Ir para o conteúdo principal

Edição sexta-feira , 20 de julho de 2018.

Uma goleada contra o pior



O governo Temer é aprovado por 3% e reprovado por 77% - disse ontem (28) o Ibope. O índice de entrevistados que consideram o governo 'regular' é de 16%. A pesquisa foi encomendada pela Confederação Nacional da Indústria e ouviu 2 mil eleitores entre 15 e 20 de setembro; a margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Com o percentual de 77% de reprovação, Temer atingiu o maior patamar de avaliação “ruim/péssimo” de toda a série histórica da pesquisa CNI/Ibope, iniciada em março de 1986.

Antes, o pior nível havia ficado em 70% nas avaliações de julho deste ano (Temer) e de dezembro de 2015 (Dilma).

A pesquisa também avaliou a opinião dos entrevistados sobre a maneira de governar do presidente da República: 7% aprovam; 89% desaprovam; e 4% não sabem.

O Ibope também questionou sobre a confiança dos entrevistados em relação ao presidente: 6% dos entrevistados disseram confiar em Temer; 92% afirmaram não confiar; 2% não souberam ou não responderam.

A pesquisa traz ainda as notícias mais lembradas pelos entrevistados:
“Corrupção no governo”, 23%;
“Operação Lava Jato”, 11%;
“Apreensão de R$ 51 milhões que seriam de Geddel Vieira Lima”, 7%;
“Liberação para exploração da Amazônia”, 5%;
“Anulação da delação premiada de Wesley e Joesley Batista”: 4%.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Lula não tem direito a dar entrevistas

Juíza que tem jurisdição sobre a execução da pena imposta ao ex-presidente nega pedido da Folha de São Paulo, SBT e Portal Uol.

Foi-se a Copa?

Versos de Carlos Drummond de Andrade, logo depois da Copa do Mundo de 1978 (Argentina campeã), vaticinaram que os brasileiros (derrotados) podem cuidar de outros problemas. O que acontecerá se Tóffoli assumir a presidência do STF em agosto de 2018?

Assédio em transporte escolar

TJRS confirma, em reexame necessário, sentença cível que determinou afastamento do condutor de veículo oficial que conduzia estudantes. Mas no juízo criminal houve a ocorrência da prescrição punitiva.