Ir para o conteúdo principal

Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017
http://espacovital.com.br/images/mab_123_11.jpg

Desembargadores conectados por meio dos celulares mais caros do mercado



Auxílio-celular

Novo penduricalho chegando: o Tribunal de Justiça de Pernambuco autorizou, por meio de pregão eletrônico, a compra de 60 smartphones. O modelo é o mais caro do mercado (R$ 12.633 por unidade) e o valor será pago pelo ...erário, claro.

Os aparelhos servirão aos 52 conectados desembargadores da corte e a oito privilegiados assessores.

O risco é a ideia ser imitada tribunais afora...

O mimo pernambucano custará R$ 758 mil. É de lembrar que a regra geral, país afora, é que os cidadãos de bem comprem seus celulares com seu próprio dinheiro.

Mas os leitores sabem: excelências pensam diferente... (Pregão eletrônico nº 91/2017).

Privilégios para alguns


Sabem por que os políticos continuam fazendo questão de serem julgados pelo STF? A resposta é estatística.

Em Curitiba, na Lava-Jato, já são 107 condenados. Em Brasília, por enquanto nenhum!

Nessa linha, a situação vivida nos últimos dias pelo deputado Paulo Maluf (PP-SP), condenado pelo STF, em maio, a sete anos e nove meses de prisão, é um dos símbolos da impunidade ainda reinante no Brasil, mesmo em tempos de Lava Jato. O processo contra ele moureja há 25 anos. O julgamento de novo recurso - que era para ser definitivo - foi interrompido graças a um pedido de vista do ministro Marco Aurélio.

A história de Maluf tem semelhanças chicaneiras com o caso de José Dirceu, que teve sua pena aumentada de 20 anos e 10 meses para 30 anos e nove meses pelo TRF da 4ª Região. Mesmo assim, e embora já tivesse ficado preso preventivamente por quase dois anos, o notório ex-capitão do time de Lula está dando de ombros à nova pena.

Ele aposta que será salvo pelo STF, assim como Maluf, com a derrubada da decisão que determina a prisão depois de julgamento em segunda instância.

Depois, Dirceu dobrará a aposta: recorrerá ao próprio Supremo, onde espera ser absolvido no mérito.

Das redes sociais


Há quase unanimidade entre internautas sobre o melhor post da semana passada.

É um que diz assim: “o proprietário fantasma recebeu, da inquilina falecida, o valor do aluguel em um dia que não existe”.

Lá foram eles…


De janeiro a 15 de setembro deste ano, a Câmara dos Deputados patrocinou 274 viagens internacionais de seus membros. Anunciadas como “missões oficiais”, ficam na prática com seus álibis desmoralizados.

Alguns maus exemplos: Cleber Verde (PRB-AM) passou três dias em New York, numa feira de alimentos e bebidas; Pedro Vilela (PSDB-AL), Vanderlei Macris (PSDB-SP) e Cláudio Cajado (DEM-BA) curtiram cinco dias em Paris num congresso de aviação; e Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG) foi conhecer o Mercado de Maryland.

Outro dos descontraídos programas foi da dupla José Nunes (PSD-BA) e Paulo Azi (DEM-BA), autorizados a viajar a Orlando (EUA), “para um encontro com diretores da Disney”.

Mickey e Donald devem ter testemunhado.

Patetas brasileiros ficaram distantes.


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Brasileira estudante de Direito faz aborto na Colômbia

• O dilema da mãe de dois meninos – e com nova gestação avançando – enquanto a Justiça brasileira não decidia.
Rebeca Mendes Silva (foto) teve apoio da ONG Consórcio Latinoamericano contra o Aborto Inseguro.
• A próxima decisão do STF sobre a prisão, ou não, logo após a condenação de segunda instância.
• Sérgio Cabral: pastor de igreja, ou ladrão? Qual os leitores preferem?
• Procuram-se políticos honestos para uma festa do amigo secreto, em Brasília.

Natal generoso para várias dezenas de magistrados gaúchos

•TJRS está pagando novas “diferenças residuais da transição da URV”, cuja conta já custou ao Estado mais de R$ 1,4 bilhão.
• Decisão da Justiça de SC mantém o pagamento do imposto sindical.
• Universitários (as) e estagiários (as) cuidem-se! Entre eles, 12% nunca usam, nem exigem, a camisinha.
• Dois desembargadores do TRT-RS habilitados à vaga de ministro do TST.

Março ou abril: as datas em que Lula poderá ser condenado ou absolvido pelo TRF-4

• Voto pronto já saiu do gabinete de Gebran Neto e agora está, criptografado, no notebook de Leandro Paulsen.
• Lembram daquela história do “usufruto financeiro” de Eduardo Cunha? Vai custar a ele R$ 3,8 milhões de multa.
• O silêncio domina, dez meses e meio de depois da morte de Teori Zawascki.
• Mudança na jurisprudência da ação de cobrança de quotas condominiais.

Mais cuidados ao prestar fiança!

• Decisão do STJ estabelece que “fiadores de contrato de locação são solidariamente responsáveis pelos débitos locativos, ainda que não tenham anuído com o aditivo contratual que previa a prorrogação do contrato”.
• O castigo judicial contra advogado que ameaçou matar ex-namorada.
• Brasil: “pátria das tornozeleiras”.
• O dedo-duro do zagueiro da Ponte Preta...

Um grande lobby para tentar liberar os cigarros eletrônicos no Brasil

• A Souza Cruz tenta convencer a Anvisa e a opinião pública de que os E-cigarettes não causam mal à saúde. Mas...
• Agentes do propinoduto só esperam a chegada de Papai Noel para poderem sair por aí...
• Os US$ 59 milhões anuais que fizeram Luciano Huck desistir de concorrer à Presidência da República.