Ir para o conteúdo principal

Edição de Terça-feira, 24 de abril de 2018.
http://espacovital.com.br/images/mab_123_13.jpg

Demissão de servidor público que simulou um acordo em ação trabalhista



Diário Eletrônico da Justiça do Trabalho (Reprodução ampliada de https://dejt.jt.jus.br/dejt/f/n/diariocon)

Imagem da Matéria

Demissão de servidor público

Portaria assinada pela presidente do TRT-RS, Beatriz Renck, aplicou a demissão do serviço público ao servidor Arion da Silva Dias. Concursado como técnico judiciário, ele tinha sido preso em flagrante, no dia 14 de março, ao tentar ilicitamente sacar valores, após falsificar documentos de um trabalhador e simular um acordo, nos autos de uma ação que tramita na Vara do Trabalho de Guaíba (RS).

Na época, a Polícia Federal cumpriu buscas nas residências do servidor e de sua namorada e na sala em que ele trabalhava na unidade judiciária.

Durante as diligências, também foi flagrado que Arion possuía uma arma em situação irregular de registro. Arion segue respondendo a uma ação penal na Justiça Federal.

Ontem, a Vara do Trabalho de Guaíba respondeu laconicamente a um pedido de informação do Espaço Vital: “Ele não trabalha mais aqui”. (Portaria nº 5.721 de 18.10.2017).

A propósito: a publicação teve pouco destaque e foi de difícil localização no Diário Eletrônico da Justiça do Trabalho. E o Espaço Vital não encontrou nada às claras, no saite do próprio TRT-RS.

Das redes sociais

• “A Lava Jato não mete mais medo em Brasília. Os graúdos da política aproveitam recuos do Supremo, acumulam vitórias e retomam território para a impunidade”.

• “Depois do apartamento de Geddel, entendi porque Lula queria um tríplex”.

• “Comparação: se Aécio é inocente, Beira-Mar para presidente”.

• “Vivemos a maior transferência de renda da História do Brasil. Mas dos pobres para os ricos”.

Avaliação irreprimível

“O modelo político atual incentiva o pior nas pessoas. O Brasil precisa desesperadamente de uma reforma política. Com o atual patamar, a política vai continuar não representativa da sociedade e incapaz de atrair os bons, incapaz de atrair novas vocações”.

(De Luís Roberto Barroso, ministro do STF, em palestra).

A propósito

O modelo político atual incentiva o pior nas pessoas. Relembrem apenas cinco fatos, dentre uma centena, ou mais, de possíveis:

1. Michel Temer foi denunciado duas vezes por corrupção;
2. Lula foi condenado criminalmente em primeiro grau;
3. Fernando Collor teve a denúncia contra si recebida há dois meses;
4. A colaboração premiada da Odebrecht envolveu 20 partidos e dezenas de políticos;
5. A delação da JBS apontou mais de 20 partidos e mais de 1.500 políticos.

A propósito: após a decisão do Senado devolvendo o mandato de Aécio Neves, políticos miram agora outra votação importante que vem aí: o reexame pelo Supremo Tribunal Federal da prisão de réus condenados em segunda instância.

Obter a revisão da medida é crucial para muitos candidatos às eleições de 2018.


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Juíza considera que “bicho” para jogadores e treinadores de futebol é salário

 Saiba como nasceu, em 1923 – essa expressão que garantia dinheiro “por fora”, na época em que o futebol brasileiro era exclusivamente amador.

•   Pelo quarto ano consecutivo, majoração média das mensalidades dos planos de saúde é de 13%.

•   Julgamento de Claudia Cruz, esposa de Eduardo Cunha, pelo TRF-4, será na primeira semana de maio.

Administradora de condomínios condenada por cobrar juros abusivos

 Condomínio do Edifício Érico Veríssimo receberá, de volta, os valores que lhe foram cobrados a mais. Repetição do indébito envolve rubricas indevidas de COFINS/CSLL/PIS/IR/ISS sobre os serviços auxiliares de administração.

 Uma tentativa de fraude bancária, via WhatsApp alcança colegas do advogado Lenio Streck.

• O cacoete de honorários advocatícios sucumbenciais no percentual mínimo.

 Novas banheiras de hidromassagem para Suas Excelências, os senhores deputados federais.

Espaço especial para a mala do juiz...

•  O que aconteceu quarta, às 10h55, no aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, pouco antes da decolagem do voo nº 4156.

•  Porto Alegre é demais: o império dos flanelinhas, nas laterais do Palácio da Justiça.

•  Senador Lasier Martins protocola projeto de lei que autoriza a prisão após a condenação em segunda instância.

• Mais de 44 mil mortos no trânsito brasileiro em 2017

Depois da bagunça de Lula, como seria a prisão de Aécio?

• Tem gente apostando que o julgamento do senador do PSDB, no Supremo, será no dia 1º de abril...

• Como o jornalista gaúcho Fernando Albrecht se recupera da cirurgia de câncer no reto.

• Publicada a norma que estabelece o Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte.

• Advogado de Lula fica distante de Curitiba na primeira semana de prisão.