Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 15 de junho de 2018.
http://espacovital.com.br/images/mab_123_13.jpg

Inseparáveis, duas irmãs anunciam que vão compartilhar o mesmo marido



Cloud Front

Imagem da Matéria

Tudo junto e misturado...

Inseparáveis, gêmeas russas ganharam notoriedade, desde sexta passada, em seu país. As irmãs Adel e Alina Fakhteeva, 22 anos, anunciaram – no seu blog - um desejo incomum: encontrar “um marido estupidamente rico e de mente aberta, para compartilhar”.

A imprensa do país ouviu dezenas de homens de variadas profissões e diferentes classes sociais. A maioria opinou que “o desejo delas deve ser a realização de uma fantasia”. Só que elas não entraram nessa apenas por serem inseparáveis. Entre as exigências aos eventuais pretendentes está a obrigação de tirá-las de sua cidade natal (Kazan) para viver em Moscou.

Kazan é a capital da república do Tartaristão. Tem 1,5 milhão de habitantes e é um grande centro cultural, comercial e industrial, e um dos mais importantes focos da cultura tártara. Em pleno outono russo, a temperatura ali, nesta semana, vai variar dos 2 aos 7 graus centígrados. No inverno é sempre abaixo de zero.

Abuso contra analfabeta

A Crefisa foi condenada a pagar R$ 50 mil como reparação financeira por danos morais a uma analfabeta aposentada por invalidez. O desconto mensal era de 60% da aposentadoria e os juros mensais (22%) acumulados chegaram a 987% por ano sobre o valor do empréstimo. A decisão é do TJ de São Paulo.

Segundo o julgado, a Crefisa “violou os princípios da função social do contrato e da boa-fé objetiva, além de ofender a proteção da dignidade com os altos juros praticados”.

O contrato foi anulado e a financeira também terá que devolver o que cobrou a mais (Proc. nº 1001176-39.2016.8.26.0615).

Amada amante

A delação premiada da doleira Nelma Kodama, ex-amante de Alberto Youssef, famosa por ter sido presa com 200 mil euros na calcinha, tem 30 anexos.

As páginas colhidas pelo Ministério Público e Polícia Federal – segundo a ´rádio-corredor´ da OAB do Paraná - reúnem políticos (claro!), caciques do mercado financeiro, gente do empresariado e excelências do Judiciário.

A colaboração foi homologada em março deste ano, mas ainda está, cautelarmente, guardada a sete chaves pela força tarefa de Curitiba.

Entrementes, Roberto Carlos canta, até hoje, versos de Erasmo Carlos criados em 1971: “Esse amor sem preconceito // Sem saber o que é direito // Faz as suas próprias leis // Que flutuam no meu leito // Que explodem no meu peito // E superam o que já fez”.

Recurso argentário

Derrotados no STJ, os bancos abriram nova frente de lerdeza, agora no STF, para tentar melar, em milhares de processos, Brasil afora, o pagamento de indenizações aos poupadores lesados pelos planos econômicos (Collor I e II, Bresser e Verão).

A pretensão dos banqueiros, doravante, é suspender os pagamentos que já vinham sendo feitos por ordem judicial. O relator sorteado é o ministro Dias Tóffoli.

Entrementes, Tóffoli participa de seminário da ONU, em Genebra. Ali se discute “a implantação de salvaguardas efetivas na prevenção da tortura e de outros meios cruéis, desumanos ou degradantes de tratamento ou punição durante a custódia policial e a prisão cautelar”.


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Político exitoso de sete mandatos, Pompeo de Mattos tem ação trabalhista contra o Banco do Brasil

  Na Justiça do Trabalho de Porto Alegre, o deputado federal (PDT-RS) busca até indenização pela perda de uma chance. E chegou a pedir gratuidade da justiça.

 A maldição do impeachment de Dilma segue “tarrafeando” políticos de vários partidos.

  Parabéns mulheres! Pesquisa revela que o tempo médio gasto, por elas, com afazeres domésticos e/ou cuidando de pessoas da família, totaliza 92 horas por mês.

  Ministério Público oferece denúncia contra cinco diretores da Net. E o que é que Embratel, Claro e Globo tem a ver com isso?

Uma ação de pequena entidade gaúcha contra a poderosa General Motors

 Propaganda dita “enganosa” da picape S10 General Motors estaria atingindo os ambientalistas, exibindo “uma carga pejorativa a quem cumpre o papel de suma importância, que é a defesa do meio ambiente”.

 O que pode estar embutido na campanha “Agro é Pop, Agro é Tech, Agro é Tudo, Está Aqui, Está na Globo”.

  Em outra frente um pedido ao CONAR – Conselho Nacional de Auto Regulamentação Publicitária para que suspenda a veiculação do comercial.

FEPAM festeja proteção ambiental com ´banner´ de aves e mamífero que não são da fauna gaúcha

 O desmanche no RS das instituições ligadas à proteção do meio ambiente, ciência e tecnologia.

 “O Brasil que eu quero/ É um país com todos os corruptos presos /E sem liminar do Gilmar /Que os possa soltar”...

 Projeto de lei federal com gratuidade judicial para advogados cobrarem seus honorários.

  Que ciúme! Salário inicial de advogado em grande escritório dos EUA: piso de US$ 190 mil por ano (US$ 15.833 por mês, cerca de R$ 60 mil), a partir de 1º de julho

A grande vitória jurídica do Grêmio no STJ

 O clube vence demanda ajuizada pelo filho de Lupicínio Rodrigues e pelo instituto que leva o nome do falecido compositor.

 A questão envolve direitos autorais sobre o Hino do Grêmio e a expressão “Imortal Tricolor”. Relator esclarece que a expressão foi uma loa a Eurico Lara (acima, a foto do grupo que tinha o goleiro como expoente).

 Em Caxias do Sul, a tartaruga forense está na “mesa da Elenita”.

  Ex-procurador investigado quer ser juiz federal.

 OAB-RS exclui mais uma advogada: a lista tem 50 nomes.

Segredos que agradam baderneiros

  No regime democrático, por que cultuar o mistério em favor de uma minoria que vai aos estádios para delinquir?

  Lembrando Celso de Mello: “Não há no regime democrático possibilidade de se preservar ou de se cultuar o mistério”.

  Trânsito em julgado de condenação da Unimed: o pagamento do tratamento “home care” em caso de mal de Alzheimer.

  Padilha, Marun e um congestionamento causado por imprevisíveis leões de verdade...

A íntima prevaricação entre o então juiz e seu fiel assessor

 A apreensão de um Mercedes Benz horas antes do Natal.

 O magistrado de plantão no 24 de dezembro em confraternização familiar a 326 km de distância.

• Uma folha assinada em branco pelo juiz, que o servidor aproveitou em causa própria.

 E um arremate cômico: cobrança de autos da “advogada Corregedoria-Geral da Justiça”.