Ir para o conteúdo principal

Edição sexta-feira , 20 de julho de 2018.

Potins desta sexta-feira



Corrupção privada permitida

Uma tese inovadora: “corrupção privada não é crime no Brasil, e assim não é possível investigar alguém no país por essa conduta”.

Esta é a essência da impetração de habeas corpus em favor de Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico do Brasil. Ele quer anular o procedimento que apura sua participação na compra de votos para a escolha do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas de 2016.

Em habeas corpus impetrado no TRF da 2ª Região (RJ e ES), a defesa de Nuzman argumenta que o ato atribuído a ele – mediar compra de votos de agentes privados – não é crime no Brasil, só na França.

A petição afirma que “como o nosso país não é colônia nem possessão francesa”, o presidente do COB não poderia ser acusado dessa conduta em solo nacional. (Proc. nº 050567956.2017.4.02.5101).

“Homão da p...”

O Conar – Conselho Nacional de Autoregulamentação Publicitária mandou seguir um comercial televisivo de um curso de inglês, estrelado pelo jogador Diego, do Flamengo. Este é apregoado como “craque, campeão, bom pai, maridão, um homão da p...”.

Mesmo que o “duro palavrão” não tivesse sido dito por inteiro, vários telespectadores reclamaram logo nos primeiros dias após o início da exibição da campanha.

O Conar não viu nem escutou nada demais.

Torcedor comum

Para descontrair – e fazendo uso dos direitos garantidos a qualquer cidadão comum – o juiz Sergio Moro foi "disfarçado" ao jogo do Atlético-PR contra o Fluminense, na Arena da Baixada, em Curitiba, no último fim de semana.

Ele usou boné e óculos na tentativa de não ser reconhecido pelo público presente ao estádio. Apesar dos esforços, foi flagrado por torcedores, que fotografaram a cena. Logo surgiu a dúvida: seria o magistrado famoso?

Feita uma consulta ao sistema de biometria do estádio, ficou constatado que, de fato, tratava-se do magistrado desfrutando de suas horas vagas. 

A propósito: Mario Celso Petraglia, presidente licenciado do Atlético Paranaense, responde por ocultação de patrimônio e lavagem de dinheiro. A ação tramita na 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba, onde Moro é titular.

Mas não avancem o sinal em ilações.

110% de certeza

Na crise política sem trégua, uma nova alfinetada: “Eduardo Cunha distribuía propina a Temer, com 110% de certeza”.

A frase - que liga o presidente da República ao ex-presidente da Câmara - está em depoimento prestado no dia 23 de agosto pelo delator Lúcio Funaro, operador financeiro de políticos do PMDB.

Espelho, espelho meu...

Voto solitário na sessão de quarta-feira (20) no STF, Gilmar Mendes voltou à carga, ao desqualificar as investigações e indícios de provas contra Temer. Em seguida, passou a julgador do acusador Rodrigo Janot. Dois dos adjetivos qualificativos destilados: “indivíduo sem caráter” e “mentiroso”.

E um arremate ferino: “Ele, Janot, que vivia de dedo em riste como o Simão Bacamarte de ´O Alienista´, deveria pedir sua própria prisão provisória, mas não teve coragem para isto”.

A guerra de ideias e de farpas está longe do fim.

Das redes sociais

*  “O Jô, do Corinthians, é o segundo cara mais honesto do Brasil. O primeiro continua sendo o Lula”.

*  “ Proposta da CUT contra o desemprego: soltem todos os presos da Lava-Jato”.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Potins desta sexta-feira

 Negado vínculo de emprego entre carregador de tacos de golfe e o Country Clube de Porto Alegre.

 Um homem e sua união estável com duas mulheres

TRF-4 mantém liminar que impede governo do RS de arquivar a extinção da Fundação Piratini.

 CF da OAB diz que o modelo da Agência Nacional de Saúde e outras reguladoras está falido.

 Auxílio-acidente depois do auxílio-doença.

 MPF vai pedir, em agosto que Adriana Ancelmo volte para a prisão.

Potins desta sexta-feira

•  Cartazete em escritório de advocacia gaúcho explica a cobrança de R$ 150 por consulta: “É da mesma forma como acontece quando o(a) distinto(a) cidadão(ã) vai a um médico particular”.

• Pensões distintas para filhos do mesmo pai. O STJ flexibiliza o princípio da igualdade absoluta de direitos.

•  Um precedente do TST que vai mexer no adicional noturno.

•  Restrições ao prazo em dobro quando houver litisconsórcio de réus.

•  Os apertos de julho... E o que nos espera em agosto?

Potins desta terça-feira

 O futuro presidente Toffoli já começa a pensar no aumento para o Judiciário.

• Rodrigo Janot vem ao RS para falar sobre eleições e corrupção.

 Foi em Santiago (RS), a audiência criminal em que o réu não aceitava uma mulher juíza!

 O ano de 2014 que ainda não acabou em Porto Alegre.

 Desaprovação ao governo brasileiro só não é pior do que a de Bósnia-Herzegovina.

 O jeitinho para evitar o avanço no combate da corrupção no Brasil.

• Discriminação nos EUA contra mulheres grávidas empregadas.

 Colega de Rosa Weber no STF avalia que ela é a “ministra pêndulo”.

• Os 60 dias pedidos pela PGR que vão ajudar Michel Temer.

Potins desta terça-feira

 Gleisi Hoffmann quer que o Judiciário se sensibilize com o caos social e libere Lula.

• Na política brasileira, outubro chegou em junho.

 STJ decide se cidadã pode deixar de se chamar Tatiana, para ser Tatiane.

 Ainda sem título definitivo, vem aí as “memórias do cárcere de Lula”.

• As buscas no apartamento de Augusto Nardes: nada ostensivo...

 Brasileiros acreditam pouco na seriedade das eleições.

•  Benesses para os planos de saúde: 107% de aumento em sete anos.

Potins desta terça-feira

 Maior jornal da Inglaterra diz que “Sérgio Moro é “o homem que encerrou cinco séculos de impunidade no Brasil”.

 Governo acaba de criar mais um elefante branco: o SUSP, irmão do SUS.

•  STF vota na quinta-feira (24) proposta de nova súmula vinculante.

 Quando a “utilidade política” prevalece sobre a utilidade pública...

 Embaixadas para Temer, Moreira e Padilha – se Alkmin for Presidente da República. Mas ele nega.

• População com 60 de idade, ou mais, estará superando os moços de 16 a 24 anos, nas eleições de outubro.

 Impasse no TST para tentar orientar decisões uniformes em ações trabalhistas.

 Prorrogação do benefício de salário-maternidade, em decorrência de parto prematuro.

Novo slogan de Temer vira piada nas redes sociais

• A importância da vírgula: o presidente diz que “o Brasil voltou, 20 anos em dois”.

• Mas há quem ironize: “o Brasil voltou 20 anos em dois”.

 Uma busca e apreensão – por engano – na casa do secretário adjunto do CF-OAB.

 A prescrição que agrada banqueiros.

 Gilmar Mendes prevê uma avalanche processual nos foros e tribunais, Brasil afora.

 Quanto é dois mais dois?

• Uma análise de Joaquim Barbosa sobre o sistema político brasileiro.