Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 21 de setembro de 2018.

CNJ vem ao Rio Grande do Sul para inspeção em segredo de justiça



Entre os dias 23 e 31 de outubro - nove dias - uma equipe de dez magistrados da Corregedoria Nacional da Justiça, órgão do Conselho Nacional de Justiça, estará realizando inspeção no Judiciário Estadual do Rio Grande do Sul. Serão realizados levantamentos e exames nos setores administrativos e judiciais de 1º e 2º graus de jurisdição, além das serventias extrajudiciais em todo o Estado.

Segundo determinação do corregedor nacional, ministro João Otávio de Noronha, “a inspeção deverá tramitar em segredo de justiça”.

A Portaria nº 27 de 27/9/2017 - que determina os procedimentos a serem realizados - não revela quais serão os custos do deslocamento (via aérea), da hospedagem (hotéis de 4 ou 5 estrelas) e de alimentação da equipe de inspeção – que é formada por 22 pessoas. Todas se deslocarão – de seus respectivos Estados de origem – a Porto Alegre na véspera (22) do primeiro dia das atividades.

A equipe que fará a inspeção é composta pelos seguintes magistrados:

• Desembargadora federal Daldice Maria Santana de Almeida, conselheira do CNJ;
• Desembargadores Luiz Fernando Tomasi Keppen e Octávio Campos Fischer (ambos do TJ do Paraná);
• Desembargador Luis Paulo Aliende Ribeiro (do TJ-SP);
• Desembargador Ronei Danielli (do TJ-SC);
• Juízes Carlos Vieira Von Adameke, Ricardo Felício Scaff, Márcio Antonio Boscaro e Marco Antonio Martin Vargas (todos do TJ-SP);
• Juízes Márcio da Silva Alexandre e Lizandro Garcia Gomes Filho (ambos do TJ do Distrito Federal; e
• Juiz Nicolau Lupianhes Neto (do TJ-MG) - além de assessores.

Estes serão em número de dezesseis, sendo 10 do CNJ, três do TJ-DFT, um do TJ-SP, um do STJ, e um da Escola Nacional de Formação de Magistrados.

O CNJ já requisitou à presidência do TJRS “sala com capacidade para, ao menos, 15 pessoas sentadas, com 15  computadores conectados à Internet e impressoras, a fim de que possam ser analisados os documentos e informações colhidos”.

Durante a inspeção, os trabalhos forenses e/ou prazos processuais não serão suspensos. Não foram reveladas as comarcas, varas, repartições e cartórios que serão inspecionados.


Comentários

Cinara Marques - Advogada 09.10.17 | 08:54:32
Eles precisariam ficar um ano para inspecionar somente os cartórios de Porto Alegre.
Martaísa Corrêa Da Silva - Advogada 06.10.17 | 14:53:49
Por que em segredo justiça?
Guilherme Losekann - Advogado 06.10.17 | 10:52:26
QUE VENHAM PARA AGUDO/RS! ALGUÉM PRECISA OLHAR POR NÓS EM AGUDO/RS!
Marcelo Vilani - Advogado 06.10.17 | 09:21:00
Espero que esta força tarefa inspecione a comarca de Carlos Barbosa!
Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Foto Ceará News

Um plantão que vendia liminares na corte estadual

 

Um plantão que vendia liminares na corte estadual

CNJ “pune” com aposentadoria o desembargador Carlos Rodrigues Feitosa (foto) do Tribunal de Justiça do Ceará. O grupo criminoso negociava, inicialmente, via WhatsApp e a soltura de criminosos custava de R$ 50 mil a R$ 500 mil. Advogados envolvidos, inclusive um filho do magistrado, respondem a ação penal.

Por “uma Justiça melhor”, Brasil sediará a 9ª Conferência da IACA

Será de 16 a 19 de setembro em Foz do Iguaçu. “Tolerância zero para a corrupção” é um temas do evento. Presidente da Suprema Corte da Suécia fará a conferência de abertura. Brasileiro Sérgio Moro palestrará sobre “Combate permanente à corrupção no mundo”.