesão financeiro dos donos de motéis.

 Filha de Eduardo Cunha concorrerá a deputada federal como herdeira política do pai.

 A queda da arrecadação das maiores centrais sindicais do país.

 Impasse entre herdeiros da travesti Rogéria, falecida em 2017.