Ir para o conteúdo principal

Edição antecipada 21-22 de junho de 2018.

Associação de Advogados Trabalhistas também desagrava a OAB



Nota veiculada ontem (5) à noite pela SATERGS – Associação dos Advogados Trabalhistas de Empresas no RS – também expressou “nota pública de desagravo” à OAB, em função dos ataques proferidos pelo presidente da Associação do Ministério Público do RS.

Leia a nota

A SATERGS – Associação dos Advogados Trabalhistas de Empresas no RS repudia com veemência a posição da Associação do Ministério Público do RS, manifestada por seu presidente, Sérgio Hiane Harris, no artigo intitulado ´Erro histórico da Ordem dos Advogados´, publicado nesta quinta-feira (05/09) no sítio eletrônico Espaço Vital.

O intransigente combate à corrupção, amplamente defendido pela OAB, não pode servir de argumento a justificar a violação das prerrogativas dos advogados.

Os ataques ao direito de defesa e à livre atuação dos advogados jamais podem ser tolerados, sob pena de instauração de um Estado ditatorial.

Ao revés do que pretende fazer o indigitado artigo, a Ordem dos Advogados do Brasil não se pauta por interesses meramente corporativos, mas pela defesa da Constituição Federal e do Estado Democrático de Direito.

(ass.) Eduardo Caringi Raupp, presidente da SATERGS”.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Elogiáveis relações entre advogado e juiz

Verdades e gentilezas numa petição por esquecer de comparecer a uma audiência. E a distinção no despacho judicial:“Que o exemplo sirva às novas gerações de advogados!”.

TRT-RS reconhece a cobrança cumulativa de honorários contratuais e assistenciais

Julgado reverte sentença, em ação civil pública, que condenara dois advogados e um sindicato a pagarem reparação (R$ 100 mil) por dano moral coletivo e a cumprirem obrigações de fazer e obrigações de não fazer. Acórdão salienta que “se a lei não veda a possibilidade de cobrança de honorários contratuais, não compete ao Poder Judiciário determinar a proibição da pactuação livre e sem vícios”.